Surgido no Rio de Janeiro, o movimento intitulado Neoconcretismo foi um marco na arte brasileira e se opôs ao Positivismo e também ao movimento Concretista de São Paulo. Foi um divisor de águas na história das artes visuais, sendo um tema recorrente em questões tanto no Enem quanto nos demais vestibulares. Por isso, é importante você se inteirar sobre essa fase ocorrida na década de 50.

Com o objetivo de auxiliar em sua preparação, elaboramos este post traçando um panorama sobre o período. Confira!

O que é o Neoconcretismo

Como o próprio nome sugere, o Neoconcretismo foi um novo olhar sobre as obras de arte, fazendo duras críticas ao Movimento Concretista de São Paulo.

Seja nas artes plásticas, nas esculturas, performances ou literatura, o Neoconcretismo criticava o movimento paulista e defendia o subjetivismo da arte, ou seja, também não concordava com o racionalismo e nem com o cientificismo.

Também conhecido como Movimento Neoconcreto, as ideias tiveram como grande influenciador o filósofo francês Merleau-Ponty (1908-1961) e foi inaugurado em 1959, no Rio de Janeiro.

Entre os brasileiros, houve vários artistas que aderiram ao movimento, em especial o poeta maranhense Ferreira Gullar e a artista plástica mineira Lygia Clark.

Foi um momento de enxergar as obras pela intuição, pela expressão cósmica orgânica, batendo de frente com a geometria atribuída aos engenheiros e físicos.

O Neoconcretismo propôs um olhar que transcendesse as obras, indo ao encontro da sensibilidade dos artistas. Foi uma forma de exprimir a complexa realidade do homem moderno dentro da linguagem estrutural da nova plástica.

neoconcretismo
(Foto: Reprodução)

Diferença entre Concretismo e Neoconcretismo

As diferenças já começam no surgimento de cada movimento. O Concretismo começou em 1950, em São Paulo, tendo influências do suíço Max Bill (1908-1994) e do russo Vladimir Maiakovski (1893-1930).

Já o Neoconcretismo começou no Rio de Janeiro, em 1959, sob influência de um filósofo francês, fazendo uma reação ao Concretismo.

Enquanto o movimento paulista incentivava a precisão nas formas dos desenhos, com a utilização do Cubismo e defesa da racionalidade, da lógica e do cientificismo, a ala carioca criticava a tendência quadrada e dogmática.

Por isso, o Neoconcretismo defendia que o racionalismo roubava a qualidade das obras de arte, afastando o olhar frio como se as produções fossem meras máquinas.

As lideranças também se divergiam entre ambos os movimentos. Em São Paulo, tinha como fortes nomes os poetas Augusto e Haroldo de Campos, além de Décio Pignatari.

Já no Rio, o poeta maranhense Ferreira Gullar e a artista plástica mineira Lygia Clark eram os principais influenciadores dos adeptos. Inclusive, foi Gullar o autor do Manifesto Neoconcreto, como explicaremos a seguir.

Manifesto Neoconcreto

Redigido pelo poeta Ferreira Gullar, o Manifesto Neoconcreto foi uma maneira de explicar à sociedade no que consistia o Movimento, inclusive para atrair mais adeptos da nova tendência na arte brasileira.

Divulgado na edição do dia 23 de março de 1959 do Jornal do Brasil, o Manifesto foi lido primeiramente na I Exposição de Arte Neoconcreta do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, devidamente aprovado por seus idealizadores.

O conteúdo estava diagramado em um suplemento especial e também continha desenhos de artistas do movimento, como Lygia Clark, Lygia Pape, Amílcar de Castro, Franz Weissmann, entre outros.

Entre os seus trechos, ficam evidentes as fortes oposições ao Concretismo, tais como a descrita logo no primeiro parágrafo do Manifesto:

A expressão neoconcreto indica uma tomada de posição em face da arte não figurativa “geométrica” (neoplasticismo, construtivismo, suprematismo, escola de Ulm) e particularmente em face da arte concreta levada a uma perigosa exacerbação racionalista.

