Sisu 2019

Tudo sobre o Sisu 2019

No 1º período de inscrições do Sisu 2019, realizado em janeiro, 1.823.871 pessoas se inscreveram para as 235.476 vagas oferecidas. Ao todo, 129 instituições públicas ofereceram vagas.

Vai participar da 2º edição do Sisu 2019 e quer saber tudo sobre o Sistema de Seleção Unificada? Então vem com a gente que te contamos tudo!

O que é o Sisu?

O Sistema de Seleção Unificada (Sisu) é usado pelas instituições públicas de ensino superior para oferecem vagas a candidatos que fizeram o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) do ano anterior.

O programa foi criado e é gerenciado pelo Ministério da Educação (MEC) com o objetivo de democratizar o acesso à educação superior. Como o próprio nome diz, visa unificar a seleção de várias instituições por todo o Brasil, a fim de que todos os jovens tenham mais chances de entrar nas universidades gratuitamente!

A grande vantagem é a possibilidade que o candidato tem de concorrer a vagas em lugares diferentes do país, sem precisar viajar para fazer inúmeras provas. Além disso, o sistema não tem taxa de inscrição.

Todos esses benefícios e facilidades ampliaram o acesso ao ensino superior, principalmente para os estudantes de renda mais baixa.

Como funciona o Sisu?

O sistema é integralmente baseado na nota do Enem. Para ter acesso, é necessário ter realizado a última edição do exame.

O programa oferece vagas em muitas modalidades de concorrência e em muitas instituições de ensino. Fica a critério das universidades a adoção de pesos diferentes para cada área do Enem e também a definição das notas de corte.

O processo seletivo acontece duas vezes ao ano: uma no primeiro semestre e outra no segundo. A seleção do primeiro semestre de 2019 aconteceu entre os dias 22 e 27/01. A segunda edição deve acontecer em junho.

plano de estudos

Como fazer a inscrição no Sisu 2019?

O processo de inscrição no Sisu tem apenas uma etapa, totalmente gratuita e simples! Mas preste atenção aos detalhes.

O Sisu 2019.1 já teve seu processo de inscrição encerrado. Mas, os estudantes que fizeram o Enem 2018 poderão se inscrever na 2ª edição do ano, que deve acontecer em junho.

Para facilitar, siga nosso passo a passo:

Inscrição Sisu

1. Quando a próxima edição do Sisu for aberta, você deverá acessar o site do sistema. Tenha em mãos o seu número de inscrição e a senha do Enem.

2. Faça login utilizando seus dados do Enem.

3. O sistema apresentará as opções de cursos e universidades disponíveis. Você poderá escolher duas opções, e com isso as suas chances aumentam. A primeira deve ser a que você mais quer, sua prioridade.

4. Escolha as suas opções, incluindo detalhes como ações afirmativas.

5. Quando o período de inscrições terminar, o Sisu selecionará os candidatos com as melhores classificações para cada vaga.

Fique atento! Algumas instituições têm uma nota mínima para que os estudantes possam se inscrever em seus cursos. Verifique a nota mínima da instituição que você vai escolher e veja se a sua nota é suficiente. Fique de olho também nos demais requisitos do curso.

Diferença entre nota mínima e nota de corte

Atenção! A nota mínima é diferente da nota de corte. A nota de corte é atualizada todos os dias durante o período de inscrição. É calculada com base nas notas dos candidatos que se inscrevem na vaga. Exemplo: se o curso tem 10 vagas, a nota de corte é a 10ª nota mais alta entre os inscritos.

Já a nota mínima é pré-estabelecida pela instituição para aquele curso em questão antes do período de inscrições do Sisu. É um critério para que o candidato possa se inscrever na vaga.

Os únicos dados que você precisa para se inscrever são o número de inscrição e a senha do Enem. Mas não deixe de se informar sobre os documentos exigidos pelas universidades no dia da matrícula, caso seja aprovado. Não ter os documentos necessários pode implicar na perda da vaga!

Como funciona a nota de corte do Sisu 2019?

