Veja um resumo completo com tudo o que você precisa saber sobre a Expansão Marítima.

10 perguntas e respostas sobre as Grandes Navegações

Você sabe o que foram as Grandes Navegações? Como elas aconteceram? Como os Portugueses chegaram ao Brasil?

Tudo isso é muito importante para você entender as relações comerciais, culturais e políticas entre diversas nações. Para te ajudar a ter uma visão contextualizada do assunto, separamos 10 perguntas e respostas para esclarecer todas as suas dúvidas e para mandar muito nas questões do Enem e vestibulares.

1. O que foram as Grandes Navegações?

As Grandes Navegações são definidas como um conjunto de expedições marítimas, praticadas por países europeus (com destaque para Portugal e Espanha), que tinham como objetivo chegar ao oriente – território conhecido naquele momento como “Índias” e famoso por suas especiarias.

2. Quando elas aconteceram?

Essas expedições marítimas aconteceram ao longo dos séculos XV, XVI e XVII, na seguinte sequência:

  • Portugal: foi pioneiro nesse processo e iniciou suas expedições durante o século XV;
  • Espanha: começaram a navegar no século XV, mas desenvolveram o trabalho principalmente durante o século XVI;
  • Expansões Marítimas Tardias: países como Holanda e Inglaterra, por exemplo, começaram suas expedições durante o século XVII. É importante lembrar que este fator negativo, não impediu a Holanda, como União Ibérica, de colonizar o Brasil.

3. Qual era o contexto histórico das Grandes Navegações?

Esse momento é marcado por muitas transformações importantes no campo econômico, intelectual, cultural e na área religiosa. Vamos entender cada um deles.

Contexto econômico

As Grandes Navegações aconteceram exatamente no momento da decadência do feudalismo como modo de produção e da ascensão do sistema capitalista.

Contexto cultural

Em relação ao campo da cultura, nós temos uma verdadeira revolução chamada Renascimento Cultural.

Contexto religioso

Nesse momento, a Igreja Católica está perdendo muitos adeptos por conta da Reforma Protestante, com o Luteranismo, Anglicanismo e Calvinismo em evidência.

4. Quais foram os fatores de causa das Grandes Navegações?

Se você está pensando “ok, mas qual era a motivação que levava alguém a deixar sua casa e sua segurança para navegar por mares perigosos?”, fique tranquilo que é exatamente isso que vamos te responder.

A burguesia europeia tem grande responsabilidade nesse processo. Com a ascensão desse grupo social, eles não tinham o mesmo status que a nobreza, porém queriam consumir e ostentar os mesmos produtos. A grande busca pelas especiarias provocou uma alta nos preços.

Tudo isso gerou um grande desconforto na burguesia, onde as cidades italianas cobravam um preço muito alto porque contavam com o monopólio pela rota comercial do Mediterrâneo.  A saída, então, foi buscar uma rota marítima alternativa que permitisse o acesso direto às especiarias.

Outro ponto muito relevante nessa decisão foi a escassez de ouro e prata na Europa. Não se esqueça que uma das características do Mercantilismo era o metalismo, que consiste na ideia de que a riqueza de uma nação é determinada pela quantidade de ouro e prata que essa nação consegue acumular.

Além disso, precisamos destacar a influência das ideias renascentistas. Durante esse período, aconteceu uma mudança na mentalidade do homem europeu, principalmente pelo antropocentrismo (o homem no centro da preocupação do próprio homem) e do racionalismo (que foi combustível para desenvolver ciências como a Geografia, confecção de mapas, bússolas e construção naval).

navio grandes navegações

5. Qual o interesse da Igreja Católica na Expansão Marítima?

A Igreja Católica estava se sentindo ameaçada com as ondas da Reforma Protestante e precisava conquistar novos fiéis. Uma forma de justificar as Grandes Navegações era a questão da busca de novas pessoas que fariam parte do mundo cristão, por isso, muitos as chamavam de Expansão de Fé.

