Definir o melhor curso para você não é uma tarefa fácil, não é mesmo? Normalmente, muitas variáveis passam pela cabeça. As pequenas experiências profissionais nem sempre são fáceis para que o martelo seja batido. Além disso, as pressões dos amigos e dos pais podem fazer com que seja ainda mais difícil.

Entretanto, a boa notícia é que é possível ter mais informações sobre os cursos disponíveis. Com uma boa pesquisa na Internet, você terá as informações que precisa para tomar sua decisão.

Se você tem interesse por cursos de tecnologia, verá neste post se a Engenharia da Computação é a melhor escolha. Além disso, entenderá como diferenciar de outro queridinho do público geek, a Ciência da Computação.

Quer tomar sua decisão agora? Então, confira tudo que a gente tem para passar para você. Boa leitura!

O que é Engenharia da Computação?

Quem deseja seguir carreira em Engenharia da Computação deve ser capaz de projetar e construir softwares e hardware. Essas palavras soam complicadas para você? Então, faremos uma pequena revisão.

Pode-se dizer que o hardware é a parte visível do computador ou dispositivo, tanto a parte estrutural quanto os periféricos (itens como monitor, mouse e teclado). Nessa área, o profissional é capaz de integrar circuitos eletrônicos dos dispositivos, desenvolvendo placas para ligar o equipamento e os acessórios.

Já os softwares são considerados como uma sequência de instruções que o hardware deve obedecer. Em bom português, são as aplicações programadas, que englobam desde o sistema operacional utilizado, até os programas mais complexos.

Nessa área, o engenheiro da computação é responsável por criar programas e aplicativos para os fins mais variados.

Resumo do curso

Nos primeiros semestres, o aluno cursa disciplinas do módulo comum de engenharia, como cálculo, geometria analítica, física e química. Além disso, é comum que mesmo nesses semestres iniciais, o discente já tenha acesso às matérias específicas, como Programação de Sistemas, Sistemas Digitais e Estrutura de Dados.

Após o quinto semestre, o curso é ainda mais específico com matérias como Inteligência Artificial, Redes de Computadores, Sensores, Sistemas Embarcados etc.

Se você gosta de muita física e saber sobre o funcionamento de equipamentos computacionais, tanto nos programas quanto, principalmente, nos computadores, esse curso pode ser para você. Porém, você deve estar interessado, também, nos salários, não é? Então, veja agora qual é a média salarial.

Engenharia da computação: salário

O salário médio de um engenheiro de computação no Brasil é de R$ 6.429,00. O Rio de Janeiro é o estado em que a remuneração média é maior, R$8.080. A especialidade que rende o maior ganho médio é o engenheiro de aplicativos em computação.

Outras especialidades interessantes são Sistemas Operacionais em Computação, que ganha cerca R$ 6.316 e Equipamentos em Computação, que recebe cerca de R$ 5.851.

Vale lembrar que o salário está relacionado com variáveis importantes como experiência, entendimento do trabalho em equipe, cursos, pós-graduação e desempenho. Além disso, o estado de atuação pode ser determinante para que o valor seja mais alto ou mais baixo.

Uma forma interessante de conseguir experiência é a partir de um estágio na área de atuação. Veja agora como isso funciona!

Estágio: Engenharia da Computação

Quem disse que precisa ser formado para começar a ganhar os primeiros salários? Além de conseguir uma experiência importante para o futuro, o discente em Engenharia da Computação já pode ter uma boa prévia do salário que o esperará ao fim do curso.

É fácil encontrar vagas de estágio disponíveis em sites de emprego. Atualmente, a média é próxima dos 2 mil reais. Embora muitas pessoas pensem que o valor é baixo, é importante lembrar que ele está dentro (e até superior) do que se encontra para várias carreiras.

Além disso, outra opção é fazer processos seletivos para trainee, que é um programa para treinamento e aprendizado. Visa formar profissionais que estejam de acordo com os padrões de qualidade adotados pela empresa.