A nota de corte é a menor pontuação necessária para concorrer a determinada vaga. Cada curso tem uma diferente e é uma base para o aluno saber a sua classificação parcial.

Durante o período de inscrição do Sisu, as notas de corte de cada curso oferecido são calculadas uma vez por dia. Isso é feito à medida que mais pessoas se inscrevem nos cursos.

Digamos que sua nota no Enem foi 900 e esta é a nota de corte do curso de Medicina em uma determinada universidade. Mas no dia seguinte, após novas inscrições de alunos com notas mais altas, a note de corte saltou para 920.

Você não necessariamente deverá trocar de opção, pois até o último dia de inscrição pode ser que seus concorrentes troquem de vaga e a nota de corte caia. Por isso, fique atento ao sistema durante todos os dias de inscrição.

Se a inscrição estiver perto do fim e sua nota ainda for insuficiente, uma opção possível é selecionar outro curso que tenha uma nota de corte igual ou inferior a que você tirou e seguir no jogo!

Critérios de desempate

Às vezes, acontece de alunos concorrendo à mesma vaga terem notas iguais e ambas estarem dentro da pontuação de corte. Quem se classifica, então?

Para isso, o Sisu tem alguns critérios de desempate, que seguem a ordem abaixo, sem exceções:

1º – Maior nota na redação

2º – Maior nota em Linguagens, Códigos e suas Tecnologias

3º – Maior nota em Matemática e suas Tecnologias

4º – Maior nota em Ciências da Natureza e suas Tecnologias

5º – Maior nota em Ciências Humanas e suas Tecnologias

  • Matrícula em instituição pública gratuita de ensino superior
  • Conclusão do curso no qual o bolsista está matriculado ou de qualquer outro curso superior em qualquer instituição
  • Comprovação de mudança substancial da condição socioeconômica do estudante
  • Acúmulo de bolsas do Prouni pelo estudante
  • Uso simultâneo em cursos ou instituições diferentes da bolsa do Prouni e do Fies
  • Decisão ou ordem judicial

Resultado do Sisu 2019

Após o fim do período de inscrições para o Sisu, começa a expectativa pelos resultados. O sistema seleciona automaticamente os candidatos mais bem classificados em cada curso.

Lembrando que as instituições podem dar pesos diferentes para cada área do Enem.

O resultado fica disponível no seu boletim, na página do Sisu, nas instituições participantes e na Central de Atendimento do MEC, pelo telefone 0800-616161.

Primeira chamada

A primeira chamada do Sisu 2019 foi divulgada no dia 28 de janeiro. Os alunos convocados tiveram entre os dias 30/01 e 04/02 para fazerem suas matrículas.

Depois desse prazo, foram abertas as vagas remanescentes.

Simulador Sisu

Se você prestou o Enem e vai usar sua nota no Sisu e não está a fim de esperar o dia da divulgação do resultado para saber seu desempenho, o Simulador Sisu pode ajudar a controlar a sua ansiedade.

Tudo o que você precisa fazer é inserir as suas notas reais do Enem que a ferramenta irá fazer uma projeção das suas chances de aprovação na universidade e curso que você quer.

Essa projeção é feita com base nas notas de corte do Sisu 2018 e pode servir como parâmetro para você entender suas chances de aprovação.

Lista de espera Sisu 2019

Se você não tiver passado em nenhuma das suas opções de vaga na primeira chamada ou se passar apenas na segunda opção, ainda há esperança!

Você terá o direito de entrar na lista de espera do Sisu para a sua primeira opção de curso. Para isso, depois que o resultado sair, é preciso entrar no site e acessar o seu boletim.

Mas atenção: você não entrará na lista automaticamente, ok? E tem prazo!

Você terá entre os dias 29/01 e 05/02 para registrar seu interesse na lista de espera do Sisu 2019.

Vale lembrar que a lista de espera é válida apenas para a primeira opção de curso!

