A caça às bruxas, na Idade Média, é contada até hoje por livros e filmes. Porém, não foram apenas as mulheres acusadas de bruxaria as queimadas vivas nas fogueiras. A Santa Inquisição tinha motivos ainda mais sórdidos para condenar alguém à morte.

Esse é um assunto muito comum nos vestibulares, já que é uma importante parte da história, que envolve até mesmo o nosso país. Quer saber como ocorreu a Inquisição? Continue a leitura e confira agora mesmo!

O que foi a Inquisição?

A Inquisição, também chamada de Santo Ofício, foi um tribunal formado pela Igreja Católica para condenar e punir as pessoas que tinham desvios nas normas de conduta, os hereges.

Naquela época, o catolicismo era o que dominava a Europa, mas a igreja estava preocupada com o crescimento de outras seitas. Sendo assim, em 1231, o papa Gregório IX criou o órgão para investigar os suspeitos de heresias.

Qualquer pessoa que tivesse alguma atitude suspeita poderia ser condenado as mais diversas punições, desde ser preso sem comida por alguns dias até instrumentos de tortura horríveis e morte na fogueira.

Cientistas, mulheres que usavam plantas para a cura, judeus e qualquer outra pessoa que ousasse desafiar a igreja católica poderia ser considerada herege. Dessa maneira, milhares de pessoas sofrerem com a inquisição, sendo grande parte morta. Esse tribunal teve longa duração, e só acabou no início do século do XIV.

Quais são os tipos de inquisição?

Você sabia que não foi apenas a Inquisição católica que aconteceu? Pois é! Houve também outro tipo: a protestante. Embora não seja muito conhecida, ela também torturou muitas pessoas. Conheça agora mais um pouco sobre cada uma.

Inquisição católica

O que começou com a intenção de conter a perda de poder da igreja católica, passou a ser um negócio muito lucrativo. Se no início, o tribunal de inquisição condenava os suspeitos à tortura, depois de um tempo passou a confiscar bens.

Os novos grupos da burguesia urbana já eram poderosos, atrapalhando os interesses da nobreza e do Alto Clero. Sendo assim, acusá-los de heresia permitiam tomar-lhes os bens, o que enriquecia a igreja.

A igreja aumentava cada vez mais seu rigor, condenando qualquer ato que considerasse contra os bons costumes e a fé. Por exemplo, quem não comesse carne de porco era suspeito de judaísmo. A lista de hereges ampliou para homossexuais, bígamos, iluministas e protestantes.

Inquisição protestante

O protestantismo foi um movimento da Reforma cristã liderada por Martinho Lutero no século XVI. Ele lutava contra os abusos do clero, originando assim a igreja protestante.

Porém, assim como a igreja católica, o protestantismo teve seu momento inquisitório. Em regiões onde ele já era dominante, também foram usadas estratégias de controle da fé.

Houve perseguições em nome da nova religião aos suspeitos de crimes de adultério, bruxaria e até mesmo discordância entre os dogmas dentro do protestantismo, como a respeito do batismo. Católicos também eram perseguidos, assim como judeus.

Na Inglaterra, houve a caça às bruxas, que matou centenas de mulheres. Esse exemplo foi levado para as colônias na América do Norte, onde ocorreu o famoso episódio das bruxas de Salém, em que adolescentes foram mortas por suspeita de invocarem espíritos apenas por se reunirem em volta de uma fogueira.

castelo inquisição

Como foi a Inquisição espanhola?

A Inquisição se deu em vários países da Europa, como Itália, França, Alemanha, Inglaterra e em Portugal, com as penas mais brandas, mas foi na Espanha que, em 1478, tomou proporções maiores.

Com a intenção de manter a ortodoxia católica em seus reinos, os reis Fernando II de Aragão e Isabel de Castela institucionalizaram a Inquisição Espanhola, sendo um instrumento para a monarquia absolutista.

Na época, havia muitos muçulmanos e judeus em seus reinos, e para extinguir esses povos, aderiram à Inquisição para punir, torturar e matar quem não fosse católico. Quem não se convertesse ao catolicismo era condenado, assim como os que se diziam convertidos, mas que mantinham rituais de sua antiga fé.

Na verdade, foi parte da reconquista do reino das mãos dos árabes muçulmanos. Historiadores defendem que essa foi uma maneira que Fernando usou para enfraquecer os opositores do reino. Além disso, muitos os financiadores do seu casamento com a rainha de Castela foram judeus, e o jeito de extinguir os débitos sem pagá-los era condenar os financistas. A Inquisição Espanhola perdurou até 1834.

Houve Inquisição no Brasil?

O Brasil foi colonizado em pleno auge da Inquisição Lusitana. Então, era de se esperar que ela chegasse por aqui. Apesar de não ter havido um tribunal de fato, emissários da Inquisição vieram para cá em visitas, entre 1591 e 1767.

Calcula-se que cerca de 400 pessoas foram condenadas por aqui e mais de 20 foram enviadas para serem queimadas em Lisboa. Grande parte era composta por judeus que vieram se refugiar. Outra eram brasileiros considerados hereges por conta de seus comportamentos, principalmente os curandeiros.

Como muitos novos habitantes da então colônia aprenderam a lidar com ervas com os nativos, os índios, eles eram acusados de feitiçaria. Você sabia que existe um museu da Inquisição no Brasil?

O Museu da História da Inquisição do Brasil fica em Belo Horizonte, e foi inaugurado em agosto de 2012. Inclusive, na cidade foi criado o dia da memória às vítimas da Inquisição, que é 31 de março.

O local tem uma sala de vídeo e uma biblioteca com documentos originais da época da Inquisição. Lá também estão expostas réplicas de equipamentos utilizados nas torturas.

A Inquisição foi um período longo de perseguição a quem contrariasse os dogmas e costumes da Igreja Católica. Ela foi usada para eliminar opositores e conseguir vantagens para o Alto Clero e a nobreza. Deixou milhares de vítimas, entre homens e mulheres, sendo um período de opressão e terror.

E aí, está estudando para passar no vestibular? O Stoodi vai ajudar! Entenda o que é feudalismo e trovadorismo, e confira as nossas videoaulas, planos de estudos, exercícios, que tal? Experimente agora mesmo!

Você pode gostar também