O clima é um companheiro inseparável da vida. Há dias de excessivo calor, outros com aquele frio que faz muita gente perder a vontade de sair da cama, com temperaturas amenas, e também chuvosos ou nublados. São variações que recebem influências das massas de ar.

Elas podem ser continentais ou marítimas, com atuação predominante no Brasil faça sol ou chuva. Sendo um assunto bem comum nas provas de Geografia, como no Enem, vale a pena você continuar a leitura.

Portanto, venha com a gente e esteja bem informado sobre um tema que frequentemente está presente em questões que abordam a atmosfera ou questões ambientais. Confira!

O que são massas de ar?

Massas de ar, como o próprio nome sugere, formam-se no céu por meio de porções de ar que se apresentam com condições diversas de temperatura, pressão e umidade, geralmente sintonizadas com a região de origem onde são formadas.

Elas frequentemente são homogêneas, mas podem se movimentar em locais sem camada homogênea, como na troposfera.

De forma geral, as massas de ar trazem características de acordo com sua origem, ou seja, se ela for formada em uma região fria, terá temperatura baixa, alta pressão e pouca umidade. Ao se deslocar, ela leva essas condições aos locais por onde passa. Entretanto, aos poucos, ela vai perdendo força e suas características.

É nesse momento de circulação atmosférica que se formam os diferentes tipos de climas, ou seja, as massas de ar estão nitidamente ligadas com o dia a dia da população, pois ditam se haverá frio, calor, chuva ou temperaturas amenas em uma determinada região do país. Inclusive, existem massas de ar que trazem calor em momentos de frio ou vice-versa, podendo ser continentais ou oceânicas de acordo com sua formação.

Trata-se de um assunto totalmente sintonizado com a questão atmosférica e meteorológica . O movimento sempre acontece das zonas de alta para as zonas de baixa pressão e determina, assim, a dinâmica geral da circulação atmosférica e as formações dos diferentes tipos climáticos.

Por isso, clima e tempo estão vinculados com a passagem das massas de ar sobre determinado território. Assim, podem ser formadas chuvas, aumento ou queda de temperaturas tão quanto secas. Dessa maneira, elas estão ligadas ainda com avegetação, a chamada composição morfoclimática brasileira.

Importância das massas de ar

Sendo grandes bolsões de ar, as massas de ar são deslocadas pelos ventos e têm uma importância extrema no dia a dia da humanidade em todos os pontos do Brasil e do mundo.

Isso porque elas são as causas das alterações climáticas e do tempo, influenciando as produções agrícolas, na saúde da população, no índice de poluição atmosférica, na vida dos animais e vegetais, enfim, elas podem destruir a economia caso tragam influências drásticas.

Como as massas de ar estão restritas à primeira camada da atmosfera, local da movimentação do ar, as influências são variadas. Podemos citar como exemplo a seca em um ponto do território brasileiro onde deveria chover em determinado momento do ano.

Dessa forma, a massa de ar afeta a vegetação e destrói plantações, elimina o alimento de animais e acaba influenciando o aumento do preço dos produtos nos supermercados. Afinal, se o produtor rural enfrentar problemas no campo, o prejuízo será repassado ao consumidor final.

Com isso, as massas de ar podem ser negativas e positivas, pois a presença de chuva trazida por elas ajuda em certas ocasiões assim como representa um risco em outras. Enchentes, alagamentos de plantações, entre tantos exemplos são alguns problemas enfrentados quando chove mais do que o previsto.

Quando estão equilibradas, geralmente as massas de ar trazem características da região onde se formam, ponto extremamente importante para a manutenção da vida, seja ela vegetal como animal.

Ao se deslocarem, elas sofrem diversas influências com outras que trocam calor, ou seja, o interior se iguala com a condição exterior até que a massa seja dissipada.

Por isso, quando ocorre uma queda brusca na temperatura, alertada pela previsão do tempo, geralmente os meteorologistas já apontam quanto tempo vai durar, pois calculam o tempo da dissipação.

É importante informar que as massas de ar se deslocam em qualquer lugar do planeta e sempre vão caminhando por conta das diferenças na pressão. E sempre são formadas onde o ar fica parado, como na hidrosfera, podendo ser no oceano ou na superfície terrestre (continental).

Portanto, elas são importantíssimas em todos os aspectos da vida nobiomaseja em qualquer cidade, estado, país ou região, pois sempre influenciarão as condições climáticas.

nuvens brancas massas de ar

Tipos de massas de ar

três tipos de massas que explicaremos minuciosamente para você se sair bem tanto nos vestibulares quanto na prova do Enem. Todas podem sofrer influências do oceano Atlântico ou do continente.

Massas equatoriais

Como o próprio nome diz, elas se formam próximo do Equador e em regiões de baixa latitude. Entre as suas características, estão altas temperaturas e baixas pressões, podendo ser úmidas ou não, de acordo com o local de sua formação. Geralmente, a oceânica é mais úmida, enquanto a continental é mais quente e menos úmida.

Massas tropicais

As tropicais são bem presentes no Brasil e se formam próximas aos trópicos, como Câncer e Capricórnio. Tanto no hemisfério norte quanto no sul frequentemente elas se formam em latitudes subtropicais.

As tropicais têm temperaturas elevadas, médias e baixas pressões. Ao contrário da massa equatorial, a tropical é mais úmida na parte continental em comparação com a oceânica.

Massas polares

Quando se fala em polar, o que vem à sua cabeça? É exatamente o que explica a formação dessa massa de ar: ela tem origem nos continentes ártico e antártico, ou seja, são as mais frias e com pressões bem altas.

Além de baixas temperaturas, outra característica da massa polar é a seca, principalmente a continental. Já a oceânica é um pouco mais quente e mais úmida.

Massa de ar no Brasil

Pelo fato de sempre estarem em movimento, as massas de ar avançam ou recuam sobre o Brasil, com influência direta no tempo e clima. Além disso, existem momentos em que se formam zonas de instabilidade meteorológica, ou seja, o fenômeno acontece quando suas massas se encontram com características diferentes, fazendo com que elas não se misturem.

No entanto, quando se encontram duas iguais, como fria, por exemplo, forma-se uma frente, a chamada frente fria, amplamente falada na previsão do tempo dos noticiários.

No Brasil, há a influência de cinco massas de ar diferenciadas de acordo com os locais de origem, que são respectivamente:

  • Massa Equatorial Atlântica:ela é quente e úmida, com predominância no litoral da Amazônia e do nordeste, com formação no oceano Atlântico;
  • Massa Equatorial Continental:forma-se no ocidente da Amazônia, predominante em grande parte do ano, sendo quente e úmida;
  • Massa Tropical Atlântica: formada no oceano Atlântico, perto do trópico de Capricórnio, é quente e úmida e com grande presença no litoral brasileiro;
  • Massa Tropical Continental: é quente e seca e tem origem na depressão do Chaco, na Bolívia. Atinge uma área pequena e fica por lá quase o ano inteiro;
  • Massa Polar Atlântica: tem origem no oceano Atlântico, na região da Patagônia, na Argentina, sendo fria e úmida, com atuação no inverno vindo para o Brasil por meio de uma frente fria.

Vale informar que as mais atuantes no Brasil são as massas de ar Equatorial Continental, Tropical Atlântica e Polar Atlântica. Portanto, fique atento a esse tema e arrase nos vestibulares e Enem, principalmente quando as perguntas estiverem ligadas com os fatores climáticos.

Viu como o assunto é interessante? Quer aprender sobre todas as disciplinas que caem no Enem de forma bem flexível? Então conheça agora mesmo nosso plano de estudos!

Você pode gostar também