Mudança na lista de espera para 2019

O MEC divulgou mudanças na lista de espera do Sisu para 2019. Até 2018, os candidatos podiam escolher duas opções de curso e desistir da segunda opção para não ficar na lista de espera da primeira opção.

Em 2019, houve apenas uma chamada, então o estudante aprovado em uma das opções de curso não pôde participar da lista de espera. Caso não fosse selecionado, poderia ficar na lista de espera de apenas uma das suas opções de curso.

De acordo com o MEC, a mudança foi feita para permitir maior liberdade de escolha para os estudantes que não forem selecionados na chamada regular do Sisu.

Lista de suplência x lista de espera

A lista de suplência faz parte da chamada regular do Sisu. Depois que acontece a primeira chamada, para os candidatos dos primeiros lugares, as vagas não preenchidas são oferecidas aos candidatos suplentes.

Os suplentes são os próximos colocados. Por exemplo, digamos que o curso tem 20 vagas. Os candidatos até a 20ª melhor pontuação são chamados para matrícula na primeira chamada. Mas se 4 destes 20 não se matricularem dentro do prazo e sobrarem 4 vagas, os candidatos da 21ª, 22ª, 23ª e 24ª colocação serão chamados para matrícula na segunda chamada.

A lista de suplência é formada automaticamente pelo Sisu e o candidato deve ficar atento ao sistema na segunda chamada para ver se conseguiu entrar.

O  que é a lista de espera?

A lista de espera é formada após a segunda chamada. Se ainda sobrarem vagas, elas serão ofertadas aos candidatos que manifestaram interesse em participar da lista de espera.

O candidato deverá acessar o site do Sisu dentro do período indicado, abrir o boletim, clicar na opção “lista de espera” e confirmar a vontade de participar.

Sisu em números

Criado em 2009, ano em que ofertou mais de 47 mil vagas no primeiro semestre, o Sisu cresce a cada ano. Em 2014, esse número de vagas aumentou para 171 mil, um crescimento de 258%, de acordo com o Ministério da Educação.

Este ano foram ofertadas mais de 239 mil vagas em 129 instituições. São 29 instituições públicas estaduais e 100 federais, incluindo centros de educação tecnológica.

O MEC divulgou ainda que 1.823.871 estudantes se candidataram às vagas em 2019. E como cada um deles pode escolher até duas opções de curso, o total de inscrições ultrapassou 3.492.751.

Vamos explicar tudo isso mais adiante!

Vagas e modalidades ofertadas

Todas as vagas ofertadas pelo Sisu são para cursos presenciais. Elas são divididas entre bacharelado, licenciatura, tecnólogo e área básica de ingresso.

Bacharelado

O Bacharelado é o curso superior generalista, com formação científica ou humanística. Dá aos diplomados as competências em um determinado campo do saber para o exercício de atividade profissional, acadêmica ou cultural, com o grau de bacharel.

Licenciatura

A Licenciatura é o curso superior que garante as competências necessárias para que o formando atue como professor na educação básica, com o grau de licenciado.

Tecnólogo

O curso Tecnólogo é de formação especializada em áreas científicas e tecnológicas. Quem se forma nesse tipo de curso adquire as competências para atuar em áreas profissionais específicas, com o grau de tecnólogo.

Área Básica de Ingresso

A Área Básica de Ingresso serve para designar os cursos em que o estudante, na hora de se formar, pode escolher duas ou mais formações acadêmicas.

Acontece em cursos que têm entrada única para licenciatura ou bacharelado, como História, Física, Geografia etc. Ou cursos que dispõem de várias formações acadêmicas, como Letras.

As vagas oferecidas por meio do Sisu poderão ter até três modalidades de concorrência. Isso acontece porque todas as instituições de ensino superior devem reservar vagas para estudantes de escola pública. Algumas ainda disponibilizam vagas para políticas afirmativas próprias.

Durante o processo de seleção, você concorrerá apenas com candidatos da mesma modalidade que escolher. Veja quais são as três modalidades:

1. Vagas para  ampla concorrência

São abertas para qualquer pessoa que tenha feito o Enem e concluído o ensino médio.

