A História, Sociologia e Filosofia são disciplinas que sempre aparecem nos vestibulares, cobrando questões complexas sobre as relações que nós estabelecemos com o mundo a partir de diversas perspectivas. Uma das formas de compreender essas relações é por meio do positivismo, uma filosofia que surgiu na França, no século XIX.

Por isso, saber o que é positivismo, seu significado e função histórica, bem como a forma em que ele aparece no Brasil é fundamental para mandar bem nas provas e entrar na sua graduação preferida.

Se você ainda não sabe o que é essa corrente filosófica, fique tranquilo! Desenvolvemos este artigo com as principais informações sobre o positivismo para você. Boa leitura!

O que é positivismo?

Como comentamos, o positivismo é uma filosofia francesa que foi fundada no início do século XIX, por Auguste Comte e John Mill, sendo que a influência mais forte foi de Comte, que se aprofundou mais nos estudos e solidificou a teoria criada pelos dois.

Em outras palavras, o positivismo é, por significado, uma linha teórica que orienta uma forma de pensar e de apreender o mundo por meio da ciência observável, com o intuito de estabelecer uma relação causal entre os fenômenos que atravessam a vida de todos nós.

Assim, por meio dessa postura, o ser humano é capaz de formar leis e regras que regem o funcionamento de todos os fenômenos observáveis, dando origem à ciência tradicional que dura até hoje, principalmente nas ciências exatas.

Por exemplo, podemos estabelecer possíveis causas para uma maçã cair da sua árvore, como um vento forte, um pássaro que tocou na fruta, a sua decomposição natural e assim por diante. Tudo isso pode ser feito de maneira observável, já que são fenômenos visíveis e passíveis de serem apreendidos pelos nossos sentidos.

Ou seja, a podridão da maçã pode ser percebida por meio do odor que ela exala ou das manchas que ela apresenta, o pássaro pode ser visto perto do galho em que a fruta estava e o vento pôde ser sentido no dia em que a maçã caiu.

Assim, descobrimos uma causa específica para a sua queda e, então, podemos analisar todos os fatores observáveis que estão presentes e que contribuíram para o acontecimento do fenômeno. Com todos esses dados em mãos, é possível criar leis que contemplam as possíveis causas da queda, como: toda a vez que uma maçã fica podre, ela cai da sua árvore.

História do positivismo

O positivismo foi criado há muito tempo, lá no início do século XIX, mas traz fortes reflexos até hoje e compõe uma história bastante atual, tanto do Brasil quanto do mundo como um todo. Para compreender como ocorre essa relação, é preciso voltar um pouco na história e analisar todo o seu percurso de formação e consolidação.

Você se lembra o que estava acontecendo na Europa no início do século XIX? Esse período ficou marcado pela transição para a modernidade, deixando de lado o pensamento escolástico e teológico e trazendo à tona a razão e o antropocentrismo como elementos fundamentais para a criação de uma sociedade justa e igualitária.

Com o surgimento da necessidade de pensar de forma racional para criar uma ruptura com a igreja, veio a urgência de desenvolver uma maneira de entender o mundo por meio da razão. Assim, Auguste Comte e outros pensadores começaram a desenvolver a teoria positivista, que visava a ordem e o progresso contrário ao pensamento teológico.

revolução francesa positivismo

Características do positivismo

O positivismo de Comte apresenta características bastante específicas e que aparecem até hoje na ciência tradicional. A principal delas é, sem dúvida, a observação. Afinal, não existe uma análise empírica sem uma observação clara dos fatos visíveis que aconteceram em determinado fenômeno.

Além disso, outro ponto fundamental da teoria positiva é a objetividade, já que todas as coisas devem ser explicadas por meio de uma lógica clara que crie leis viáveis e previsíveis, isto é, que servem como orientação para a criação de técnicas de prevenção contra determinado acontecimento negativo.

Escola positivista

É importante ter em mente que além do conhecimento científico e a importância acadêmica que o positivismo trouxe, ele também permitiu a criação de uma nova forma de pensar, dando origem à escola positivista, ou seja, uma maneira de compreender o mundo e suas relações por meio dessa filosofia.

