Você sabe o que é o Humanismo? Originado na Itália durante o século XV, esse movimento ficou conhecido por criar rupturas na forte influência da igreja católica e da lógica religiosa na Idade Média. Assim, as crenças de que o Deus deveria ser o centro do universo transformaram-se na aceitação de que o ser humano é o foco de interesse de todos.

Essa transformação do paradigma social, cultural e econômico contribuiu para uma enorme mudança nos padrões sociais da época, tanto que a população mundial passou por modificações ao longo da transição entre a Idade Média e o Renascimento.

Para aprofundar seus conhecimentos sobre essas grandes diferenças históricas e culturais no vestibular, nós desenvolvemos este artigo com as principais informações sobre o Humanismo para você mandar bem nas provas. Acompanhe!

O que é Humanismo?

Como você já deve ter percebido, o Humanismo é um movimento social, econômico e cultural que modificou diversos paradigmas da Idade Média e datou o início do Renascimento. Isso porque ele investiu na transformação entre o teocentrismo — Deus como centro da nossa atenção — para o antropocentrismo — seres humanos em foco.

Com essa grande valorização da figura humana e, por consequência, de todos os assuntos que dizem respeito à nossa existência e formas de relação interpessoal, a maneira como a população percebia a sociedade se modificou. Afinal, as explicações para a nossa realidade deveriam partir da lógica racional em vez da religiosa e sobrenatural.

O movimento foi tão intenso que a ciência começou a ser desenvolvida para sustentar as hipóteses antropocentristas, assim como as Artes e a Literatura foram afetadas a fim de separar o contato com a religião. Assim, aos poucos a visão religiosa começou a perder sua força e a concepção do ser humano como foco ficou fortalecida.

Humanismo renascentista

No início deste artigo, explicamos que o movimento humanista marcou o início do Renascimento, você se lembra? Pois é, dificilmente os professores abordam com profundidade os temas humanistas, orientando a atenção para as características principais do Renascimento e seus grandes feitos para a sociedade contemporânea.

Acontece que, sem conhecer a base que sustentou essa transformação histórica, torna-se muito mais difícil compreender o que motivou as mudanças nos padrões sociais da época e fez com que a igreja deixasse de ser o centro das atenções. Vamos lá: como você deve imaginar, no fim da Idade Média o sistema feudal entrou em crise em função do fortalecimento da burguesia, certo?

Aos poucos, a imprensa e as grandes navegações trouxeram outra perspectiva que nunca tinha sido pensada antes: nem tudo pode ser guiado pela religião. Afinal, os descobrimentos de outras regiões e culturas permitiram que diversos filósofos questionassem a existência divina, visto que a Europa não era o único continente presente na Terra.

Além disso, o Humanismo trouxe um movimento intelectual muito forte, garantindo que as ciências fossem desenvolvidas a fim de trazer mais conhecimento para os seres humanos, principalmente as aprendizagens que não se relacionassem com conceitos religiosos e dogmas católicos.

catedral dogmas humanismo

Assim, iniciou-se o Renascimento, que ficou marcado na História pelas mudanças artísticas realizadas. Afinal, os pintores e escritores da época utilizaram as transformações sociais como inspiração para construírem suas obras de arte, evidenciando todas as mudanças paradigmáticas que ocorreram em função do Humanismo.

Características do Humanismo

O Humanismo teve como principal fator de criação os aspectos sociais e econômicos da Europa. Explicamos que a burguesia teve início nesse momento de transição entre a Idade Média e o Renascimento e, essa nova classe revolucionou os padrões sociais.

Isso porque os comerciantes iniciaram uma disputa territorial e de poder com os nobres, ganhando importância na região e marcando o decaimento do feudalismo. Alinhado a isso, a Europa começou a viver uma crise de saúde pública em função da Peste Negra, que fomentou ainda mais a oposição contra a monarquia — que, inclusive, era auxiliada pela igreja católica.