2. Vagas para políticas de ação afirmativa

As políticas de ação afirmativa são feitas pelo governo ou pela iniciativa privada. O objetivo é corrigir desigualdades sociais, econômicas, raciais, étnicas, de gênero, religiosas, entre outras.

A quantidade de vagas desta modalidade pode variar de acordo com cada instituição de ensino. As políticas de ação afirmativa não são obrigatórias como as cotas. Logo, nem todas as universidades têm.

O Sisu permite que as instituições adotem um bônus à nota do candidato como política de ação afirmativa. É uma pontuação extra que será somada à nota do candidato. Quem for beneficiado concorre com os demais inscritos em ampla concorrência, neste caso.

3. Lei de Cotas

Pela Lei de Cotas (12711/2012), todas as instituições participantes do Sisu devem reservar metade de suas vagas para as cotas raciais e/ou sociais.

As vagas são destinadas aos alunos que cursaram o ensino médio em escolas públicas. Destas vagas, metade é reservada aos estudantes com renda familiar bruta mensal por pessoa de até um salário mínimo e meio.

Um percentual das vagas é reservado a estudantes autodeclarados pretos, pardos ou indígenas. Esse percentual é definido de acordo com a proporção de pretos, pardos ou indígenas na unidade da Federação onde a instituição de ensino está localizada.

Outro percentual das vagas é reservado às pessoas com deficiência, também de acordo com o percentual desta população onde está localizada a instituição.

Como usar as cotas no Sisu 2019?

Para participar do Sisu pela Lei de Cotas, basta selecionar a modalidade em que você se encaixa na hora da inscrição.

É sua responsabilidade provar que atende a todos os requisitos para concorrer a esta modalidade. Isso não será conferido pelo Sisu, e sim pela universidade em que você se candidatou.

Se você não comprovar as informações, perderá o direito à vaga. Por isso, preste muita atenção na hora de selecionar a modalidade!

  • Para participar pelos critérios de raça ou cor, basta a autodeclaração.
  • Para comprovar renda, é necessário apresentar a Folha Resumo do Cadastro Único, obtida no Centro de Referência e Assistência Social (CRAS) das Prefeituras Municipais. Ou a declaração da composição e renda bruta familiar.
  • Para comprovar que fez o ensino médio em escola pública: você deverá apresentar o histórico escolar ou a Declaração de Conclusão do Ensino Médio, emitida pela escola que frequentou.

Quem pode participar do Sisu 2019?

Além de ter feito a última edição do Enem, para participar do Sisu é necessário ter tirado uma nota acima de zero na redação e não ter feito como treineiro (quem faz o Enem apenas para treinar e conhecer o exame, geralmente é porque ainda não concluiu o Ensino Médio ou não tem 18 anos).

Todas as informações sobre o Sisu 2019 podem ser encontradas no Edital do Ministério da Educação (MEC).

Você pode se inscrever mesmo que já tenha tentado no ano anterior. E também caso já esteja fazendo um curso superior em uma instituição pública.

Se você já estiver matriculado em uma universidade pública e for aprovado em outra pelo Sisu, deverá optar por apenas uma das duas. Ou seja, você deverá abandonar o curso antigo para iniciar o novo ou continuar apenas no que já estava fazendo.

Você não poderá estar matriculado em duas universidades públicas ao mesmo tempo!

Universidades e cursos participantes

A cada ano que passa, mais universidades aderem ao Sistema Único de Seleção Unificada e deixam de lado o seu tradicional vestibular para a seleção de novos alunos.

Esse crescimento faz com que cada vez mais cursos estejam disponíveis para a escolha dos estudantes que fizeram o Enem. É informação essencial saber quais instituições fazem parte do sistema.

Com esse dado em mãos, o estudante pode escolher onde pretende estudar e fica sabendo se o curso que deseja é oferecido pela universidade escolhida.

