A área da saúde é uma das mais amplas e, portanto, uma das que mais atraem os jovens de todo o mundo. Embora a Medicina seja um dos segmentos mais cobiçados, se tornar médico não é o único meio de ajudar ao próximo e lidar com a saúde das pessoas no dia a dia. A Radiologia, por exemplo, é uma opção bastante interessante.

Existente tanto na modalidade de técnico em radiologia quanto em forma de graduação tecnóloga, o curso de Radiologia é, sem dúvidas, uma área em plena expansão e com muitas opções de carreira possíveis, já que esse profissional pode atuar em muitos locais diferentes.

Está interessado em seguir carreira nessa área? Então, continue a leitura e tire as suas principais dúvidas sobre esse curso, descobrindo pontos importantes sobre a vida durante e após os estudos. Boa leitura!

Como chegamos até a Radiologia?

A Medicina é uma área que surgiu há milhares de anos. No início, ela era feita, obviamente, de uma maneira bastante rudimentar e os médicos utilizavam técnicas bastante diferenciadas para chegar a um diagnóstico e, consequentemente, a um plano terapêutico nem sempre eficiente para os doentes.

Na Grécia Antiga, por exemplo, os fenômenos causados pelas enfermidades eram interpretados como uma resposta do organismo ao desequilíbrio hídrico do corpo. Além disso, algumas doenças eram explicadas com outros aspectos da natureza, uma característica muito forte daquele povo (para compreender isso, basta relacionar esse contexto aos deuses da mitologia grega).

Com o surgimento da Filosofia, o conhecimento passou a ser mais amplo e a pesquisa na Grécia se tornou mais intensa. No entanto, mesmo assim, os recursos eram completamente escassos no período e não havia muito a ser feito. Até recentemente (em termos de tempo histórico), a Medicina ainda engatinhava e os diagnósticos eram fechados por meio de um conjunto de sintomas, sem o auxílio de qualquer exame complementar.

Sem dúvidas, essa área passou por uma série de revoluções mas uma das principais foi o desenvolvimento dos exames de imagem. Com essa tecnologia, se tornou possível fazer algo que outrora parecia impossível: observar o interior do corpo do paciente e, com isso, obter informações preciosas sobre o acontecia lá dentro sem necessitar, por exemplo, submetê-lo a uma cirurgia de exploração (laparotomia).

O que é a Radiologia?

Como vimos anteriormente, a Medicina sofreu uma virada impressionante com o surgimento dos exames de imagem. Eles surgiram praticamente em 1900, com os avanços dos estudos dos raios x pelo físico alemão Wilhelm Roentgen, que realizou o primeiro exame na mão de sua esposa. A partir daí, os avanços não pararam mais e hoje em dia conseguimos imagens impressionantes e fidedignas de várias estruturas.

Nesse contexto, podemos afirmar, com certeza, que o Radiologista é um profissional indispensável na Medicina e no dia a dia de clínicas e hospitais. A Radiologia é a área que atua diretamente no diagnóstico por imagem no campo da saúde, embora tenha também uma vasta gama de segmentos para seguir, como a Indústria, a Segurança, a Construção Civil, a Medicina Nuclear e a Medicina Veterinária.

O profissional da Radiologia utiliza os raios x para processar informações e, em troca, obter imagens de estruturas que estão localizadas além do acesso de nossos olhos. Na Medicina, o campo de estudo é o corpo humano e essa ferramenta se tornou indispensável para o diagnóstico de inúmeras doenças, síndromes ou ocorrências, que podem ir desde um osso quebrado a um câncer agressivo.

No entanto, a emissão desses raios pode ser bem nociva para a saúde. A radiação atua em níveis celulares e pode desencadear mutações prejudiciais tanto para o profissional, quanto para o paciente. Por conta disso, há uma série de regras para a execução de tais exames, como o uso de roupas e equipamentos especiais, além da limitação do número de horas trabalhadas pelo radiologista.

Curso de Radiologia

Para se tornar um radiologista, há uma série de caminhos que podem ser percorridos. Cada um deles levará a um destino diferente, ou seja, uma profissão com atribuições únicas e características próprias. De modo geral, eles incluem: o técnico em radiologia, o tecnólogo em radiologia e a residência em radiologia, feita após a graduação regular de Medicina.

O curso técnico normalmente forma profissionais que atuam de forma mais direta com a operação do dia a dia da radiologia. Os tecnólogos, por sua vez, formam radiologistas mais completos, com uma boa base também para a supervisão e coordenação de setores.

