Veja como esse tópico de matemática financeira pode cair no Enem! 
Na Matemática Financeira existem dois tipos diferentes de juros: os juros simples e os juros compostos. Em um deles, o crescimento é constante. Já no outro, há um crescimento mais acelerado. Neste post, vamos explicar as principais diferenças entre os dois e deixar você por dentro do assunto.

Juros simples

Juros simples é um acréscimo de valor calculado em relação ao seu capital inicial. Nesse caso, o crescimento do valor é linear, mais lento. A fórmula para fazer o cálculo dos juros simples é:

j = C.i.t

Em detalhe: (juros = capital.taxa.tempo)

Juros compostos

Juros compostos é um acréscimo calculado em relação ao valor atual, ou seja, a quantia que você tem no exato momento. Esse crescimento é exponencial, ou seja, bem mais acelerado que os juros simples. É conhecido como juros sobre juros.

A fórmula para calcular os juros compostos é:

M = C. (1 + i)

Em detalhe: (montante = capital (1 + taxa) tempo)    

Juros simples e compostos no Enem 

Esse tópico de Matemática Financeira costuma aparecer no Enem e outros vestibulares relacionados ao nosso cotidiano. “Os juros compostos caem mais no vestibular, porque eles são calculados nos juros de banco, cartões de crédito, aumentos de salário etc”, afirma o prof. Paulo.

De acordo com o professor, as questões geralmente pedem para você comparar as situações dadas no enunciado, e encontrar qual é a melhor opção de pagamento. 

Como os juros simples e compostos aparecem no Enem

Exemplo prático de juros simples e compostos  

Você pegou mil reais emprestado e vai pagar juros de 10% ao mês – então 10% de R$ 1.000,00 será R$ 100,00. Suponha que você não tenha feito o pagamento, então no próximo mês você estará devendo R$ 1.100,00.

Se for juros simples, no próximo mês você continuará calculando os 10% sobre o capital inicial de R$ 1.000,00. Nesse caso, o valor que você deve é de R$ 1.200,00 – e a cada mês será cobrado mais R$ 100,00.

Porém, se for juros compostos, você vai calcular a porcentagem em cima da sua dívida atualizada. Então, você precisaria tirar 10% de R$ 1.100,00. No segundo mês, você estará devendo R$ 1.210,00 e por aí vai.

Veja exemplos de juros simples e compostos

Entenda de vez a diferença entre juros simples e compostos 

Digamos que você recebe um aumento de 10% a cada ano. O seu primeiro salário foi R$ 5.000,00. Passando um ano, você vai receber R$ 5.500.

No terceiro ano você terá um novo aumento – como o aumento salarial entra na regra de juros compostos, você vai calcular os 10% em cima do seu valor atual. Então, seu salário será de R$ 6.050,00. No quarto mês, então, você estará recebendo R$ 6.655,00.

Agora, vamos supor que seu aumento é calculado como juros simples – ele sempre vai levar em consideração a sua quantia inicial, R$ 5.000,00. Então, você receberá no terceiro ano R$ R$ 6.000,00 e no quarto R$ 6.500,00.

Quer mais dicas incríveis como essa sobre Matemática e muitas outras matérias? Cadastre-se gratuitamente no Stoodi e aproveite.

Laura Loyo

Jornalista, ama uma roda de samba e ficar por dentro de todas as novidades. A Laura faz parte do time de Marketing e Conteúdo, e é conhecida como a Laura do Stoodi! Ela busca ter uma vida mais ativa, ama uma conversa de bar e adora comer comida de boteco. Saiba mais sobre a Laurinha!