Fies: tudo que você precisa saber!

Fazer um curso de nível superior é o sonho de muita gente. Temos certeza que você sonha acordado com o momento em que vai caminhar pelos corredores da faculdade dos seus sonhos, se formar e começar a carreira que sempre desejou. Fala sério, é verdade, né?

No entanto, muita gente acaba desanimando por conta dos custos que estão envolvidos com a realização de uma faculdade. As mensalidades podem ser bem caras e nem sempre é possível fazer parte do Programa Universidade para Todos (Prouni). E aí? Tá tudo perdido?

A resposta é: não! Você ainda pode investir no Fies, outro programa elaborado pelo governo federal. Desta vez, o objetivo é ajudar você a financiar a sua faculdade e só começar a pagar as parcelas depois de formado. Quer saber mais sobre o tema? Então, vamos lá!

O que é Fies?

O Fies (Fundo de Financiamento Estudantil) é um programa que foi criado em 1999 pelo Ministério da Educação (MEC) com o objetivo de oferecer um financiamento estudantil aos universitários que estivessem realizando um curso em uma das faculdades privadas cadastradas no sistema do Fies. 

Ou seja: é possível começar a pagar as parcelas das mensalidades, a juros baixos, após a graduação. Durante o curso, você pagará algumas taxas ou apenas uma porcentagem da mensalidade, a depender de como será o acordo feito com o Fies.

Quem criou o Fies?

Como dito anteriormente, o Fies foi criado em 1999, pelo MEC e durante o governo de Fernando Henrique Cardoso. O programa é recorrente do Crédito Educativo, criado pelo regime militar, durante a presidência de Geisel, em 1976.

Ao longo dos anos, o programa foi desenvolvendo uma série de alterações. Porém, entre as mais importantes que você deve saber é o Novo Fies, implementado pelo MEC no ano de 2018.

Novo Fies

O Novo Fies nada mais é do que um novo conjunto de regras para os financiamentos nas universidades privadas do país, inseridas pelo Ministério da Educação (MEC) no ano de 2018.

Como essas novas regras são consideradas válidas hoje, completando quatro anos agora, todas as explicações deste post já estão adaptadas para você entender o que é o Novo Fies, como funciona e como ele pode ajudá-lo nos seus estudos.

Continue a leitura do post para saber mais sobre o assunto!

Datas do Fies 2022/2

O Fies 2022 já divulgou as datas dos seus principais eventos para o segundo semestre! Está atento? Confira cada uma delas:

  • período de inscrições: 09 a 12 de agosto;
  • divulgação de pré-selecionados: 16 de agosto;
  • complementação das inscrições dos pré-selecionados: 17 a 19 de agosto;
  • convocação da lista de espera: 22 de agosto a 22 de setembro.

Ah, e lembre-se: o Fies acontece duas vezes por ano. Em janeiro, você terá oportunidade de se aplicar para o Fies. Aguarde para saber mais sobre as principais datas do Fies 2023!

Fique atento ao Blog do Stoodi para participar do Fies no próximo semestre com a sua nota da edição 2022 do Enem .

Quem pode participar do Fies?

De acordo com as especificações do Novo Fies, estabelecidas em 2018, existem alguns requisitos que os alunos devem preencher para poderem se candidatar ao financiamento. São eles:

  • brasileiros graduados, ou não, com renda mensal familiar de até cinco salários-mínimos;
  • o aluno deve ter sido participante em algum Enem a partir do ano de 2010;
  • a pontuação no Enem deve ter sido superior a 450 pontos, sem zerar a redação;
  • alunos que já sejam beneficiados nas bolsas parciais do Prouni também podem participar do Fies, financiando, assim, a parcela restante da mensalidade.

Inscrição Fies 2022

As inscrições do Fies 2022 aconteceram do dia 08 a 11 de março no primeiro semestre; e de 09 a 12 de agosto no segundo semestre desse ano. Elas são realizadas exclusivamente pelo site que realiza a seleção do Fies, o SisFies

Como se inscrever no Fies? Passo a passo!

Para realizar a inscrição no Fies, basta acessar o site e seguir os passos abaixo.