Por fim, a especialidade médica denominada Radiologia é feita por estudantes que concluíram o ciclo básico de Medicina e prestaram prova para residência nessa área. Ele pode atuar tanto na área de diagnóstico por imagens, interpretando os resultados e participando ativamente da investigação clínica dos pacientes, quanto na radiologia intervencionista, uma área voltada para a realização de exames ainda mais específicos e invasivos.

Independentemente do curso escolhido, é sempre fundamental ressaltar que a Radiologia é uma belíssima área em crescimento. O profissional que atua nesse segmento é fundamental para a saúde da população e para outros setores da sociedade, sendo indispensável. Fazer um curso nesse campo é, portanto, uma ótima opção de carreira!

Duração do curso

Como mencionado anteriormente, a área de Radiologia tem vários segmentos. Por isso, a duração do curso pode variar bastante de acordo com o caminho escolhido profissionalmente. A seguir, discutiremos cada uma das opções de maneira mais detalhada, para que você fique bem informado sobre todas as alternativas possíveis.

Em primeiro lugar, temos o curso técnico em Radiologia. Nesse caso, a duração média do curso é de 1 a 2 anos, dependendo da modalidade e da instituição de ensino escolhida. Em alguns casos, pessoas com o ensino fundamental podem fazer o curso, sem a necessidade de ter concluído o ensino médio.

Já o tecnólogo em Radiologia, ou seja, a graduação na área, tem duração de cerca de 3 anos. A média de carga horária do curso é de 1500 horas, podendo variar para mais ou para menos dependendo da instituição de ensino responsável pelas aulas.

Por fim, temos a especialização médica na área. Ela normalmente também dura 3 anos, mas ocorre de forma muito mais específica do que os dois cursos anteriores. Essa modalidade, no entanto, é exclusiva para aquelas que já concluíram os 6 anos da graduação de Medicina.

Radiologia estágio

A melhor maneira de conseguir experiência em uma área, independentemente de qual seja, é por meio da realização de estágios. Na área da saúde, então, isso se torna ainda mais imprescindível para que o profissional, ao se formar, esteja apto para lidar com a saúde e a vida de seus pacientes.

O estágio é, portanto, uma parte fundamental da formação de um Radiologista. Neles, eles poderão colocar em prática os seus conhecimentos sobre o tema e também aprender muito mais no dia a dia, já que essa também é uma maneira de aprendizado. A dinâmica do estágio, inclusive, é uma excelente maneira de aprender para aqueles que não gostam muito da mesmice das salas de aula.

Independentemente de cursar um técnico ou uma graduação na área, você precisará enfrentar o estágio obrigatoriamente durante os estudos. No entanto, é recomendado buscar experiências que vão além do obrigatório, a fim de aumentar a gama de conhecimento e também adquirir experiência.

No caso da residência em Radiologia, os estágios ocorrem simultaneamente aos estudos de forma natural, da mesma maneira que acontece em outras especialidades. Os plantões de Radiologia (em todas as modalidades), no entanto, são mais curtos, por conta das regras e legislações específicas devido à radiação emitida durante os exames.

Radiologia salário

Por conta da amplitude de caminhos a seguir dentro da área, o salário de um profissional da Radiologia pode variar bastante. Além da formação do indivíduo, outros fatores contribuem para essas divergências de salário, como a cidade em que o estabelecimento está localizado e uma série de outros quesitos importantes.

Para um técnico em Radiologia, o salário médio gira em torno dos R$ 1.500,00. Os estágios, algumas vezes, podem ser remunerados com um valor que fica abaixo de um salário-mínimo. Com a aquisição de experiência, no entanto, esse montante pode chegar a mais de R$ 3.000,00.

Os tecnólogos em Radiologia, por sua vez, costumam ganhar cerca de R$ 2.000,00 ao se formarem. Com o tempo e a experiência, o salário desse grupo pode chegar a até R$ 5.000,00 ou, por vezes, ultrapassar esse valor. O salário do médico especialista nessa área costuma ser ainda maior, na maioria dos casos.

É importante ressaltar que esse profissional só pode trabalhar cerca de 6 horas por dia e que, por isso, o salário mencionado diz respeito a essa carga horária específica. Essa limitação é fundamental para garantir a integridade física do trabalhador, evitando a exposição excessiva aos raios emitidos pelas máquinas.

Faculdade de Radiologia

A faculdade de Radiologia, como já foi mencionado, é ministrada na modalidade de curso tecnólogo (também chamado de tecnológico). Ela é uma graduação especial, com formação em cerca de 3 anos e voltada para a formação de profissionais mais técnicos, com base para atuar em diversas áreas.