Assim, diversas pessoas começaram a implementar as teorias positivistas nas suas casas e, principalmente, na educação, considerando o altruísmo, a disciplina e a razão como base fundamental para o estabelecimento de relações saudáveis e duradouras.

Auguste Comte: positivismo

Ao longo deste artigo, nós comentamos sobre um dos principais criadores do positivismo: Auguste Comte. Mas, afinal, quem foi ele e qual foi a sua contribuição para o desenvolvimento dessa filosofia?

Comte foi um filósofo francês do século XIX que dedicou a sua vida aos estudos da ciência positivista e à quebra da teologia como fonte principal de conhecimento, sobretudo após as dificuldades sociais que a França viveu com o final da Revolução Francesa.

Com a lógica moderna que Auguste criou, ele foi compreendendo a necessidade de ter uma ciência que estudasse a sociedade e as relações humanas dentro dela. Assim, ele fundou a Sociologia, relacionando-a em um primeiro momento com o positivismo.

Positivismo no Brasil

No início deste artigo, comentamos que os reflexos da teoria positivista são fortes e estão presentes na nossa sociedade. Afinal, foi esse movimento que possibilitou a consolidação da ciência e a ruptura com o conhecimento teológico, criando espaço para o surgimento das universidades que olhassem para o caráter científico dos fenômenos.

O positivismo no Brasil ganhou força somente no final do século XIX e início do século XX, em que as ideias de Comte são exploradas por pensadores brasileiros e possibilitam a Proclamação da República do Brasil. Não é à toa que a bandeira brasileira carrega como lema “Ordem e Progresso”, referindo-se à concepção comtiana de mundo, ciência e sociedade.

Curiosidades

Além dos conceitos principais do positivismo, é importante prestar atenção em algumas curiosidades que podem aparecer nas provas por meio de contextualizações. A seguir, você pode conferir uma pequena lista com as principais curiosidades sobre a teoria positivista.

  • Auguste Comte criou a palavra “altruísmo” para compor a sua teoria;
  • o positivismo foi muito criticado pela Escola de Frankfurt, assim como pelas teorias sociológicas e filosóficas de Karl Marx;
  • a escola positivista teve como precursora as teorias de Jean-Jacques Rousseau e Montesquieu;

Exercícios

Preparar-se para o vestibular não é tarefa fácil. Para mandar bem nas provas de História e Sociologia, é muito importante focar nos estudos e revisar bem os conteúdos, realizando exercícios para fixar tudo o que você aprendeu durante as aulas.

Por isso, nós separamos abaixo um exercício sobre positivismo que caiu na UNICENTRO (2011) para você.

Para Augusto Comte, uma das funções da Sociologia ou Física Social era encontrar leis sociais que conduzissem o progresso da humanidade. Sobre os estágios do progresso social discutidos pelo autor, é correto afirmar:

  1. o estágio teológico nega a existência de apenas uma explicação divina para os fenômenos naturais e sociais;
  2. o positivismo é o estágio superior do progresso social, porque se sustenta nos métodos científicos;
  3. o estágio mais simples é o mítico, seguido pelo teológico e pelo científico, que é o mais elaborado;
  4. o primeiro estágio do conhecimento é o metafísico, em que conceitos abstratos explicam o mundo;
  5. a Europa exemplificava uma sociedade em estado de desenvolvimento teológico.

Você percebe como o positivismo ainda está entre nós? É por isso que ele pode aparecer facilmente na sua prova do Enem, cobrando de você um conhecimento aprofundado sobre o que é ciência e sociologia, além de, é claro, as principais características do positivismo.

E então, o que achou do nosso artigo? Aproveite para se organizar com o nosso plano de estudos e desenvolver um cronograma eficiente para mandar bem nas provas!

1 Shares:
Você pode gostar também
O que é o amor para a Filosofia?
Leia mais

O que é o amor para a Filosofia?

Veja o que a Filosofia diz sobre o amor. Neste post, o professor de Filosofia do Stoodi, Edu Baez, explica os diferentes tipos de amor e como a sociedade vive esse sentimento tão popular e presente na sociedade moderna.