Primeiro acesso
  1. Acesse o site e clique em “Primeiro Acesso”.
  2. Informe seu CPF, data de nascimento e um código de verificação.
  3. O sistema vai identificar automaticamente o seu registro de participação no Enem (se houver) e suas notas. Caso a média seja igual ou superior a 450 e a nota da redação seja maior do que zero, a inscrição prosseguirá.
  4. Você deverá cadastrar uma senha e um e-mail pessoal válido para ter acesso ao sistema de inscrição.
  5. Acesse a caixa de entrada de seu e-mail cadastrado e clique no link de ativação. Fique atento! Pode ser que o link esteja na caixa de spam ou no lixo eletrônico.
  6. Depois de ativar, retorne ao site, clique na opção “Já sou cadastrado” e acesse o sistema com seu CPF e senha.
  7. Preencha os campos com seus dados pessoais e também com os componentes do seu grupo familiar e as rendas de cada um. 
  8. Após preencher e conferir todos os seus dados, você deverá escolher uma modalidade de preferência. Escolha até três opções de curso entre os que têm vagas disponíveis na modalidade escolhida.
Informar CPF

Validação 

Após a realização da inscrição, o aluno deve ir até a instituição em que deseja estudar, buscando validar os dados que foram cadastrados no SisFies. Essas informações serão avaliadas pela CPSA, a Comissão Permanente de Supervisão e Acompanhamento, um departamento presente nas instituições de ensino superior que aderem ao Fies.

Contratação do financiamento

Quando as informações forem validadas, o aluno e a pessoa que foi escolhida para seu fiador, devem ir até o banco que foi mencionado ao realizar o cadastro no SisFies e, assim, negociar e finalizar o financiamento do Fies.

Como funciona o Fies?

O Fies funciona da seguinte maneira: o aluno que ingressar em uma universidade privada e deseja fazer o financiamento de sua mensalidade, deve realizar a inscrição, que abre a cada semestre letivo.

Como o programa recebe o suporte do Governo Federal, as mensalidades da graduação são custeadas até sua conclusão. Dessa maneira, durante os estudos, o beneficiado não vai arcar com os custos.

Contudo, após finalizar a graduação, o beneficiado vai arcar com o valor financiado pelo Governo em parcelas mensais, realizando assim, um contrato com o Estado. Há duas maneiras de realizar o financiamento:

Durante o curso

O aluno poderá pagar o financiamento enquanto realiza a graduação, contudo, será pago apenas o valor referente ao estabelecido no contrato. Além disso, também terá o custo do seguro de vida exigido pela contratação do financiamento.

Período de carência e amortização

O período de carência e amortização se aplica no momento em que o aluno finalizar a graduação. Dessa maneira, há algumas exigências para este momento com relação ao financiamento:

  • caso o aluno não tenha nenhum emprego durante o processo de amortização, as parcelas serão quitadas em parcelas mensais de acordo com o valor mínimo da negociação. Contudo, se tiver algum tipo de renda, as parcelas são descontadas automaticamente deste valor:
  • estipula-se que, em um prazo de 14 anos, é que o estudante consiga finalizar suas dívidas.

Quais cursos participam do Fies?

O programa do Fies não comporta todos os cursos reconhecidos pelo MEC, apenas aqueles que têm maior ou igual a três no Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES), oferecidos pelas instituições de ensino superior participantes do financiamento.

Mas, apesar disso, fique tranquilo! Pois a maioria dos cursos ainda se encaixam no programa. As inscrições para concorrer a uma vaga do fundo são feitas apenas pela internet, no site do programa.

ATENÇÃO! Cursos EaD não são financiados pelo Fies!

Contudo, apesar de quase todos os cursos estarem dentro do planejamento do Fies, existem alguns itens que podem dar preferências para um perfil de alunos em específico. São eles:

Regiões prioritárias

Os alunos que vierem de regiões que têm um baixo Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM), como Norte e Nordeste, são prioridade na seleção dos financiamentos do programa.

Cursos prioritários

Além das regiões, o Fies também favorece alguns cursos em específico para que, assim, possam incentivar áreas do mercado de maior relevância e urgência com relação a profissionais. 

Cursos da área da saúde, pedagogia, engenharia e computação (além de licenciaturas) somam o total de 60% das oportunidades de financiamento.

