Probabilidade: entenda conceitos básicos sobre o tema

Probabilidade é um tema onde muitas pessoas têm um conhecimento básico sobre o que é, mas nem sempre, sabem a fundo o conceito que envolve esse estudo da matemática. 

Sendo assim, hoje, você entenderá mais sobre ela e o básico de como aplicá-la.

Aposto que já houve momentos na sua vida, seja em um jogo ou situação, em que aconteceu algum evento que você pode ter considerado muita sorte ou muito azar e pensou: “Qual a chance disso acontecer?”.

Os conceitos que envolvem a probabilidade tentam provar e quantificar a possibilidade de algumas situações acontecerem. 

Portanto, por meio desse estudo, fica muito mais palpável para qualquer pessoa tomar alguma decisão ou entender o contexto geral de algum assunto.

Pode ser algo mais simples como entender a probabilidade de uma aula de guitarra avancado sofrer algum desconto em uma época de natal ou algo mais complexo, como a de uma estratégia ou prática empresarial funcionar.

Apesar de muitos pensarem ser algo simples, acredite, probabilidade é uma matéria que oferece bastante dificuldade dependendo do contexto onde é abordada.

Principalmente, quando o número de variáveis que circundam o processo impactam diretamente no resultado final.

Inclusive, é um dos assuntos mais abordados em provas de vestibulares e no próprio Enem, principalmente por causa do raciocínio lógico envolvido.

Independentemente se é aplicado a uma situação que envolva uma escola ensino fundamental ou algo mais simplório, como o rolar de um dado.

Sem mais delongas, vamos entender um pouco mais a fundo como é importante esse tema e porquê ele é tão exigido para as pessoas mundo afora.

O conceito de probabilidade

De forma resumida e bastante direta, probabilidade é o estudo que calcula a possibilidade de uma determinada ação acontecer.

Sendo muito utilizado em ambientes empresariais e ajudando na tomada de decisão em diversos aspectos da mesma. 

O mais interessante de tudo é a quantidade de assuntos em que ela pode ser aplicada.

Desde coisas simples como a chance de saber qual a próxima carta que sairá do topo do baralho até mesmo saber o número de pessoas que podem comprar o seu caderno personalizado A4.

É um assunto debatido muito até os dias de hoje por abranger tantas áreas. Também é importante citar que, a mesma possui alguns elementos dos quais, se não forem trabalhados, não pode ser feito um estudo de probabilidade coerente. 

Eles são:

  • Experimento aleatório;
  • Ponto amostral;
  • Espaço amostral;
  • Espaços equiprováveis;
  • Evento.

Todos esses elementos, quando unidos, promovem a possibilidade de se encontrar a probabilidade de quase qualquer situação que possa surgir, se feito e calculado da maneira correta, obviamente.

Foi dito quase porque tudo dependerá da quantidade de elementos que serão utilizados para compor a chance de algo acontecer, qual a informação que você busca e o quão exato ela tem que ser.

Pensando nisso, confira agora como esses critérios influenciam no estudo da probabilidade, seja ele empregado em descobrir a chance de um computador completo vir com defeito de fábrica ou se vale a pena investir na bolsa de valores, por exemplo.

probabilidade

Os critérios da probabilidade

Como dito no tópico anterior, existem inúmeras possibilidades de se utilizar a probabilidade, porém, em seu estudo, é possível analisar a quantidade de vezes que algo pode acontecer, qual o percentual de chance de um evento ocorrer, entre outras situações.

Para facilitar o seu entendimento, confira agora como os critérios da probabilidade podem impactar no resultado final do cálculo e porquê eles são tão importantes.

01 – O Experimento sem padrão

Conhecido também como experimento aleatório, esse tipo de acontecimento simboliza tudo que não é um padrão, ou seja, o resultado, independentemente se está relacionado com um caderno de anotacoes personalizado ou em apostas de pessoas com muito dinheiro.

O experimento nada mais será do que algumas anotações sobre uma série de resultados obtidos, por exemplo, jogar uma moeda para o alto e anotar a quantidade de vezes que deu cara e a quantidade de vezes que deu coroa.

Essa prática não irá te dizer e ajudar a prever o próximo resultado, mas com toda certeza já começa a demonstrar uma certa estatística das possibilidades sobre qual o lado da moeda irá cair. Esse é um dos princípios da probabilidade.

Tenha acesso GRATUITO a mais de 6 mil videoaulas, 30 mil exercícios, resumos teóricos e materiais complementares pra download!

02 – O ponto amostral é importante

Chamamos de ponto amostral o nome que é dado para o resultado, porém, de uma forma um pouco mais formal.

Por assim dizer, independentemente se o que está sendo medido são as probabilidades de uma cadeira para escritorio com encosto quebrar ao se colocar peso nela ou qual será o número sorteado na mega sena.

Se jogarmos um dado, os resultados possíveis podem variar do 1 ao 6, e entendemos então como ponto amostral cada um dos resultados obtidos.

Dessa forma, dependendo da quantidade de possíveis resultados, os pontos amostrais podem ser maiores ou menores.