Para ajudar nessa pesquisa, separamos aqui todas as instituições que fazem a sua seleção de novos alunos pelo Sisu:

Centro-oeste

Universidades em que todas as vagas são pelo Sisu

  • Universidade Federal de Goiás (UFG);
  • Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD);
  • Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT);
  • Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS);
  • Universidade Estadual do Mato Grosso do Sul (UEMS);
  • Universidade do Estado do Mato Grosso (Unemat);
  • Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás (IFG);
  • Instituto Federal do Mato Grosso do Sul (IFMS).

Universidades que destinam apenas uma porcentagem de suas vagas ao Sisu

  • Universidade de Brasília (UnB): 50%;
  • Instituto Federal Goiano (IF Goiano): 30%;
  • Instituto Federal do Mato Grosso (IFMT): 50%.

Norte

Universidades em que todas as vagas são pelo Sisu

  • Universidade Federal do Acre (UFAC);
  • Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa);
  • Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA);
  • Universidade Federal do Tocantins (UFT);
  • Instituto Federal do Acre (IFAC);
  • Instituto Federal do Amapá (IFAP);
  • Instituto Federal do Pará (IFPA);
  • Instituto Federal de Rondônia (IFRO);
  • Instituto Federal de Roraima (IFRR).

Universidades que destinam apenas uma porcentagem de suas vagas ao Sisu

  • Universidade Federal do Amazonas (UFAM): 50%;
  • Universidade Federal do Amapá (Unifap): 50%;
  • Universidade Federal do Pará (UFPA): 20%;
  • Universidade Federal de Roraima (UFRR): a porcentagem exata final não foi informada;
  • Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas (IFAM): 50%;
  • Instituto Federal do Tocantins (IFTO): a porcentagem exata final não foi informada.

Nordeste

Universidades em que todas as vagas são pelo Sisu

  • Universidade Federal de Alagoas (UFAL);
  • Universidade Federal da Bahia (UFBA);
  • Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB);
  • Universidade Federal do Ceará (UFC);
  • Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro–Brasileira (Unilab);
  • Universidade Federal da Paraíba (UFPB);
  • Universidade Federal de Campina Grande (UFCG);
  • Universidade Federal do Maranhão (UFMA);
  • Universidade Federal de Pernambuco (UFPE);
  • Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE);
  • Universidade Federal de São Francisco (Univasf);
  • Universidade Federal do Piauí (UFPI);
  • Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN);
  • Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA);
  • Universidade Federal de Sergipe (UFS);
  • Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC);
  • Universidade Estadual da Paraíba (UEPB);
  • Universidade Estadual do Piauí (UESPI);
  • Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN);
  • Instituto Federal de Alagoas (IFAL);
  • Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Baiano (IF Baiano);
  • Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE);
  • Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba (IFPB);
  • Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sertão Pernambucano (IF Sertão-PE);
  • Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Piauí (IFPI).

Universidades que destinam apenas uma porcentagem de suas vagas ao Sisu

  • Universidade do Estado da Bahia (UNEB): a porcentagem exata final não foi informada;
  • Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB): 50%;
  • Universidade do Estado do Ceará (UECE): 25%;
  • Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia (IFBA): 60%;
  • Instituto Federal de Pernambuco (IFPE): apenas vagas do segundo semestre;
  • Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN): a porcentagem exata final não foi informada;
  • Instituto Federal de Sergipe (IFS): 50%;
  • Universidade de Pernambuco (UPE): 50%.

Sul

Universidades em que todas as vagas são pelo Sisu

  • Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR);
  • Universidade Federal da Integração Latino-Americana (Unila);
  • Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA);
  • Universidade Federal de Pelotas (UFPel);
  • Universidade Federal do Rio Grande (FURG);
  • Universidade Federal do Pampa (Unipampa);
  • Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS);
  • Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (UERGS);
  • Instituto Federal do Paraná (IFPR);
  • Instituto Federal Farroupilha (IF-Farroupilha);
  • Instituto Federal Catarinense (IFC).