Embora nem sempre seja exigido ter experiência, é importante que o candidato tenha maior maturidade profissional do que o estagiário. Além disso, ele terá oportunidade de desenvolver suas atividades sem supervisão (já que recebe, antes, o treinamento necessário).

Como uma das principais funções do programa é preparar o profissional para atuar dentro da empresa, a chance de efetivação após o período determinado é maior.

Duração do curso

Como a maior parte dos cursos de engenharia, a duração normal do curso de Engenharia da Computação é de 5 anos.

Então, esteja pronto para passar vários anos estudando e se preparando para atuar no mercado de trabalho de forma inovadora ou mesmo para continuar os estudos.

Curso de Engenharia da Computação

O curso de Engenharia da Computação é conhecido por ser uma mistura de outros dois: Ciência da Computação e Engenharia Elétrica. Vamos descobrir um pouco mais sobre ele? Confira agora!

Nota de corte: Engenharia da Computação

Para ajudá-lo na sua tomada de decisão, veja quais são as notas de corte para as universidades públicas do país., utilizando o Sistema de Seleção Unificado (SISU):

Maiores notas

  • Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (Campus de Fortaleza): 857,00 (Matutino);
  • Universidade Federal do Pará (Cidade Universitária): 812,00 (Matutino);
  • Universidade de São Paulo (Escola Politécnica): 806,00 (Integral);
  • Universidade Federal do Pará (Cidade Universitária): 798,00 (Vespertino);
  • Universidade Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Triângulo Mineiro (Campus Avançado de Uberaba): 789,00 (Integral).

Menores notas

Quer saber quais são as instituições em que foi possível ser aprovado mesmo tendo notas mais baixas? Veja agora!

  • Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso (Cuiabá): 629,00 (Integral);
  • Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Catarinense (Campus São Bento do Sul): 633,00 (Integral);
  • Universidade Federal de Mato Grosso (Campus Universitário de Várzea Grande): 642,00 (Integral);
  • Fundação Universidade Federal do Pampa (Bagé): 647,00 (Noturno);
  • Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Minas Gerais (Bambuí): 650,00 (Integral).

Grade curricular: engenharia da Computação

A grade curricular de o curso de Engenharia da Computação, normalmente, conta com um ciclo básico de matérias exatas, como Cálculo, Física, Química e Álgebra Linear. Além disso, outras disciplinas importantes que fazem parte do currículo são:

  • Análise de Algoritmos;
  • Automação de Processos e Controle;
  • Banco de Dados.
  • Cinemática dos Sólidos;
  • Circuitos Lógico-Digitais;
  • Computação Gráfica;
  • Desenho Técnico;
  • Estrutura de Dados;
  • Engenharia de Software
  • Geometria Analítica;
  • Inteligência Artificial;
  • Programação Orientada a Objetos;
  • Programação para a WEB;
  • Sistemas Operacionais.

Engenharia da Computação: EAD

Não tem muito tempo para ir à universidade todos os dias? O Ensino à Distância pode ser a solução para você.

O fato de o curso não ser presencial não precisa, necessariamente, afetar a qualidade de ensino. Há diversas instituições que têm métodos de ensino para que o aluno consiga aprender mesmo sem estar em sala de aula.

Está pensando nas aulas práticas? Não se preocupe, você não ficará sem frequentá-las. Mesmo no formato EAD, há diversas atividades que devem ser realizadas presencialmente, como as aulas práticas, em laboratórios, provas, estágios e a apresentação do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC).

Algumas das instituições que podem fornecer o curso nesse formato são:

  • Centro Universitário do Distrito Federal (UDF);
  • Centro Educacional Anhanguera (ANHANGUERA);
  • FMU (COMPLEXO EDUCACIONAL) – EAD LAUREATE;
  • Universidade Cidade de São Paulo (UNICID);
  • Universidade Cruzeiro do Sul (UNICSUL);
  • Universidade Estácio de Sá (UNESA);
  • Universidade de Franca (UNIFRAN).

