Qual a melhor forma de estudar: em grupo ou sozinho?

Campanha Pesquisa de Carreiras

Entenda como funciona a assimilação do conteúdo e os tipos de aprendizado

 

Você já se perguntou se é melhor estudar sozinho ou em grupo? Essa dúvida costuma ser muito frequente na vida dos estudantes. E a resposta é: depende! Vamos te explicar o porquê:

Não existe uma forma pura e simplesmente melhor que a outra. Cada uma delas faz sentido durante um contexto diferente. A vida de um estudante de colégio é muito diferente da vida de um vestibulando, por exemplo. Entenda como essas formas de estudo podem te ajudar:
 

Antes de começar a falar sobre estudo em grupo ou individual, precisamos levar em consideração que o nosso aprendizado acontece em dois instantes:  no instante passivo (momento em que o aluno apenas recebe informações) e no instante ativo (quando ele testa seu conhecimento e vai em busca de informações complementares).

Isso quem nos contou foi Natalia Ortiz, consultora em organização e rotina escolar. Segundo ela, é justamente no aprendizado ativo que 80% dos estudantes assimilam e memorizam as informações estudadas.

O aprendizado ativo ocorre no momento em que você faz lições de casa, resolve exercícios, tira suas dúvidas, apresenta seminários e explica a matéria para outras pessoas. Resumindo: em todos os momentos que você transmite a informação.

Já o aprendizado passivo acontece quando você assiste uma aula, ouve a explicação de um professor ou, até mesmo, de outros alunos. Resumindo: em todos os momentos que você recebe a informação.
 

Isso quer dizer que eu não devo perder tempo assistindo aulas e focar na resolução de listas de exercícios?

Não. Engane-se quem pensa que esses tipos de aprendizado isolados são suficientes na vida do aluno. Eles devem ser complementares. Enquanto a forma passiva é importante para formar a sua base, a forma ativa consolida todo o seu aprendizado.

Ok, já entendi. E o que o estudo em grupo tem a ver com isso?

O estudo em grupo, quando organizado e bem-feito, também é uma das formas de mesclar e aproveitar esses aprendizados – assim como o estudo individual. Um dia você pode explicar aos seus amigos tudo sobre matemática. No outro, você vai prestar atenção na sua amiga que manja tudo sobre literatura.

O estudo em grupo permite que você receba informação, aprenda conceitos novos, tire suas dúvidas e explique tudo o que sabe. Só tem um porém: ele leva muito mais tempo do que o estudo individual.

A pergunta certa, portanto, seria: você tem tempo para estudar em grupo? Ele não é nenhum vilão. A única questão que faz vestibulandos repensarem sobre esse método e muitos professores indicarem o estudo individual é que ele requer mais tempo de dedicação. Apenas isso.

 

 

Se você vai prestar o vestibular no final desse ano, por exemplo, talvez seja necessário dar um gás nos seus estudos e praticar os dois tipos de aprendizado de forma individual. Você pode assistir aulas, aprender os conceitos, encontrar suas dúvidas, tirá-las com os professores nas monitorias e avançar de acordo com o seu desenvolvimento.

Agora, se você tem tempo de sobra, ainda está no colégio e pode deixar seu estudo mais leve, o estudo em grupo pode ser uma boa opção. Vale lembrar que o modo de estudo não interfere em sua qualidade. Isso quer dizer que se você se empenhar, pode aprender das duas formas.

É muito importante destacar também que cada pessoa tem suas particularidades. Às vezes, o que dá certo para um, não dá certo para outro.
 

Experimente e veja o que se aplica melhor na sua dinâmica de estudos e mantenha o foco! 

 

 

Campanha Pesquisa de Carreiras