Ah, a Geografia! Poucas disciplinas conseguem ser tão complexas como essa. Ela traduz exatamente a tendência observada hoje em dia nos vestibulares: a mistura perfeita entre atualidades e conceitos antigos e, claro, a interdisciplinaridade vista em muitas questões do Enem e de outras provas.

Um dos temas que amarra muitas pontas e nos faz entender melhor conceitos como a desigualdade social e como ela afeta os países em uma escala global é a Divisão Internacional do Trabalho, conhecida apenas como DIT. Esse é um assunto muito atual e que certamente enriquecerá os seus estudos!

Quer saber o que é a DIT, afinal de contas? Então, continue a leitura e descubra todas as informações necessárias para que você possa começar os seus estudos sobre esse tema. Vamos lá?

O que é Divisão Internacional do Trabalho? 

Para entendermos o que é a DIT, podemos fazer uma série de analogias. Uma que costuma exemplificar bem é a de uma cidade, já que pegamos uma situação global e a reduzimos para uma realidade que podemos entender melhor.

Pense na cidade em que você mora. Imagine que ela esteja completamente isolada do resto do mundo e precise produzir todos os seus bens. É provável que as regiões mais afastadas e com maior quantidade de terras férteis ficassem responsáveis pela agricultura. Ao mesmo tempo, os bairros com maior desenvolvimento industrial ficariam encarregados de desenvolver tecnologias e maquinários etc.

É assim que funciona a DIT. Ela é uma distribuição global de atividades que cada país deve executar a fim de exportar a produção e suprir a necessidade mundial de um certo ingrediente, insumo ou produto.

Primeira Divisão Internacional do Trabalho

A primeira DIT é conhecida como a DIT do Imperialismo. Ela funcionava em um contexto no qual existiam muitas colônias nos continentes da Ásia e da África. A relação, aqui, era parecida com a do Pacto Colonial. As colônias produziam matérias-primas para as suas metrópoles se desenvolverem.

Segunda Divisão Internacional do Trabalho

A segunda DIT é conhecida como a DIT Clássica. Aqui, o mapa foi desenhado a partir do processo de descolonização africana e asiática. Com esse evento, novas nações surgiram e foi preciso incluí-las na organização mundial do trabalho. Esse período é marcado pelo endividamento das nações subdesenvolvidas, graças ao alto número de empréstimos.

Terceira Divisão Internacional do Trabalho

A terceira DIT é conhecida como DIT da Nova Ordem Mundial. Nela, há novas modalidades de comercialização que vão além de matérias-primas e produtos industrializados. Há o pagamento dos empréstimos mencionados anteriormente, o surgimento de novas tecnologias e a ocorrência de royalties.

Características da DIT

Algumas características marcantes da DIT são:

  • países emergentes ou em desenvolvimento são responsáveis por garantir a exportação de produtos de base, como matérias-primas. Entre eles, podemos citar frutas, legumes, carnes, minerais e muitos outros;
  • esses países também têm como característica a mão de obra barata e a necessidade de muitas pessoas para executar as funções;
  • os países desenvolvidos, por sua vez, são responsáveis por exportar tecnologia;
  • eles contam com uma mão de obra altamente especializada e mais cara.

Como funciona a DIT?

A DIT leva em conta questões como o desenvolvimento humano (IDH), o nível de industrialização das nações, a qualificação da mão de obra disponível e vários outros fatores para o seu estabelecimento.

A partir daí, são definidas diretrizes sobre a produção principal de cada país e como esses bens serão exportados e importados pelas outras nações. A DIT é, portanto, também atrelada a conceitos como os grupos econômicos e a Nova Ordem Mundial.

Por fim, devemos lembrar que a DIT é uma consequência direta da consolidação do capitalismo. Assim, países mais ricos ditam as regras que devem ser seguidas pelas nações em desenvolvimento ou pobres, que se tornam dependentes de sua tecnologia.

Sob uma ótica mais crítica (algo que é fundamental para a suas provas!), podemos ainda dizer que a DIT é uma manutenção do status quo. Ou seja: é de interesse dos países mais ricos manter os demais em suas condições atuais, garantindo que a sua industrialização seja adiada para que eles continuem a servir como fonte de matérias-primas baratas para a industrialização das nações abastadas.

Esse tipo de reflexão é parte fundamental do estudo da Geografia. Afinal, estamos analisando a geopolítica mundial e como ela se relaciona aos eventos históricos. Por isso, fique sempre alerta para essas relações!

divisão internacional do trabalho

Como o tema DIT pode ser cobrado no Enem e Vestibulares?

Você acha que entendeu tudo sobre a DIT? Agora, então, chegou a hora de testarmos os seus conhecimentos sobre o tema!

Antes de mostrarmos uma questão que já apareceu em um vestibular, que tal batermos um papo rapidinho? É o seguinte: muitas vezes, ao realizarmos os exercícios, ficamos extremamente frustrados com o erro. Mas tenha em mente que é assim que se aprende! Observe o seu erro nas questões e busque aprender ainda mais com ele.

Sem mais delongas, vamos lá!

(Uespi 2011) Com relação ao tema “Divisão Internacional do Trabalho”, são feitas as considerações a seguir. Uma delas, no entanto, não corresponde à realidade. Assinale-a.

a)      o centro da economia mundial representa o local do poder de comando, sendo predominantes as atividades de controle do excedente das cadeias produtivas, assim como de produção e difusão de novas tecnologias;

b)     um pequeno bloco de economias de mercado, apesar de ser dependente de tecnologia, conseguiu alcançar uma posição socioeconômica intermediária, mas ainda permanece dominado pela estrutura de poder de comando decorrente do centro capitalista mundial;

c)      a combinação entre o poder militar e as formas superiores de produção na Inglaterra possibilitou a esse país uma posição de hegemonia na economia mundial ao longo do século XIX;

d)     a Divisão Internacional do Trabalho não tende a expressar diferentes fases da evolução histórica do sistema capitalista, e sim as diferentes etapas da especialização dos trabalhadores, sobretudo nas indústrias;

e)     As dificuldades de acesso à Segunda Revolução Industrial e Tecnológica tornaram bem mais complexas as possibilidades de transição de nações periféricas para as nações do centro capitalista.

Resposta: D

E aí, o que achou de saber mais sobre a DIT (Divisão Internacional do Trabalho)? Para conhecer outras siglas importantes e entender melhor as relações que essa distribuição ocasiona em todo o mundo, confira o Plano de Estudos do Stoodi e aprofunde seus conhecimento nessa e em outras disciplinas!

Você pode gostar também