Cursos com as melhores notas

Os cursos que participam do Fies são avaliados pelo Sinaes para que, assim, exista uma priorização para disponibilizar o financiamento. Aqueles mais bem conceituados (até nota 5), de acordo com a instituição de ensino, terá prioridade. Veja a distribuição dos conceitos e a disponibilidade de vagas: 

  • conceito 5: 35% das vagas;
  • conceito 4: 30% das vagas;
  • conceito 3: 25% das vagas;
  • cursos recém-autorizados: 10% das vagas.

Processo seletivo do Fies

O processo seletivo do Fies segue o mesmo modelo do Sisu e do Prouni, porém, tendo como principal diferença, a disponibilidade da inscrição de três cursos como opção de escolha.

Assim como na metodologia desses programas, o Fies também tem uma nota de corte que é atualizada diariamente de acordo com cada um dos cursos que o aluno escolheu. Dessa maneira, é possível acompanhar o seu desempenho de acordo com os outros estudantes que buscam o mesmo curso e universidade que você, adequando-se para que, assim, garanta seu financiamento.

Critérios de desempate

No momento em que o programa está fazendo a seleção e quais alunos receberão o financiamento, devem ser levados em consideração dois fatores principais:

  • maior nota do Enem;
  • candidatos não-graduados com maior chance de conseguir o financiamento.

Se, independente desses aspectos, houver um caso em que dois universitários, ou mais, adquirirem a mesma pontuação, os seguintes fatores serão considerados como decisivos para quem vai receber o Fies:

  • quem tirar a maior nota na redação do Enem;
  • quem tirar a maior nota nas seguintes áreas: Linguagens, Matemática, Ciências da Natureza e Ciências Humanas, nesta ordem.
  • quem ainda não obteve uma graduação.

Tipos de financiamento do Fies

Desde as novas regras do Novo Fies de 2018, o programa tem duas divisões de financiamento.

P-Fies

O nome P-Fies é como são chamadas as modalidades I e II (explicadas abaixo) dos tipos de financiamento do Fies. Essa divisão ocorreu após o Novo Fies de 2018, que trouxe algumas diferenças entre os financiamentos e suas nomenclaturas.

A principal diferença que o P-Fies trouxe foi a permissão de o aluno estabelecer o contrato com bancos privados, além dos permitidos antes do Novo Fies (majoritariamente, Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal). Elas serão explicadas logo abaixo:

Percentual mínimo de financiamento pelo Fies

O percentual mínimo do Fies apenas sinaliza que o financiamento mínimo permitido pelo programa é 50% dos valores cobrados do aluno por parte da universidade.

Percentual máximo de financiamento pelo Fies

O percentual máximo do Fies é o que vai indicar, de fato, quais são as possibilidades de financiamento disponíveis para o aluno. Veja quais são elas:

Modalidade I (Fies)
  • Voltada para todos os brasileiros que têm renda per capita mensal familiar de até três salários-mínimos;
  • quem ingressar por esta modalidade, terá ao menos 50% de sua graduação financiada, podendo chegar até 100% de acordo com a necessidade do aluno;
  • para essa modalidade, são abertas 100 mil vagas, sem cobrar juros.
Modalidade II (P-Fies)
  • Voltada apenas para os alunos das regiões do Nordeste, Norte e Centro-Oeste, com renda per capita mensal familiar de até cinco salários-mínimos;
  • para esta modalidade, são abertas 150 mil vagas com uma taxa de juros flexível conforme a instituição de ensino em especial.
Modalidade III (P-Fies)
  • Voltada para todos os brasileiros com renda per capita mensal familiar de até cinco salários-mínimos;
  • para esta modalidade, são 60 mil vagas com uma taxa de juros flexível conforme a instituição de ensino em especial.

Regras do financiamento

Após fazer a sua escolha sobre qual modalidade será a mais apropriada, é importante saber que não será possível trocar para outra depois da contratação do financiamento.

Além disso, o valor mensal que será atribuído à instituição, não pode ser superior a R$7.000, regra estabelecida pelo MEC no ano de 2018. Isto porque a solicitação do financiamento só será possível de 10% a 100% do valor total da mensalidade.

Cálculo do financiamento pelo Fies

Para saber qual será o financiamento adequado para você é importante que você calcule a sua renda familiar mensal bruta por pessoa, refletindo qual a sua garantia de compromisso com a parcela mensal que será estabelecida no contrato do SisFies.