Lembre-se sempre de que é importante que você seja organizado para estudar, mesmo sem precisar de ir à sala de aula todos os dias. Por isso, coloque em sua agenda um período para estudar todos os dias. O fato do curso ser a distância não faz com que seja necessário estudar menos. Ao contrário, sua dedicação será fundamental para que você tenha uma boa formação.

O curso presencial faz mais o seu estilo? Não tem problema. Opções não faltam para que você consiga atingir seus objetivos e fazer o curso de Engenharia da Computação.

engenharia da computação

Engenharia da Computação: USP

O curso de Engenharia da Computação da Universidade de São Paulo (USP) está entre os 7 que obtiveram nota máxima no ranking do Guia do Estudante. O curso é oferecido tanto em São Paulo quanto em São Carlos.

Na Universidade de São Paulo, um dos grandes objetivos do curso de Engenharia de Computação é formar profissionais com extraordinária capacidade para exercer as atividades que estejam relacionadas com a ciência da computação e engenharia elétrica.

Os discentes devem ser capazes de acompanhar as mudanças que são rapidamente observadas nos mais variados setores da economia. Para tanto, a universidade disponibiliza matérias complementares para que o profissional consiga se encontrar no mercado e gerenciar a ênfase desejada em seu currículo.

Os alunos poderão optar por:

  • computação móvel e sistemas de comunicações;
  • sistemas embarcados;
  • sistemas computacionais avançados e robótica.

Dessa forma, a proposta pedagógica deseja fazer com que os alunos tenham um perfil diferenciado ao que já é encontrado em várias universidades do país. Para tanto, a experiência científica, pedagógica e tecnológica da universidade tem muito valor.

Engenharia da computação: Unip

Vai escolher entre uma universidade particular? Então, uma boa opção é a Universidade Paulista (Unip). O curso é oferecido nos seguintes campos:

  • Anchieta;
  • Goiânia;
  • Indianópolis;
  • Manaus;
  • São José dos Campos.

O curso tem valor de R$ 2.139,64. Se o valor for alto, é possível encontrar bolsas que chegam até 73% desse valor, aumentando as chances de conseguir fazer o curso.

Pós-graduação Engenharia da Computação

Continuar os estudos mesmo depois da conclusão do curso é uma boa estratégia para conseguir melhores posições no mercado e até mesmo alçar vôos na área acadêmica.

Mesmo quem deseja trabalhar diretamente com a informática ou montar seu próprio negócio terá benefícios, uma vez que poderá se especializar nas áreas de conhecimento do seu interesse.

Caso queira conciliar com outros ramos da engenharia, por exemplo, também não há problemas. É possível dar ênfase para Automação, Controle, Elétrica, Eletrônica.

Outras possibilidades são fazer mestrado e doutorado. Se isso já passa pela sua cabeça, procure aproveitar as oportunidades que aparecerão na graduação. Monitorias, projetos de pesquisa e iniciação científica são provas de como funciona o dia a dia de um pesquisador e docente de uma grande universidade.

Além disso, a experiência acadêmica será um fator importante para os processos seletivos em mestrado e doutorado nas grandes universidades do Brasil e do mundo. Veja agora um pouco mais sobre isso.

Mestrado

No caso de desejar prosseguir ainda mais em seus estudos, o mestrado é uma excelente opção. Uma das mais procuradas instituições é o IME (Instituto Militar de Engenharia).

As linhas de pesquisa são sobre:

  • Metodologia da Computação;
  • Sistemas de Computação;
  • Engenharia de Sistemas e Computação.

Além de outras opções no Brasil, como o Instituto Tecnológico de Aeronáutica, o aluno pode tentar continuar os estudos em universidades fora do país. Algumas das principais são:

  • Cornell Tech, Nova York;
  • University of Deusto, Bilbao;
  • Ben-Gurion University of The Negev, Berseba.

Doutorado

Normalmente, será necessário cursar mais quatro anos para conseguir se tornar um doutor em Engenharia da Computação. A formação é indicada para quem deseja seguir a carreira docente (ser professor universitário) ou mesmo se tornar um pesquisador na área.

