O Sisu é o Sistema de Seleção Unificada, um processo seletivo realizado pelo Ministério da Educação (MEC). Este processo fornece vagas em cursos presenciais de universidades públicas por todo o país. O principal critério de classificação para o Sisu é por meio da sua nota no Enem.

Nesse artigo, vamos explicar o Sistema de Seleção Unificada, para que ele serve e algumas das universidades que costumam adotar esse sistema. Continue lendo, e entenda porque o Sisu é fundamental no processo de seleção para uma universidade pública do Brasil.

Como funciona o Sisu?

O Sisu é realizado totalmente pela internet. Não é necessário inscrições presenciais ou provas, é tudo feito pelo site do Sisu.

Contudo, para participar da inscrição do Sisu, é necessário ter realizado a última edição do Ene. Ou seja, só poderá participar do Sisu 2020 quem tiver realizado o Enem 2019, casos contrário, o sistema não aceita a inscrição.

Para se inscrever no Sisu, você deve acessar o site e colocar o número de inscrição que usou na última edição do Enem. O próprio sistema recupera a sua nota do Enem para que, assim, você possa selecionas as vagas do curso que deseja se aplicar, a universidade, turno e a modalidade de concorrência (se usará cotas ou será por meio da ampla concorrência).

Você pode escolher até duas opções de curso. Durante o período de inscrição você pode alterar suas opções a qualquer momento. Ao final do período de inscrições, o sistema selecionará os candidatos com maior classificação em cada curso de acordo com a modalidade escolhida e quantidade de vagas oferecidas pela universidade.

Assim, quanto maior sua nota do Enem, maior sua chance de passar no Sisu.

Quem pode participar do Sisu?

Como funciona o Sisu

  • Para conseguir participar da inscrição do Sisu você deve:
    Ter realizado a última edição do Enem;
  • Não pode ter zerado a redação do Enem;
  • Não pode ter realizado o Enem como treineiro.

Apenas estes quesitos são o suficiente para se aplicar no sistema, afinal, não existe diferenciação por idade ou renda.

Como fazer a inscrição no Sisu?

A inscrição no Sisu é gratuita e abre uma vez por semestre. No Sisu 2020, as inscrições abriram dia 21/01 e encerraram 26/01. Já no segundo semestre ainda não há datas definidas, mas deve ser no mês de julho.

Inscrição Sisu: passo a passo

Para participar desse processo, o aluno precisa seguir alguns passos.  A primeira coisa a fazer é acessar o site oficial do Sisu.

Vamos resumir em alguns passos:

  • Cadastre-se:

Depois de entrar na página, é hora de acessar o sistema. Você vai precisar dos mesmos dados que usou para acessar o Enem.

Mas é importante saber que somente quem participou da edição mais recente do Exame Nacional do Ensino Médio é que pode se inscrever.

  • Escolha o curso:

Você pode escolher até 2 cursos diferentes que são disponibilizados pelas universidades públicas. Também é necessário selecionar o regime em que você vai concorrer: por meio de cotas ou ampla concorrência.

  • Processo concluído!

Você está inscrito no Sisu. Agora é só acompanhar as notas de corte e fazer alguma alteração, se necessário.

Ao final do período de inscrições, o sistema automaticamente verifica quem são os candidatos com a maior pontuação do Enem para cada curso e seleciona os que tiveram melhor nota de acordo com o peso especificado e quantidade de vagas.

Nota de Corte do Sisu: o que é e como funciona?

A nota de corte do Sisu refere-se à pontuação mínima exigida para que um aluno possa concorrer a uma vaga para determinado curso.

Vamos explicar melhor. Você fez o Enem no ano anterior, e obteve 618 pontos. Quando você se inscreve no Sisu, se a sua nota for a menor inscrita para aquele determinado curso, então a nota de corte será 618.

Ou seja, quem se inscrever depois de você deverá ter pelo menos 618 pontos também, senão já não é selecionável.

Diariamente, o sistema atualiza a nota de corte  considerando a pontuação de quem já se inscreveu. Isso permite a você saber se é elegível ou não para um determinado curso, e trocar a sua opção em caso de nota mais baixa do que o necessário.