Contudo, caso você possa arcar com uma parcela maior do que as referidas entre as três modalidades, é possível negociar antes de assinar o contrato. Além disso, se for possível aumentar essa parcela ao longo do curso, é possível solicitar um adiantamento no fim de cada semestre.

Contratando um financiamento pelo Fies

A partir do momento em que o aluno realizar o cadastro e receber a confirmação de que foi aprovado para receber o financiamento, o estudante terá 10 dias úteis para comparecer no banco de escolha no momento de cadastro do SisFies. 

O beneficiado deverá estar presente com seu fiador e apresentar uma série de documentos que vão corroborar com o seu processo. 

Documentos para o Fies

Durante o processo de confirmação, o banco vai exigir a apresentação de alguns documentos do aluno e de seu fiador. São eles:

Do aluno

  • CPF;
  • documento de identificação oficial com foto;
  • comprovante de residência;
  • caso faça Prouni, levar o termo de concessão da bolsa parcial;
  • caso o aluno for menor de 18 anos, deve trazer os documentos de seu responsável;
  • caso o aluno for casado, levar a certidão de casamento, CPF e documento de identificação do cônjuge;
  • documento de Regularidade de Inscrição (DRI), emitido pela CPSA.

Do fiador

  • CPF;
  • documento de identificação oficial com foto;
  • comprovante de residência;
  • comprovante de rendimentos, caso haja fiança convencional;
  • caso o fiador for casado, levar a certidão de casamento, CPF e documento de identificação do cônjuge.

Quem pode ser seu fiador?

O fiador de um aluno será aquele que garantirá o pagamento da mensalidade do curso caso o aluno não consiga arcar com o valor. Contudo, para isso, existem algumas restrições para essa pessoa:

  • não pode ser cônjuge ou companheiro do aluno;
  • não pode ter benefício no Programa de Crédito Educativo;
  • não pode ser alguém que já tenha dívida com o Fies;
  • não pode estar vinculado ao Fies;
  • deve ser brasileiro ou português.

Tipos de fiança

Após saber quais os tipos de pessoas que podem ser seus fiadores, é importante saber quais as especificações do Fies para selecionar o seu tipo de fiança. Essas devem ser escolhidas no momento do cadastro do SisFies. São elas:

Fiança convencional

A fiança convencional pede que haja dois fiadores, maiores de 18 anos e com uma renda que garanta o pagamento do financiamento do estudante, no caso, o dobro da mensalidade financiada, caso haja inadimplência.

Fiança solidária

Já a fiança solidária requer de três a cinco fiadores, caracterizados como pessoas físicas. Para este caso, os fiadores devem ser estudantes da mesma universidade que o beneficiado, além de não pertencer ao mesmo grupo familiar.

Resultado Fies

O resultado do Fies é informado no site oficial do programa, divulgado de acordo com o cronograma previsto no Edital, ou através da própria universidade escolhida pelo aluno, em que pode ser informado a aprovação.

Lista de espera do Fies

Junto com a divulgação da chamada do Fies, também é publicada a lista de espera. Essa, por sua vez, dará direito ao aluno a ser chamado uma única vez, caso a vaga não tenha sido preenchida na chamada única.

Depois da liberação do resultado, o aluno terá apenas 5 dias para seguir com o requerimento do financiamento estudantil, por isso, fique atento!

Vagas remanescentes do Fies

Apenas após o final do processo é possível saber se há vagas remanescentes na modalidade I. Isso porque os candidatos classificados de acordo com o número de vagas do grupo de preferência são pré-selecionados na chamada única.

Os candidatos que não forem pré-selecionados serão automaticamente incluídos na lista de espera. Quem estiver na lista deve acompanhar sua possível pré-seleção na página do Fies Seleção.

Lista de espera do Fies

Os candidatos que não forem notificados para chamada regular do Fies estarão de forma automática na lista de espera.

A convocação para a lista de espera são realizadas por cerca de 15 dias. Basta acessar o site do Fies e acompanhar sua situação! Já para quem foi pré-selecionado é necessário procurar a CPSA de sua universidade e uma agência da Caixa Econômica.

Passei no Fies! E agora?

