Podemos aprender muito com o histórico dos conflitos mundiais. As políticas de alianças são práticas comuns entre nações, especialmente em períodos de guerra. Na Primeira Guerra Mundial, houve uma divisão bem clara entre países europeus, que determinou algumas fronteiras geográficas e políticas atuais.

Por conta dessa relevância, é um tema frequente nos vestibulares em todo o país, assim como no Enem. Pensando nisso, preparamos este post com tudo o que você precisa saber sobre o tema. Além das explicações sobre os blocos oponentes, também elaboramos um resumo com os pontos principais e questões resolvidas para exercitar. Confira!

O que foi a política de alianças?

Durante a Primeira Grande Guerra, tivemos dois blocos principais que dividiram a Europa ao meio. As fronteiras das alianças não são apenas geográficas, criando divisões que se perpetuaram nos conflitos subsequentes e influenciaram o estado atual dessas nações.

Estima-se que 9 milhões de pessoas tenham morrido em decorrência desses eventos, baixas contadas principalmente no lado “perdedor”. A guerra estimulou um recrudescimento do nacionalismo nos países derrotados, principalmente as aliadas Alemanha e Itália, fator determinante para a eclosão da Segunda Guerra Mundial.

Contexto histórico para a formação dos blocos

Como tudo o que aprendemos em História, existia um contexto social anterior que já sinalizava as coordenadas que se seguiriam na política de alianças. A segunda metade do século XIX foi marcada por um intenso processo de industrialização nas nações europeias.

Outro fator é a recente unificação da Alemanha em um estado nacional, processo que ocorreu tardiamente com relação aos seus países vizinhos. Da mesma forma, a Itália foi outra nação que se organizou posteriormente como um país integrado, situações que contribuíram para a formação dos grupos na guerra.

Um evento determinante para o início da guerra se deu com a derrota francesa para o governante alemão Bismarck, na Guerra Franco-Prussiana. Essa situação gerou uma animosidade entre França e Alemanha, que acabou sendo um dos motivos para o conflito posterior envolvendo outros países.

primeira guerra politica das alianças

Política de alianças: blocos oponentes

Tríplice Aliança

Encabeçada pela Alemanha, a Tríplice Aliança era formada por países localizados no centro da Europa. Por esse motivo, é também conhecida como Aliança das Potências Centrais. O Estado alemão tinha receio de que a França contra-atacasse após os episódios da Guerra Franco-Prussiana, por isso buscou fortalecer suas fronteiras e conseguir aliados.

Além deles, o Império Austro-Húngaro foi outro ator importante nesse lado da guerra. Eles compartilhavam símbolos nacionais e identidade racial com os vizinhos alemães, facilitando o processo de aproximação entre as nações. Portanto, um traço importante aqui é a questão do nacionalismo, que unia ideologicamente essa aliança.

O terceiro ator da Tríplice Aliança foi a Itália. Eles já mantinham boas relações comerciais e diplomáticas com a Alemanha, além de terem, também, interesse em expandir suas fronteiras tanto no território europeu quanto africano (palco importante para muitos dos conflitos que acompanharam as grandes guerras).

Vale ressaltar que a Itália acabou abandonando a Tríplice Aliança no decorrer da guerra. Como havia uma rivalidade entre os italianos e o Império Austro-Húngaro, esta aliança acabou por não se sustentar.

Tríplice Entente

Essa aliança se agrupou durante a década de 1890. Podemos destacar a França como um dos principais atores desse conjunto, sendo responsável por atrair outros países com os mesmos interesses de combater a crescente expansão alemã.

Além dos franceses, Rússia e Inglaterra eram os outros países que formavam este trio. A França se aproximou dos russos financiando seu processo de industrialização nas últimas décadas do século XIX, portanto eles tinham uma dívida que seria transformada eventualmente em uma aliança estratégica contra os interesses alemães e do Império Austro-Húngaro.

