Competências do Enem: confira os 5 critérios a cumprir para tirar 1000 na redação!

redação é uma das provas mais importantes do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), uma vez que a nota obtida poderá fazer toda diferença para sua aprovação. Para fazer um texto nota 1000, é necessário dominar as principais regras gramaticais bem como conhecer a fundo o tipo textual dissertativo-argumentativo cobrado na proposta de redação, entre outras competências do Enem.

Além disso, você deverá ter habilidades e repertório para argumentar e estruturar o seu texto com coesão. Para ajudar nessa missão, este post trata das 5 competências da redação do Enem e o que você precisa estudar para não perder pontos na sua produção textual.

Quer fazer uma redação épica? Confira, então, todas as nossas dicas. Boa leitura!

Quais são as competências da redação do Enem?

Para fazer uma redação nota 1000, é preciso saber as exigências do Enem em cada parte do seu texto. O exame espera que você tenha acumulado, ao longo de sua vida escolar, algumas competências de domínio da norma culta, entendimento do tipo textual pedido, estratégias de argumentação e utilização adequada dos conectivos.

Vale ressaltar que, para obter uma nota alta, é necessário dominar todas as competências: cada uma vale 200 pontos. Assim, sua nota final será uma somatória simples.

Quer saber o que você precisa estudar para dominar essa prova? Confira agora!

Competência 1

Demonstrar domínio da norma culta da língua escrita.

A primeira competência trabalha o domínio gramatical dos estudantes bem como a estética do texto escrito. Nesse ponto, o candidato deve ter conhecimento das principais normas da língua portuguesa escrita em seu padrão culto e aplicá-las à redação. As regras gramaticais serão cobradas considerando-se regência, concordância, ortografia e semântica.

A banca de correção cobrará os seguintes pontos:

  • entender as principais diferenças entre as modalidades oral e escrita(o texto não pode conter gírias, expressões coloquiais nem marcas de linguagem falada, inclusive abreviações como “tá”, “vc” etc.);
  • ter atenção às regras ortográficas e gramaticais;
  • produzir um texto com entendimento deestética geral e que respeite o número máximo de linhas (para que o texto seja corrigido, deve ter mais de 7 linhas escritas);
  • ter precisão vocabular, isto é, usar as palavras no contexto adequado e coerente;
  • saber o momento certo deusar letras maiúsculas e minúsculas;
  • compreender as regras de divisão silábicanas mudanças de linha.

Competência 2

Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas do conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Não entendeu bem o que essa competência cobra? Fique tranquilo! Ela pede que você demonstre que compreendeu adequadamente a proposta de redação. Ou seja, você precisa entender o tema em todas as suas partes e escrever, organizando as ideias de forma clara e precisa, colocando-as em prática em seu texto.

Além disso, você precisa ter uma reflexão anterior sobre os assuntos e demonstrar seu ponto de vista. Isso significa que você deve relacionar as várias áreas do conhecimento para construir sua argumentação, mostrando que seu texto é realmente dissertativo-argumentativo.

Cuidado ainda para não tangenciar o tema: se a proposta pede, por exemplo, para falar sobre os “Desafios para a formação educacional dos surdos no Brasil” (tema do Enem 2017), é preciso tocar em todos os três pontos-chave: surdos, educação e desafios. Se você tratar apenas dos deficientes de modo geral, ou dissertar sobre os surdos, sem tocar na questão educacional, tira apenas 40 pontos nessa competência. Isso também ocorre se a parte de “desafios”, ou seja, problemas a serem resolvidos, não for citada.

A banca vai avaliar:

  • a compreensão da proposta. Além de não fugir do tema, você não deverá ficar preso aos textos motivadores disponíveis. Eles servem para sua reflexão, mas não devem ser copiados;
  • o conhecimento e a relação das várias áreas do conhecimento existentes, como literatura, história, cinema, biologia, ciências, jornalismo etc.;
  • estruturação corretade um texto dissertativo-argumentativo (introdução, desenvolvimento e conclusão).

Competência 3

Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Entre as competências do Enem, esta avalia se você consegue argumentar sólida e concretamente para defender o ponto de vista (que deve ser apontado na introdução). Isso significa que as ideias presentes na sua redação precisam estar fundamentadas em argumentos comprováveis, como dados, pesquisas e visões de especialistas, ou opiniões de autoridades na área, filósofos etc.

Há diferentes estratégias de argumentação, que você pode adotar, como: analogias, dados estatísticos, comparações, causas e consequências, citações e enumerações.

Seu texto deverá contar com:

  • progressão textual(cada parte do texto deve estar conectada às demais);
  • ordem lógica, ou seja, ter início, meio e fim;
  • coerência(seu texto não deve se contradizer e nem distorcer o mundo real);
  • encadeamento de ideias(os parágrafos devem ser hierarquizados e trazer novas informações sem mudar repentinamente de assunto).

Competência 4

Demonstrar conhecimento dos mecanismos necessários para a construção da argumentação.

Para conquistar os 200 pontos dessa competência, você deverá fazer um texto coeso. Cada ideia apresentada precisa estar embasada e articulada com as demais, a fim de formar uma unidade de sentido. Além disso, você deve utilizar os conectivos mais indicados para a situação, ligando seus argumentos internos e os parágrafos, com objetivo de evitar repetições.