6. Por que Portugal foi pioneiro nas Grandes Navegações?

Podemos enumerar 5 motivos que contribuíram para Portugal ser pioneiro nas Expansões Marítimas.

  1. Porque tinha uma localização privilegiada e fácil acesso para navegar;
  2. Porque o país estava em paz, sem conflito interno ou externo – já a Espanha e a Inglaterra não contavam com a mesma sorte e precisaram se preocupar com assuntos mais urgentes como a Guerra dos Cem Anos e a Guerra da Reconquista);
  3. Porque sua burguesia era muito forte e participativa no comércio marítimo;
  4. Porque Portugal não era formado de vários reinos, mas sim de uma monarquia centralizada (um país independente);
  5. Porque Portugal contava com muito desenvolvimento nas ciências náuticas.

7. Como era a relação entre Portugal e Espanha durante esse processo?

Apesar de nunca ter acontecido algum conflito direto, existia uma guerra diplomática entre as duas nações. Porém, tudo isso foi resolvido por meio de tratados.

Os tratados tinham justamente o objetivo de dividir as terras conquistadas por meio das Grandes Navegações. Podemos destacar 3 estabelecidos entre Portugal e Espanha:

1º Tratado de Toledo (1480): ele dizia que a partir daquele ano as Ilhas Canárias ficariam com a Espanha, enquanto Portugal teria o direito de monopolizar o comércio e navegação no litoral da África do Sul.

Tratado de Tordesilhas (1494): ele determinava a criação de uma linha imaginária para dividir as terras da América. Ela ficou a 370 léguas a oeste de Cabo Verde.

A Espanha ficou com as terras a oeste dessa linha e Portugal com as terras a leste.

3º Tratado de Saragoça (1529): ele determinava a criação de uma linha imaginária para dividir as terras do Oriente. A referência nesse caso seriam as Ilhas Molucas. Veja a foto:

Os tratados das Grandes Navegações

8. Quais eram as especiarias das Índias mais valorizadas nas Grandes Navegações?

As principais especiarias valorizadas no momento de Expansão Marítima são: cravo, açafrão. pimenta, gengibre, cardamomo, noz moscada, canela e ervas aromáticas (como alecrim, louro, manjericão, entre outras).

9. Quais foram as consequências das Grandes Navegações?

Chegou a hora de entender quais foram as consequências disso tudo. As Grandes Navegações geraram uma mudança do eixo econômico europeu capitalista – da região do Mediterrâneo para o Atlântico.

Como comentamos brevemente durante o nosso resumo, outro ponto importante foi o desenvolvimento do Mercantilismo, que será intensificado graças a colonização de novos territórios.

O colonialismo também será uma das consequências das grandes expedições, em especial a da América. Foi nesse momento também que aconteceu a introdução do trabalho escravo e tráfico negreiro (principalmente por parte de Portugal).

Não podemos deixar de pontuar a expansão do cristianismo no mundo e o processo de europeização do mundo, com a forte influência dos costumes, seja em relação aos hábitos alimentares, seja em relação às vestimentas.

10. Preciso fazer exercícios sobre as Grandes Navegações para fixar a matéria?

Nossa resposta é sim! Apesar de ler o conteúdo e assistir às aulas ser muito bom para você compreender esse processo, você só vai identificar o que não está mandando tão bem por meio dos exercícios.

Veja 5 exercícios com resolução e teste seus conhecimentos:

Quer aprender mais sobre as Grandes Navegações e outras matérias? Então, faça seu plano de estudos com o Stoodi e se prepare para o Enem e outros vestibulares!

Laura Loyo

Jornalista, ama uma roda de samba e ficar por dentro de todas as novidades. A Laura faz parte do time de Marketing e Conteúdo, e é conhecida como a Laura do Stoodi! Ela busca ter uma vida mais ativa, ama uma conversa de bar e adora comer comida de boteco. Saiba mais sobre a Laurinha!

Mais que um cursinho online: uma rotina de estudos perfeita para você

O caminho para a sua aprovação no ENEM E VESTIBULARES nas suas mãos!