Outra nação que estava preocupada com esse crescimento era o reino inglês, compartilhando da ideia francesa de barrar essa expansão antes que tivesse consequências mais drásticas para seus próprios territórios.

Política de alianças: resumo

Agora que você já tem uma boa ideia de como funcionaram as alianças no período da Primeira Guerra Mundial, vamos te dar um resumo com informações-chave e retomar elementos para que possa revisar e aprofundar seus estudos:

  • a política de alianças na primeira guerra era dividida entre dois grandes blocos: Tríplice Entente e Aliança;
  • o miolo do continente europeu era composto pelos países da Tríplice Aliança: Itália, Alemanha e Império Austro-Húngaro;
  • a Tríplice Entente era composta por países que contornavam geograficamente os anteriores: França, Rússia e Inglaterra;
  • apesar da união entre cada um dos lados, eles não eram grupos totalmente coesos, tendo disputas entre si que fragmentaram estas divisões;
  • o continente africano, por conta das práticas coloniais, acabou sendo palco de muitas guerras e outros conflitos como extensão das disputas que ocorriam na Europa.

Por fim, queremos que conheça nosso plano de estudos! É perfeito para quem está precisando organizar seu tempo e otimizar a rotina de estudos.

Exercícios sobre a política de alianças

Abaixo você confere alguns exercícios sobre o tema para testar os conhecimentos adquiridos até aqui. São questões resolvidas do banco de exercícios do Stoodi, mas daremos a resposta apenas no final do texto para que você possa tentar por si só!

Questão 1 – Espcex (Aman) 2012

A Primeira Guerra Mundial foi um conflito de enormes proporções, ocorrido entre 1914 e 1918, que envolveu quase todo o continente europeu e várias outras regiões do mundo. Sobre esse conflito é correto afirmar que:

a) A disputa por regiões coloniais acirrou as rivalidades entre as grandes potências, levando ao fim grandes alianças, como é o caso do desmantelamento da Tríplice Entente.

b) A chamada “paz armada” foi imposta ao final do conflito, quando os países europeus já encontravam-se desgastados com a guerra, com o objetivo de cessar os combates e evitar novos conflitos.

c) A entrada dos Estados Unidos, com seu apoio econômico e militar, ao lado da Entente, foi fundamental para a derrota da Tríplice Aliança.

d) O assassinato de Francisco Ferdinando, herdeiro do trono austro-húngaro, levou o Império austríaco, junto com a Rússia, a declarar guerra a Sérvia, dando início ao conflito.

e) Ao final do conflito, a Alemanha impôs à França a devolução dos territórios da Alsácia-Lorena, ricos em minério de ferro e carvão.

Questão 2 – UFRGS 2015

Sobre a Primeira Guerra Mundial (1914-1918), considere as afirmações abaixo.

I. Caracterizou-se pela chamada “guerra de trincheiras”, que resultou em um nível de mortandade sem precedentes na história europeia, como demonstrado na Batalha do Somme, ocorrida na França.

II. Valeu-se da chamada “guerra química”, com a utilização de substâncias letais como o gás mostarda e o fosgênio, amplamente empregada tanto pela Tríplice Aliança como pela Tríplice Entente.

III. Caracterizou-se como o primeiro conflito em que a aviação militar e a guerra aérea tiveram um papel fundamental.

Quais estão corretas?

a) Apenas I.

b) Apenas I e II.

c) Apenas I e III.

d) Apenas II e III.

e) I, II e III.

Gabarito:

Questão 1: C

Questão 2: E

Caso tenha tido dificuldades em resolver alguma coisa, dê uma olhada em nossos outros materiais a respeito da Primeira Guerra Mundial! Conhecer a política de alianças que definiu os rumos desse conflito é uma ótima forma também de antecipar os estudos e compreender o contexto de surgimento da Segunda Grande Guerra.

1 Shares:
Você pode gostar também