Dentro do país, um dos grandes destaques é para o Instituto de Computação da Universidade de Campinas (UNICAMP). Caso o desejo seja ir para fora do Brasil, procure saber sobre:

  • o doutorado em Filosofia em Engenharia da Computação, no The George Washington University (Washington);
  • doutorado em Engenharia Elétrica e de computação, no Clarkson University Graduate School, em Potsdam;
  • Phd em Ciência da computação e Engenharia, na Koc University, em Istanbul.

Profissional de Engenharia da Computação

O curso é destinado a profissionais que desejem trabalhar com a integração entre software e hardware. Os principais ambientes são:

  • automação industrial;
  • arquitetura de computadores
  • comunicação de dados;
  • processamento digital de sinais;
  • robótica;
  • sistemas embarcados;
  • sistemas paralelos e distribuídos.

Quando comparado com outros profissionais da área de Informática e Computação, entende-se que o Engenheiro da Computação tem um direcionamento maior para sistemas em que os computadores não são os únicos itens a influenciar o ambiente.

Enquanto os profissionais de Computação e Informática lidam, principalmente, com os dados, o Engenheiro da Computação precisa considerar também os sinais e informações geradas ou produzidas. Elas atuam, sobretudo, no meio externo.

Quer saber se você tem o perfil de um Engenheiro da Computação? Veja agora quais são as características que todo bom profissional deve ter.

 curso de engenharia da computação

Perfil do Engenheiro da Computação

As habilidades essenciais para o profissional são:

  • fundamentos científicos, a partir de uma boa formação em Ciências Naturais e Exatas, principalmente na área matemática, além de conhecimentos tradicionais e fundamentais em Engenharia e Computação;
  • informações profissionais específicas quanto à arquitetura de sistemas computacionais, incluindo os componentes lógicos e físicos, além das aplicações gerais em problemas de Engenharia;
  • Uma formação profissionalizante geral que envolve os conteúdos fundamentais da Computação e alguns aspectos da Eletrônica e Eletricidade.

O que se espera de um engenheiro?

Com a formação oferecida pelas universidades, o profissional está apto para criar, conceber, desenvolver, adaptar, instalar, produzir, manter e especificar os mais diversos sistemas computacionais, além de realizar a integração dos recursos lógicos e físicos necessários para que as necessidades das organizações sejam atendidas plenamente.

Diferentemente de outros tipos de profissionais, o engenheiro deve ter um conhecimento sólido nas principais ciências básicas, a fim de compreender o funcionamento das novas tecnologias.

Além disso, ter uma educação continuada é fundamental para que o profissional possa acompanhar as tecnologias com o dinamismo que elas têm.

Por fim, ele precisa ter a capacidade para projetar e conduzir os experimentos, analisando e interpretando os resultados com visão técnica e científica.

Competências necessárias

Além disso, um bom profissional deve ser capaz de:

  • conseguir trabalhar em equipe;
  • avaliar, especificamente, os casos;
  • ter (e procurar por mais) experiência;
  • ser disposto a gerenciar as mudanças que acontecem no mundo e no ambiente empresarial;
  • ter um espírito de liderança (e desenvolvê-lo);
  • conseguir negociar;
  • ter a capacidade de trabalhar sobre pressão;
  • poder gerenciar conflitos;
  • conseguir tomar decisões;
  • ter flexibilidade;
  • aproveitar as oportunidades (como um estágio ou trainee) para conquistar mais experiência;
  • ter iniciativa para propor soluções e resolver questões.

Mercado de Trabalho

Além do hardware e software, o curso também está ligado à automação industrial e à robótica (para a indústria e sistemas digitais).

Outra opção para o profissional é a carreira acadêmica. É possível ministrar aulas para cursos profissionalizantes e técnicos. Quer ir mais além? Quem quiser continuar os estudos, fazendo mestrado e doutorado poderá trabalhar em universidades como professor e pesquisador.

Além de contar com o diploma de bacharel, obtido em uma instituição credenciada ao Ministério da Educação (MEC), é necessário se registrar ao CREA (Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia).