Universidades que destinam apenas uma porcentagem de suas vagas ao Sisu

  • Universidade Federal do Paraná (UFPR): 30%;
  • Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS): 50%;
  • Universidade Federal de Santa Maria (UFSM): 80%;
  • Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC): 30%;
  • Universidade Estadual de Londrina (UEL): 17,5%;
  • Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP): entre 10 e 36%;
  • Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste): 50%;
  • Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC): 25%;
  • Instituto Federal do Rio Grande do Sul (IFRS): 50%;
  • Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC): 50%;
  • Instituto Federal Sul-rio-Grandense (IFSul): 50%.

Sudeste

Universidades e Sisu

Universidades em que todas as vagas são pelo Sisu

  • Universidade Federal do Espírito Santo (UFES);
  • Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG);
  • Universidade Federal de Alfenas (Unifal);
  • Universidade Federal de Itajubá (Unifei);
  • Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP);
  • Universidade Federal de São João Del Rei (UFSJ);
  • Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM);
  • Universidade Federal de Uberlândia (UFU);
  • Universidade Federal de Viçosa (UFV);
  • Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UniRio);
  • Universidade Federal Fluminense (UFF);
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ);
  • Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ);
  • Universidade Federal do ABC (UFABC);
  • Universidade Federal de São Carlos (UFSCar);
  • Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (UENF);
  • Instituto Federal do Espírito Santo (IFES);
  • Instituto Federal do Triângulo Mineiro (IFTM);
  • Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (Cefet-MG);
  • Instituto Federal de São Paulo (IFSP);
  • Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro (IFRJ);
  • Centro Federal de Educação Tecnológica do Rio de Janeiro (Cefet-RJ);
  • Universidade Estadual da Zona Oeste (UEZO).

Universidades que destinam apenas uma porcentagem de suas vagas ao Sisu

  • Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF): 70%;
  • Universidade Federal de Lavras (UFLA): 60%;
  • Universidade Federal dos Vales Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM): 50%;
  • Universidade Federal de São Paulo (Unifesp): apenas alguns cursos;
  • Universidade Estadual de Minas Gerais (UEMG): 50%;
  • Instituto Federal Sudeste de Minas Gerais (IF SudesteMG): 50%;
  • Instituto Federal do Sul de Minas Gerais (IF Sul de Minas): 50%;
  • Instituto Federal de Minas Gerais (IFMG): 50%;
  • Instituto Federal do Norte de Minas Gerais (IFNMG): a porcentagem exata final não foi informada;
  • Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense (IFF): a porcentagem exata final não foi informada.

 

Como fazer a matrícula?

Você fez o Enem, se inscreveu no Sisu para o seu curso dos sonhos e recebeu a aprovação! E agora?

Este ano, o Sisu teve a primeira chamada e a lista de espera. A primeira chamada acontece logo depois da liberação da primeira lista com os convocados para a matrícula. Quem for selecionado terá um prazo para comparecer à instituição e efetuar o processo, confirmando o preenchimento da vaga.

Depois da primeira chamada, as vagas remanescentes são oferecidas aos alunos que demonstraram interesse em participar da lista de espera.

Fique atento, pois é a matrícula que garante a sua entrada na universidade.

O que são as vagas remanescentes?

Depois da divulgação do resultado e da chamada para a matrícula, algumas das vagas ocupadas na primeira chamada ficam novamente disponíveis. Isso acontece porque alguns alunos não fazem a matrícula no prazo, não entregam os documentos de matrícula ou escolhem outra faculdade.

Mas atenção: o Sisu não divulga o nome dos candidatos convocados para as vagas remanescentes. Para conseguir essa informação, é necessário entrar em contato com a universidade. Fique muito atento a todos os prazos!

Sisu e Prouni

Quem se inscreve no Sisu também pode se inscrever no Programa Universidade para Todos (Prouni), se atender aos critérios do programa.

O Prouni oferece bolsas de estudo em instituições de ensino superior particulares. Para participar, é necessário obter pelo menos 450 pontos na média das provas do Enem e não ter zerado a redação. Além de se encaixar nos critérios de escolaridade e renda.

Atenção! Caso você seja aprovado em uma instituição pública através do Sisu e também consiga uma bolsa em instituição privada pelo Prouni, deverá escolher apenas uma das duas oportunidades!