Como dito anteriormente, é apenas um modo mais bonito de dizer a palavra resultado, porém, importante para o resultado final. 

Afinal, é através dos pontos amostrais que entenderemos o próximo tópico.

03 – O Conjunto do espaço amostral

Pode-se dizer que o espaço amostral está diretamente ligado ao ponto amostral, seja para verificar a possibilidade do seu carpete de sala estar sujo ao chegar em casa ou até mesmo em identificar a probabilidade de um candidato à eleição ganhar mais votos.

Podemos definir então o espaço amostral como um conjunto de resultados, ou seja, o conjunto de pontos amostrais em um experimento aleatório. 

É normal que muitas pessoas chamem essas imensas variações como universo.

No estudo de probabilidade e de matemática em um contexto geral, o universo é representado pela letra Ω (ômega). 

Porém, por ser parte de um conjunto numérico, qualquer outro exemplo seria igualmente válido.

04 – A ideia de espaços equiprováveis

Podendo ser realizado em sua sala com uma cortina de quarto sob medida ou qualquer outro lugar que se sinta confortável, os espaços equiprováveis ocorrem quando todas as possibilidades de pontos amostrais sempre são iguais.

Quando lançamos uma moeda para o ar, antes de a pegarmos existem duas possibilidades: que o resultado será cara ou coroa. Quando trazemos essa realidade para os espaços equiprováveis, o resultado sempre será o mesmo.

Podemos pegar como exemplo um dado viciado que sempre cairá no mesmo valor.

05 – Eventos e possibilidades

Os eventos são uma espécie de subconjuntos que definem a probabilidade que algo aconteça. 

Eles podem ser divididos em algumas categorias que mostram como as estatísticas funcionam e podem ser úteis para que empresas, por exemplo, tenham uma boa estimativa sobre algo.

Primeiramente, temos o evento simples que consiste na possibilidade de que um resultado seja um elemento único. 

Como exemplo, podemos citar que, ao lançar um dado, você sabe que cairá em um valor qualquer entre o número 1 e 6.

Logo depois, possuímos o evento simples que consiste em ter certeza de algum resultado, ou seja, a chance do evento ocorrer é de 100%. 

Como exemplo, pode-se citar que, ao lançar um dado, é certo que todos os números dali são naturais.

Interessante que esses conceitos nem sempre estão ligados a números, e sim, a ideias, por isso que facilita bastante, em alguns casos, medir diversas estimativas sobre o resultado de algo que seja menos palpável.

Temos também o evento impossível que acontece quando a probabilidade de algo acontecer, como o próprio nome já diz, é inexistente, se aproximando ao conjunto vazio na matemática. Pense em si mesmo lançando um dado de 6 faces no alto.

Quando o dado cair em sua mão, com toda certeza os números serão naturais, ou seja, é impossível acontecer de um dos lados ser o valor de 4,65, por exemplo.

Por fim, existem os eventos complementares que nada mais são do que possibilidades que se completam entre si. 

Por exemplo, ao jogar uma moeda no ar, o evento A diz que cairá Cara enquanto o B diz que será Coroa.

Obviamente, um deles estará correto, mas juntos, criam o elemento necessário para o estudo de probabilidade e é assim que você deve pensar antes de estudar: sempre pensar em diversas possibilidades.

Considerações finais

Hoje, entendemos bastante sobre os conceitos que envolvem a probabilidade, o impacto que ela pode ter no dia a dia das pessoas e de algumas empresas.

Além de entender um pouco melhor sobre critérios importantes para conseguir calcular com exatidão as chances de algo acontecer.

Não é à toa que é uma matéria tão pedida em provas e vestibulares ao redor do país, principalmente, pelo raciocínio lógico envolvido para se entender a fundo como todas as peças se encaixam e funcionam bem.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Você pode gostar também
Inequação exponencial
Leia mais

Inequação exponencial

As inequações que envolvem funções exponenciais são chamadas de inequações exponenciais. Por exemplo: Para sua resolução, procura-se chegar a uma comparação de potências de mesma base para então comparar os expoentes. Utiliza-se a partir daí a informação de que: Deste fato, decorre que, se a>1: Se 0<a<1, temos: Em resumo,...

MMC – Mínimo Múltiplo Comum

Definição Dados dois ou mais números naturais diferentes de zero, chamamos de mínimo múltiplo comum, ou simplesmente MMC, o menor dentre seus múltiplos comuns. Exemplos 4 e 8 O MMC. entre 4 e 8 é o próprio 8 pois os múltiplos de 4 são {4,8,12, 16, 20, 24, 28, 32,...
Propriedades dos logaritmos
Leia mais

Propriedades dos logaritmos

Os logaritmos apresentam quatro propriedades que são muito úteis na resolução de problemas: Produto Quociente (divisão) Potenciação Mudança de base As propriedades são usadas, basicamente, para calcular novos logaritmos a partir de logaritmos já conhecidos e para resolver equações e inequações logarítmicas. Para ver exemplos de aplicação e exercícios resolvidos...