E continua:

(…) O neoconcreto, nascido de uma necessidade de exprimir a complexa realidade do homem moderno dentro da linguagem estrutural da nova plástica, nega a validez das atitudes cientificistas e positivistas em arte e repõe o problema da expressão, incorporando as novas dimensões “verbais” criadas pela arte não-figurativa construtiva. (…) Não concebemos a obra de arte nem como “máquina” nem como “objeto”, mas como um quase-corpus, isto é, um ser cuja realidade não se esgota nas relações exteriores de seus elementos; um ser que, decomponível em partes pela análise, só se dá plenamente à abordagem direta, fenomenológica.

E critica também a estrutura da poesia Concreta, evidenciando as suas convicções:

(…) No tempo e não no espaço a palavra desdobra a sua complexa natureza significativa. A página na poesia neoconcreta é a espacialização do tempo verbal: é pausa, silêncio, tempo. …..a poesia neoconcreta devolve-a à sua condição de “verbo”, isto é, de modo humano de apresentação do real.

Características do Neoconcretismo

Como já descrevemos em alguns momentos ao longo deste post, o Neoconcretismo tem características bem próprias e contrárias ao Concretismo.

Foi um momento significativo das artes, considerado um divisor de águas, impondo um verdadeiro choque entre São Paulo e Rio de Janeiro no quesito de produções como esculturas, poesias etc.

Assim, houve inúmeras características que vale a pena você se atentar para saber o que estudar para mandar bem no Enem, tais como:

  • fez críticas ao Concretismo, bem como ao positivismo, cientificismo e ao materialismo;
  • defendeu a subjetividade e intuição, valorizando a expressão artística;
  • colocou-se em prol da interação do público com as obras;
  • trouxe mais liberdade nas experiências e criações;
  • fez uso de formas geométricas, mais cores e abstracionismo;
  • viés humanista e existencialista;
  • apoia a transcendência da arte.

Arte neoconcreta

A arte neoconcreta trouxe uma renovação ao que se conhecia como linguagem geométrica, apresentando obras com cores mais vibrantes e com traços que evidenciavam o sentimento dos artistas.

Podemos citar as esculturas de Amílcar de Castro, com forte apelo emocional em materiais rígidos como o ferro.

O artista Hélio Oiticica também inovou e fez sucesso com as séries dos Bilaterais e Relevos Espaciais.

A obra Trepantes, de Lygia Clark, fez com que as formas conquistassem o espaço, rompendo distâncias e aproximando os espectadores da produção artística.

Dessa maneira, a arte neoconcreta foi decisiva para ampliar as reflexõese fazer com que o público interagisse com as obras.

Poesia neoconcreta

 A poesia do Neoconcretismo foi de vanguarda, libertária e contribuiu para o surgimento de novas produções com um viés mais solto e coloquial, tal como a que se segue de autoria de Ferreira Gullar:

Mar Azul

mar azul

mar azul marco azul

mar azul marco azul barco azul

mar azul marco azul barco azul arco azul

mar azul marco azul barco azul arco azul ar azul

Obras do Neoconcretismo

Inúmeras obras marcaram o período em que o Neoconcretismo vigorou, muitas influenciando o desenvolvimento do Brasil.

Inclusive, tanto o movimento quanto o Concretismo foram fundamentais para a construção de Brasília em apenas cinco anos, renovando as esperanças do país. Veja algumas obras de destaque:

  • Relevos Espaciais, de Hélio Oiticica;
  • Relógio de Sol, de Lygia Clark;
  • Livro da Noite e Dia, de Lygia Pape;
  • Sem Título, de Ferreira Gullar etc.

Neoconcretismo no Brasil

Apesar de ter durado até meados da década de 60, as influências do Neoconcretismo foram importantíssimas para a arte brasileira.

Foi um momento de apresentar novos caminhos ao geometrismo que surgia, trazendo mais criatividade às produções artísticas e contribuindo para uma reflexão bem intuitiva por parte do público.

Assim, houve uma efervescência nas produções, com fortes influências nas áreas de arquitetura, design, artes plásticas, literatura e artes visuais, ou seja, trouxe novos olhares para despertar o segmento.

Portanto, o tema é de suma importância e deve ser estudado dentro de sua preparação para o Enem, pois o Neoconcretismo revolucionou e movimentou o meio artístico em uma época em que o tradicionalismo paulista predominava nas produções artísticas.

Viu como a história da arte é interessante? Quer aprender mais? Então aproveite e leia nosso guia completo sobre as artes, no qual trazemos um panorama completo sobre o assunto! E não deixe de conhecer o nosso plano de estudos com foco no Enem!

Você pode gostar também