É proibido que o estudante esteja matriculado em uma universidade pública e utilize uma bolsa do Prouni ao mesmo tempo.

Sisu e Fies

O Fies também foi criado pelo Governo Federal visando a democratização do acesso ao ensino superior. Mas o Fies oferece financiamento estudantil para alunos de universidades e faculdades privadas.

Este programa é oferecido apenas para quem tem renda familiar por pessoa inferior a 1 salário mínimo e meio. Já o Sisu é aberto a todas as pessoas que realizam o Enem, sem relação com a condição socioeconômica.

Sisutec

O Sistema de Seleção Unificada da Educação Profissional e Tecnológica (Sisutec) é o sistema informatizado por onde as instituições públicas e privadas de ensino superior, de educação profissional e tecnológica, oferecem vagas gratuitas em cursos técnicos de forma subsequente para os candidatos participantes do Enem.

Assim como o Sisu, o Sisutec é gerenciado pelo MEC e é realizado duas vezes ao ano, sempre no início do semestre. A inscrição é gratuita, em uma única etapa, e feita pela internet.

Para participar, o candidato deverá utilizar a nota do Enem. A inscrição é feita pelo site do Sisutec.

Sisutec

O participante poderá escolher até duas opções entre as vagas ofertadas, por ordem de preferência. E também decidir se vai concorrer à ampla concorrência ou se entrará em alguma das modalidades de cotas.

O Sisutec é bem parecido com o Sisu. Durante o período de inscrição, o candidato poderá alterar as opções escolhidas, e será válida a última inscrição confirmada.

O sistema selecionará automaticamente os candidatos mais bem classificados em cada curso. Caso a nota do candidato o classifique para as duas opções escolhidas, ele será selecionado apenas para a primeira opção.

São realizadas duas chamadas. A cada uma delas os selecionados têm um prazo para realizar a matrícula na instituição, confirmando a ocupação da vaga.

Aplicativo do Sisu

Aplicativo Sisu

Com o aplicativo do Sisu, você terá todas as informações sobre o processo de forma mais rápida e simples.

Dá para baixar o aplicativo no celular ou tablet e conferir o período da seleção, além do seu próprio cronograma. O aplicativo também permite que o candidato consulte as informações do Enem, como as notas das provas e redação.

Através do app, você poderá ainda ver e pesquisar na lista de cursos, vagas e instituições participantes, obter as classificações parciais e notas de corte atualizadas.

O aplicativo do Sisu está disponível para Android, Apple e Windows Phone.

Sisu Transferência

Com o objetivo de preencher vagas remanescentes em universidades federais, o MEC anunciou uma novidade para o Sistema de Seleção Unificada: o Sisu Transferência.

Com esse novo sistema, o estudante que tiver interesse em ficar com uma das vagas disponíveis poderá fazer isso de maneira informatizada.

O governo ainda não divulgou os detalhes do funcionamento do Sisu Transferência, mas afirmou que a opção já deve estar disponível no ano que vem. Não está certo ainda se no 1º ou no 2º semestre.

Ao todo, são quase 3 milhões de vagas ociosas no sistema universitário, a maioria em instituições particulares. Mas, as universidades federais tiveram cerca de 164 mil vagas não preenchidas o ano passado.

Dicas para aproveitar o Sisu 2019

1. Escolha bem a sua primeira opção de curso.

2.Tenha uma segunda opção.

3. Fique de olho nos sites das universidades que você quer estudar.

4. Confira sua inscrição até o último dia.

5. Atenção aos prazos da lista de espera.

6. Fique atento às chamadas para a matrícula.

Entendeu tudo sobre o Sisu? Então aproveite essa oportunidade de concorrer a diversas vagas por todo o país!

Cadastre-se gratuitamente no Stoodi e tenha a melhor preparação para o Enem e vestibulares.

Mais que um cursinho online: uma rotina de estudos perfeita para você

O caminho para a sua aprovação no ENEM E VESTIBULARES nas suas mãos!