Seu texto deve contar com alguns elementos para ser bem avaliado na Competência 4 do Enem:

  • parágrafos bem estruturados(um bom parágrafo deve ter uma ideia central — tópico frasal —, à qual ideias secundárias serão conectadas);
  • períodos estruturados(normalmente, um texto dissertativo apresenta encadeamento de ideias, estruturadas por duas ou mais orações, expressando causa e consequência, tempo, comparação, conclusão ou contradição);
  • referências(informações, dados e fatos devem ser retomados enquanto o texto progride, o que pode ser feito com a utilização de artigos, pronomes e advérbios).

Competência 5:

Elaborar proposta de solução para o problema abordado, mostrando respeito aos valores humanos e considerando a diversidade sociocultural.

Essa competência é uma das mais importantes e menos estudada pelos candidatos. Ela também tem uma correção mais criteriosa, o que pode fazer com que sua nota caia se você não estiver preparado.

É preciso que você proponha uma solução para o problema da proposta, que seja passível de implementação e relacionada com os argumentos utilizados.

Além disso, sua proposta deve mostrar ao leitor como ela pode ser colocada em prática. Por isso, você deve informar de forma detalhada como ela pode ser aplicada na sociedade.

Antes de entregar sua redação, verifique se o texto:

  • tem uma proposta de intervenção;
  • conta com detalhes como ela será implementada(quem fará, como fará, quais são as etapas para implementação, com quais objetivos?);
  • é possível deser executada;
  • respeita os Direitos Humanos(você não deve ferir o direito à vida, à cidadania, à liberdade e à diversidade).

Como funciona a pontuação da redação do Enem?

A equipe de corretores avalia todos esses pontos para atribuir a pontuação de cada candidato. Como vimos, são 5 competências e cada uma delas vale 200 pontos — daí vem o nome de “redação nota 1000”, que é a nota máxima dessa etapa.

Então, o valor final é uma soma dos pontos conquistados em cada uma das competências. O estudante pode tirar zero na parte da proposta de intervenção, por exemplo, ao não apresentar nenhuma solução para o problema. Porém, o restante do seu texto pode estar bem escrito e ser bem avaliado.

Outro detalhe importante é que pelo menos duas pessoas corrigem cada redação. Quando há uma discordância considerável entre as notas, um terceiro avaliador pode ser chamado. Nesse caso, a nota final será a média aritmética entre as duas notas que mais se aproximarem.

Assim, as discrepâncias são minimizadas e o candidato não é prejudicado pela “opinião” de um avaliador que pode não ter gostado tanto do seu texto. Normalmente, as redações nota 1000 também passam por uma avaliação tripla.

Como se preparar para a prova?

O primeiro passo (e um dos mais importantes) você acabou de dar! Conhecer cada competência avaliada é essencial para saber o que fazer e o que não fazer na redação do Enem.

Milhares de participantes não buscam esse tipo de informação e acabam perdidos na hora de escrever o texto, cometendo erros que prejudicam a nota. Além de ter noção de como o seu desempenho será examinado, aproveite outras dicas que vão ajudar na sua preparação.

Esteja atualizado

É difícil construir uma boa redação sem estar informado sobre vários assuntos, até porque o tema é sempre uma surpresa. Então, o segredo está em ser uma pessoa atualizada e capaz de argumentar a respeito de qualquer coisa.

Esse é um trabalho que precisa ser realizado diariamente, buscando conhecimento por meio de muito estudo e acompanhando as notícias sobre o que acontece no mundo.

Uma boa dica para quem vive de olho nas redes sociais é seguir perfis que ofereçam esse tipo de conteúdo, desde que você priorize referências de qualidade. Os sites de notícias, telejornais e artigos de opinião também devem fazer parte do seu dia a dia.

Estude a gramática

Dominar a língua portuguesa é a primeira competência citada pelo edital da prova. Por mais que você apresente um bom conteúdo e tenha ideias coerentes ao longo do texto, é imprescindível fazer isso usando a forma correta da nossa língua.

Imagine ter uma ótima argumentação e tirar uma nota ruim por cometer muitas falhas gramaticais? É como nadar e morrer na praia, concorda? Para evitar que isso aconteça, estude a gramática com atenção e reveja os tópicos que você tem mais dificuldade para não chegar à prova com dúvidas.

Além disso, saiba que a leitura é uma das melhores fontes de aprendizado gramatical. Quem lê bastante tem mais chances de escrever bem!

Treine sua escrita

Por fim, não tem como deixar a prática de lado. É claro que estudar e consumir informação ajuda muito, mas sua capacidade de escrita é desenvolvida com o exercício constante.

Inclua no seu cronograma de preparação o compromisso de escrever como se estivesse fazendo a redação no dia do Enem. Escolha temas aleatórios e cronometre o tempo que você gasta para cumprir essa tarefa, pensando que o horário da prova ganha uma hora extra no dia da redação.

Acesse gratuitamente por 14 DIAS mais de 6 mil videoaulas, 30 mil exercícios, resumos teóricos e materiais complementares pra download!

Outra sugestão adotada por muitos estudantes é montar um roteiro de ideias antes de começar a escrever. Nunca deixe de fazer uma revisão minuciosa ao final para identificar os erros a tempo de corrigi-los.

Bom, agora você já sabe que a elaboração de um bom texto requer o conhecimento das competências do Enem na redação. Pensando em melhorar ainda mais os seus resultados e a chance de tirar uma nota 1000, aproveite para enviar seu texto e receber o feedback de professores experientes.

Faça seu cadastro aqui no Stoodi e garanta todos os benefícios para dar um turbo na sua rotina de estudos, incluindo a correção das suas redações.

Campanha Always On Cadastros