Ciência da computação ou Engenharia da Computação?

Está em dúvida entre os cursos de Ciência da computação e Engenharia da Computação. Saiba agora qual é a melhor opção para o seu perfil.

Semelhanças

Você já tem várias informações sobre o curso de Engenharia da Computação. Entretanto, há muitos pontos que se assemelham a outros cursos, como ciência da computação. Vale lembrar que, embora alguns conteúdos possam parecer idênticos, eles podem ser vistos sob perspectivas diferentes.

No Brasil, grande parte do curso de Engenharia da Computação normalmente é uma mistura entre a Ciência da Computação e a Engenharia Eletrônica. Sendo assim, há disciplinas que abordam um mesmo conceito tanto sob o ponto de vista da Ciência quanto da Engenharia.

Nos dois cursos, alguns temas que certamente serão abordados são:

  • a interface entre os softwares e os componentes eletrônicos;
  • redes;
  • programação;
  • análise de dados;
  • cálculo;
  • sistemas.

Pode-se concluir que ambas carreiras trabalham com equipamentos relacionados à computação. Entretanto, para começar a mencionar as diferenças, a Engenharia da Computação tem um pé na Engenharia Eletrônica.

Agora, veja melhor como isso funciona e quais são as principais diferenças entre os cursos.

Diferenças

Se você observar a grade curricular do curso de Ciência da Computação, verá grande ênfase para as técnicas, metodologias e os instrumentos computacionais. Dessa forma, ao escolher esse curso, aprenderá como é possível desenvolver e automatizar processos. As tarefas podem ser desafiantes ao exigir que você melhore o trabalho desenvolvido por outros profissionais.

Além disso, é necessário ter conhecimentos quanto ao processamento de dados, redes, modelagem de dados, protocolos de comunicação e banco de dados.

Veja, agora, algumas das principais disciplinas que são ofertadas no curso:

  • Introdução à Computação;
  • Algoritmos e Programação;
  • Cálculo Integral;
  • Física;
  • Introdução à Linguagem de Programação;
  • Estatística e Probabilidade;
  • Arquitetura de Computadores;
  • Banco de Dados;
  • Sistemas Digitais;
  • Redes de Computadores.

Por outro lado, quem cursa Engenharia da computação trabalhará principalmente com a parte externa das máquinas, que é chamada de hardware. Aqui, o foco normalmente é dado para os dispositivos computacionais, que é o desenvolvimento de chips, placas e peças. A operação deles é em conjunto com os softwares.

Por isso, é muito importante conhecer o funcionamento da parte eletrônica e elétrica presente nos computadores. Ou seja, nos primeiros anos você deverá estudar várias disciplinas que são comuns para as engenharias.

Independentemente de qual será a sua escolha, você estudará muito sobre programação e funcionamento computacional. Entretanto, os temas serão abordados de formas diferentes. Em Ciência da Computação, o curso abordará, principalmente, o desenvolvimento de softwares para serem usados nos hardwares que serão desenvolvidos por um engenheiro.

O que escolher?

O curso de Engenharia de Computação é indicado para todos aqueles que sejam inovadores e prontos para fazerem projetos, análises e conclusões de forma científica. Entretanto, essa não é a única opção para quem gosta de tecnologia. Cursos como Ciências da Computação e Sistemas de Informação podem ser boas escolhas.

Para não errar nesse momento tão importante, avalie todas as informações presentes neste texto. Elas fazem parte do seu perfil de estudante e profissional? Tente ter uma avaliação fria da situação. O fato de você não ter tudo que um grande profissional deve ter, não significa que você deverá desistir de tentá-lo. Nesse caso, será importante obter as ferramentas necessárias para construir as habilidades necessárias.

Ou seja, o essencial é ter conhecimento próprio. O dia a dia de um profissional não é como um documentário da tevê. E agora, você acha que está pronto para fazer o curso de Engenharia da Computação?

Então, experimente agora mesmo o nosso plano de estudos e tenha mais chances de conseguir uma boa nota no ENEM e conseguir a tão sonhada aprovação.