No Brasil, a área surgiu na década de 50, em um curso que era dado no Hospital das Clínicas (HC) de São Paulo. Hoje, muitas universidades oferecem esse curso tão importante para o dia a dia da sociedade, ao atuar no diagnóstico preciso de enfermidades e também em áreas diversas, como a indústria.

Outra particularidade da faculdade de Radiologia é a possibilidade de ser cursada na modalidade presencial ou semipresencial, na qual algumas disciplinas são feitas à distância (ou seja, completamente online) e outras necessitam do deslocamento do estudante para a unidade de ensino. Essa é uma boa opção para pessoas que têm pouco tempo disponível, mas, ainda assim, querem se especializar.

Para mandar bem nesse curso, o estudante precisa ter boas noções de matérias como física e química, além de gostar bastante de biologia e ter um interesse pela pesquisa e pela descoberta, pontos fundamentais para o sucesso nessa carreira tão interessante.

radiologia

Nota de corte Radiologia

A maioria das universidades que oferecem o curso de Radiologia são do tipo privadas. No entanto, alguns institutos e universidades federais oferecem esse curso como opção para os vestibulandos. Nesse caso, as notas de corte ficam entre 630 e 700 pontos na ampla concorrência e em uma média de 630 para estudantes oriundos de escolas públicas.

Além dessas opções, podemos citar as notas de corte para o PROUNI, que variam entre 560 e 660 pontos, dependendo da concorrência, localidade da faculdade e modalidade escolhida (esses valores são referentes à ampla concorrência integral).

Por fim, podemos citar as notas do FIES, que giram em torno de 450 e 530 pontos, mas podem chegar a 630 em instituições mais concorridas. Esses valores são referentes ao estado de São Paulo e, portanto, em outros estados os números podem divergir bastante.

Como podemos observar, as notas de corte para Radiologia não são tão altas em muitas modalidades. Por isso, estude bastante e garanta a sua vaga, seja ela em uma faculdade federal ou com ótimas opções de bolsa em instituições de ensino privado!

Radiologia grade curricular

De modo geral, os cursos de Radiologia (sejam eles técnicos ou graduações) têm uma grade curricular bastante parecida. A diferença está, normalmente, no foco dos estudos, que pode variar bastante de uma instituição para outra (até mesmo dentro da mesma modalidade). Ou seja, é importante verificar bem as especificidades de cada faculdade ou escola.

Por se tratar de um curso na área da saúde, muitas das disciplinas têm relação direta com as ciências biológicas. No entanto, isso não é tudo: na maioria dos cursos, os estudantes também enfrentam disciplinas de exatas, como a Física e a Química. Tais conhecimentos básicos são essenciais para avançar nos estudos.

A Física, inclusive, é uma matéria extremamente importante para a compreensão dos raios e das ondas emitidas durante os exames. Por isso, mandar bem nessa matéria é um diferencial para acompanhar o curso de forma tranquila e produtiva. Além disso, a Biologia é muito presente na grade curricular de Radiologia.

Matérias como Anatomia, Fisiologia, Psicologia, Citologia e Histologia estão quase sempre presentes entre as disciplinas desses cursos. Há ainda matérias voltadas para o campo das humanas, como Sociologia e Ética, que são fundamentais para a formação de profissionais do âmbito da saúde.

Concurso Radiologia

Para pessoas que buscam estabilidade e melhores oportunidades de carreira, uma boa opção é seguir para o ramo dos concursos públicos. Os concursos em Radiologia fornecem uma ampla variedade de opções para esses profissionais, tanto nas modalidades técnicas quanto na graduação propriamente dita.

As possibilidades de atuação no setor público podem variar bastante. A maioria das vagas diz respeito à hospitais, ambulatórios e centros de diagnóstico controlados pelos âmbitos municipal, estadual ou até mesmo federal. A disponibilidade de vagas dependerá muito da demanda de cada local.

No entanto, isso não é tudo. Há também muitas vagas destinadas ao setor industrial, que vem crescendo bastante nos últimos tempos no Brasil. Essas vagas costumam ser mais concorridas e, portanto, se preparar muito para as provas é algo fundamental.

Por fim, precisamos ressaltar que o salário para os servidores públicos costuma ser maior do que aquele ofertado na iniciativa privada (ainda que isso não seja, obviamente, uma regra). Por isso, vale muito a pena investir nos estudos e tentar uma vaga de concurso público!

Símbolo da Radiologia

Assim como acontece com outras profissões, a Radiologia tem um símbolo próprio, que diz muito sobre características fundamentais da profissão. A seguir, discutiremos melhor os elementos da simbologia que fará parte de seu dia a dia pelo resto de sua vida!