Vale lembrar que estar dentro da nota de corte não é garantia de conseguir a vaga, o sistema não é atualizado em tempo real.

De qualquer forma, é muito importante ficar de olho na nota de corte. Muitas pessoas acabam remanejando a inscrição para concorrer a outro curso ao perceber que não houve pontuação mínima para o curso desejado.

Nota mínima para o Sisu

Para você se inscrever no Sisu você deve estar de acordo com um requisito principal: não pode zerar a redação do Enem.

Contudo, cada universidade em questão tem suas exigências de desempenho, estabelecendo uma nota mínima para seguir com a aplicação. Mas fique tranquilo! O sistema do Sisu mostrará quais são essas faculdades no momento da inscrição. 

Peso de matérias no Sisu

Algumas universidades disponibilizam vagas de forma diferenciada. Por exemplo, elas podem priorizar uma ou outra matéria que tenha relação com o curso.

Nesse caso, quando o estudante selecionar essa opção de curso o sistema faz o cálculo de acordo com as informações disponibilizadas pela instituição e é gerada uma nova nota para o candidato, válida naquele caso específico.

Por isso, não se assuste se sua nota ou a de um colega mudar dependendo do curso ou universidade, elas variam de acordo com os parâmetros definidos pela instituição.

Cotas do Sisu

As universidades federais que participam do processo de seleção do Sisu possuem duas modalidades de concorrências: cotas e ampla concorrência. Contudo, para ser cotista é necessário estar de acordo com alguns critérios.

As cotas apenas são disponíveis para alunos que cursaram o ensino médio em escolas públicas, e/ou alunos afrodescentes ou indígenas. Existem também as “ações afirmativas”, que são vagas para pessoas com deficiência ou quilombolas, por exemplo. 

É importante estar ciente de que é responsabilidade do candidato garantir as informações apresentadas durante o momento de inscrição e com o dever de comprová-las posteriormente. Por isso, fique atento às exigências da documentação de cada universidade.

Você pode declarar-se como cotista no momento da inscrição do Sisu, lembrando que cada faculdade possui uma determinada quantidade de vagas para os cotistas. Caso não esteja de acordo com alguma dessas categorias, você poderá participar do Sisu por meio da ampla concorrência.

Resultado do Sisu

O processo do Sisu dura, aproximadamente, uma semana após o encerramento das inscrições.

Quando as inscrições do Sisu são finalizadas, o sistema do Sisu passa a classificar o melhor desempenho no Enem de cada uma das opções do aluno durante a candidatura (curso, faculdade, turno e modalidade de concorrência).

Assim, após uma semana o resultado é divulgado e os candidatos serão convocados para realizarem a matrícula pessoalmente na universidade de escolha. Após o momento de matrícula, é aberta a Lista de Espera do Sisu.

Fui selecionado no Sisu: como prosseguir?

Matrícula Sisu

Agora o caminho é muito simples: você deverá procurar a universidade escolhida e realizar a matrícula no curso. A universidade vai pedir uma série de documentos para que você faça a matrícula, tais como:

  • RG;
  • Comprovante de residência;
  • Histórico escolar;
  • Comprovante do Enem, entre outros.

Para evitar surpresas, ligue antes na instituição ou acesse o site, e descubra quais são os documentos necessários no ato da matrícula.

Separe toda a documentação com antecedência. Procure não deixar tudo para a última hora. Assim, se houver algum problema na hora da matrícula, você terá tempo para se organizar e resolver, sem colocar a sua vaga em risco.

O sistema trabalha ainda com uma lista de espera, que coloca os próximos candidatos com melhores pontuações em aguardo.

Se as vagas não forem ocupadas dentro do prazo, então você poderá tentar a lista de espera.

Agora que você já sabe como funciona o Sisu, fique ligado na agenda do sistema, e não perca os prazos quando abrirem as inscrições.

Quer ficar por dentro da agenda de vestibulares e inscrições para os programas do governo? Acompanhe o blog do Stoodi.