Parabéns! Você foi aprovado no Fies! Você sabe o que deve fazer agora? Veja os passos abaixo e fique por dentro:

  1. Entre os dias do prazo estipulado no cronograma oficial após a divulgação do resultado, complemente as suas informações na inscrição do Fies Seleção, que pode ser encontrado no site oficial do programa.
  2. Assim, você deverá comparecer no CPSA (Comissão Permanente de Supervisão e Acompanhamento) que há nas universidades participantes do Fies. Na instituição selecionada por você, você deverá validar suas informações em até 5 dias úteis, contando a partir do dia seguinte ao dia da divulgação do resultado.
  3. Por fim, você deverá comparecer até a Caixa Econômica Federal, com a documentação exigida no portal do Fies, no momento da inscrição. Você terá até 10 dias úteis para realizar esse processo.

Caso você não seja aprovado, há uma lista de espera para aquelas vagas que não foram preenchidas. Fique atento!

Aditamento Fies

O aditamento do Fies é o processo de renovação do programa que deve ser feito pelo estudante, a cada semestre. Basta a instituição de ensino disponibilizar os dados no sistema e o aluno deverá realizar o processo on-line por meio do SisFies.

Caso o estudante perca o período disponível para realizar o aditamento do Fies, ele perderá o benefício do financiamento. Por isso, fique atento às datas!

Pagamento do Fies

O pagamento do Fies vai variar de acordo com o tipo de contrato que você estabeleceu com o banco, mas é importante frisar alguns tópicos que servem como regras do programa:

  • o Fies não vai depositar o valor do financiamento na sua conta. Este valor é direcionado direto para a universidade;
  • você inicia o pagamento do Fies após realizar a formatura do curso, dependendo das variações do período de carência;
  • o prazo de pagamento do Fies pode durar vários anos. O tempo estimado varia muito de acordo com o valor da sua universidade.

Quanto custa o Fies?

Como dito anteriormente, o valor do Fies pode variar de acordo com o preço da sua faculdade, além do seu contrato estabelecido com o banco. É uma negociação. Contudo, existem duas formas principais de como você pode realizar o pagamento do Fies.

  • Parcelas trimestrais: essa parcela está de acordo com o juros do seu tipo de financiamento, sendo seu custo máximo de acordo com o edital de cada ano (este valor é variável). Durante todo o curso, essas parcelas devem ser quitadas e vão até um ano e meio depois da graduação.
  • Parcelas mensais: diferente da primeira, esta parcela deve começar a ser paga somente após a formatura, tendo seus valores muito variáveis de acordo com a universidade, renda do aluno, curso financiado e outros fatores estabelecidos no contrato.

O que mais preciso saber sobre o Fies?

Agora, confira algumas últimas dicas para quem está pensando em fazer a inscrição no Fies. Essas recomendações são válidas para toda a sua vida acadêmica, ok? Vamos lá!

Se dedique muito aos estudos

Infelizmente, há casos que podem fazer com que você perca a sua vaga no Fies. E não é isso que queremos, certo? Por isso, é fundamental que você se dedique aos estudos com seriedade, já que uma das razões para essa perda é justamente a reprovações frequentes ou faltas constantes.

Realize os aditamentos

Os aditamentos também são fundamentais para quem quer manter a sua vaga. Por isso, os realize no prazo estipulado e mantenha a sua inclusão no cadastro do Fies. É simples e semestral. Se programe para não esquecer!

Não tranque a sua matrícula

É possível trancar a matrícula, desde que o Fies seja suspenso antes desse passo. Caso você pule as etapas e realize o trancamento sem que isso seja estipulado, a sua vaga será cancelada. Por isso, fique atento! 

Se programe financeiramente

Por fim, uma dica importante: se programe financeiramente ao longo do curso. Se puder fazer estágios remunerados e criar uma reserva, ótimo! Experimente investir uma quantia, ainda que pequena. Quem sabe? Assim, você consegue garantir algumas parcelas no futuro!

Gostou de saber mais sobre o funcionamento do Fies e conferir algumas dicas para fazer uso desse benefício? Agora, é hora de começar a se programar para iniciar a sua graduação. Não deixe essa chance passar!

Se quiser ficar sempre por dentro das dicas e conteúdos do Stoodi e, com isso, se manter bem informado sobre tudo o que diz respeito aos vestibulares, é só assinar a nossa newsletter. Com isso, você recebe avisos sobre as postagens diretamente no seu e-mail!