O brasão da Radiologia é composto por seis elementos que, juntos, nos contam um pouco sobre a história dessa carreira no Brasil. O primeiro deles é o ano de 1985, disposto logo abaixo da figura, e que diz respeito ao ano em que a profissão foi regulamentada em território brasileiro.

Depois, seguimos para a presença da serpente, tão comum na simbologia das áreas da saúde. Ela simboliza o conhecimento e a transmissão dessa sabedoria aos outros profissionais e está enrolada no bastão, que representa o poder da aplicação desse conhecimento.

Em seguida, podemos observar o trifólio, indicativo da presença de radiação. Ele está circundado pela roda dentada, que simboliza a atuação fundamental desse profissional nas áreas industriais. Por fim, temos a presença do átomo, que representa o conhecimento científico e a energia vital utilizada pelos radiologistas no exercício de sua profissão.

raio x radiologia

O profissional de Radiologia

Com o detalhamento do símbolo da radiologia, já fica um pouco mais fácil perceber como é o dia a dia desse profissional e quais são as características fundamentais para que um radiologista se dê bem nessa profissão, certo? No entanto, que tal conversarmos melhor sobre esse tema? Vamos lá!

Em primeiro lugar, é necessário dizer que a rotina de um profissional da radiologia dependerá fortemente de sua área de especialização após o término do curso. De modo geral, no entanto, o dia a dia do radiologista é repleto de surpresas e funções diferentes, o que faz com que esse seja um trabalho nada entediante.

Em um hospital, por exemplo, esse profissional lidará com a realização e interpretação dos mais variados exames. Embora não tenha um contato muito direto com os pacientes, ele é uma peça fundamental na promoção da saúde e do bem-estar para esses indivíduos, já que realiza exames indispensáveis para os diagnósticos precisos e, consequentemente, tratamentos mais específicos.

Na indústria, o dia a dia também é bastante agitado, independentemente da área escolhida. O profissional também pode atuar no meio científico, contribuindo para pesquisas que fornecerão melhores condições de vida para toda a população.

Perfil do profissional

Agora que já conversamos um pouco sobre o dia a dia desse profissional, que tal conhecermos quais são as características fundamentais para que uma pessoa seja bem sucedida nessa carreira? De modo geral, as habilidades mais valorizadas em um radiologista incluem:

  • sede pelo conhecimento;
  • curiosidade;
  • interesse nas inovações e novidades;
  • atenção aos detalhes;
  • capacidade de observação;
  • responsabilidade e foco;
  • facilidade para lidar com uma rotina agitada;
  • delicadeza;
  • empatia;
  • simpatia;
  • capacidade de comunicação;
  • facilidade para trabalhar em equipe;
  • organização.

Por isso, capriche em sua formação! Não deixe de, ao longo do curso, trabalhar essas características para que elas se tornem parte de você ao término dos estudos. Tente, na medida do possível, aplicá-las em seu dia a dia no estágio.

Treinar e trabalhar tais habilidades antes da formação é algo crucial para o bom desempenho no mercado de trabalho. Por isso, nada de deixar para última hora: aproveite o seu estágio e coloque-as em prática desde cedo!

Mercado de trabalho

Como a maioria dos cursos da área da saúde, a Radiologia é um segmento em plena expansão no mercado. Por conta disso, há uma grande demanda para esse tipo de profissional e uma defasagem no número de formados, ocasionando um grande déficit que precisa ser limitado.

Assim, podemos dizer que o profissional de Radiologia dificilmente ficará sem empregos, especialmente se for formado em uma instituição renomada e de qualidade. O âmbito clínico e hospitalar, por exemplo, necessita de profissionais qualificados todo o tempo, para auxiliar no diagnóstico rápido e eficiente dos pacientes.

Há ainda a possibilidade de trabalhar em ambientes que não têm uma relação direta com a Medicina humana, como clínicas e hospitais veterinários e também em estabelecimentos voltados para a odontologia. Esse tipo de experiência é bastante engrandecedora e faz com que o profissional se qualifique ainda mais.

Além disso, a demanda por esse profissional também está crescendo em outras áreas, especialmente na indústria, como nas áreas farmacêutica e alimentícia. A pesquisa em tecnologias voltadas para essa área também é uma opção bastante interessante para aqueles que querem contribuir para a área científica do país.

Como em todos os cursos da área de saúde, uma boa base é essencial não só para um bom vestibular, mas também para mandar muito bem durante a graduação. Pensando nisso, o Stoodi criou um Plano de Estudos arrasador para prepará-lo para as provas e para a sua carreira. Confira!