É por isso que o sistema antropomórfico foi tão difundido socialmente, visto que a população não estava satisfeita com a fome e a miséria em que vivia, enquanto os burgueses queriam ascender socialmente a fim de fortalecer o início do seu capital. Por outro lado, a monarquia desejava manter o seu status quo e continuar governando os países europeus.

É aqui que surgem, então, duas características fundamentais do Humanismo:

  • racionalismo;
  • naturalismo.

Enquanto a primeira busca distanciar os dogmas religiosos e os critérios científicos e racionais, a segunda tem como objetivo valorizar a natureza e visualizar o ser humano como parte dela.

Isso quer dizer que todos os fenômenos físicos, biológicos e químicos precisam apresentar uma explicação pautada na própria natureza, evitando um esclarecimento sobrenatural e, é claro, religioso. Portanto, o racionalismo tomou força e permitiu o desenvolvimento do pensamento científico que se consolidou na Idade Moderna.

Além desses tópicos, existem outras características fundamentais que determinam o que foi o Humanismo e como ele contribuiu para o mundo científico que vivemos atualmente, como:

  • distinção entre música e poesia, marcando uma nova forma de fazer arte;
  • descrição detalhada da figura humana;
  • descentralização do conhecimento e do poder, que eram controlados pela igreja e pela monarquia após o sistema feudal.

Humanismo nas artes

O Humanismo na Literatura e nas artes foi capaz de transformar a forma como os pintores e escritores desenvolviam suas obras. Afinal, o que antes era considerado esteticamente apelativo agora não é mais bem visto socialmente. Em outras palavras, na Idade Moderna as pinturas mais valorizadas eram aquelas que remetiam ao sobrenatural e à igreja católica.

Após a transição para o Renascimento, poucas pessoas desejavam ter em seus lares obras que representassem a força e o poder da igreja em conjunto com a monarquia. Além disso, os artistas tinham como premissa básica a utilização da arte como veículo de crítica social, evidenciando temas comuns entre a população.

Como consequência, as obras literárias e as grandes pinturas e esculturas apresentavam traços renascentistas e demarcavam os ideais humanistas, sendo que o principal deles era a distinção entre teocentrismo e antropocentrismo. Aqui, podemos citar alguns dos nomes mais conhecidos, como:

Principais produções literárias

Para concluir o nosso artigo, não poderíamos deixar de falar sobre as principais produções literárias da época, não é mesmo? Isso porque os vestibulares costumam cobrar questões sobre as obras renascentistas para identificar seu conhecimento sobre a importância da Literatura na formação humana e, é claro, do conhecimento científico para a contemporaneidade.

Nesse sentido, quatro categorias literárias foram criadas por autores do Humanismo na Literatura. São elas:

  • poesia humanista: marcou a separação entre a poesia e a música;
  • crônicas históricas: buscavam relatar a vida da monarquia a partir de documentos históricos, necessitando de objetividade para se relacionar com a razão;
  • novelas de cavalaria: compunham o mundo do entretenimento ao desenvolver histórias de ficção que apresentavam personagens heroicos, leais e às vezes religiosos;
  • textos teatrais: foram divididos em autos e farsas, sendo que os primeiros são caracterizados como peças curtas e bíblicas e os segundos como peças que retratavam o dia a dia da sociedade de forma cômica.

Vale ressaltar que, entre todas as categorias, diversos autores do Humanismo na Literatura foram reconhecidos, como Gil Vicente e Fernão Lopes, com as obras Crônicas El-rei, a Farsa de Inês Pereira e O auto da Barca do Inferno.

O Humanismo foi um movimento essencial para demarcar o fim da Idade Média e o início do período renascentista, garantindo transformações ideológicas, sociais, culturais e psicológicas. Aos poucos, foi possível consolidar a importância da ciência para a sociedade e distinguir os dogmas religiosos da razão humana para evitar o teocentrismo e fortalecer o antropocentrismo.

Agora que você já conhece o que foi o Humanismo, que tal colocá-lo no seu planejamento de estudos para fortalecer sua aprendizagem? Aproveite para conhecer o nosso plano de estudos e monte uma organização eficiente para mandar bem nas provas!

0 Shares:
Você pode gostar também