Pérolas do Enem

Entenda qual é a graça e conheça algumas delas

TUDO SOBRE AS PÉROLAS DO ENEM

Desde que o Jô popularizou esta brincadeira, quando a internet era “mato”, até hoje, as pérolas do Enem se tornaram uma espécie de evento aguardado todos os anos. Deu com a cara no portão do Enem? Não se preocupe, tem espaço para você também!

Muito antes do fim do ano, milhares de pessoas começam a procurar informações sobre a prova do Enem, como a data do exame e processo de inscrição. Depois, querem cursos e simulados, porém, após os testes, a humanidade se divide: os candidatos querem os resultados; o restante quer encontrar os casos engraçados do exame.

A coisa evoluiu tanto que, alguns, como o pessoal do Não Salvo, mal se aguentam e fazem plantão para acompanhar os atrasados. O ano acaba, uma nova lista de pérolas do Enem entra para os clássicos e recomeçamos o ciclo, esperando pelo próximo “carnaval”.

Os atrasados nunca deixam de existir, as redações engraçadas do Enem, também não. E vamos ser honestos, a concorrência é tão grande que, hoje, erros mais simples já não têm muita graça.

Por exemplo, uma das frases mais antigas que podemos recordar é: “as aves são animais que só tem um dente que se chama bico”. Não temos como saber se a frase original tinha vírgulas, ou não, então, em homenagem ao autor, reproduzimos sem nenhuma.

Sim, porque não basta a frase, é preciso um comentário no final, para completar a piada, caso alguém não tenha entendido. Ou seja, queremos nos divertir, certo? Então vamos. Mas vamos nos divertir com classe junto de alguns trechos das piores redações do Enem.

Começando por separar as brancas das mais raras.

Pérolas do Enem: brancas, comuns e clássicas

Pérolas do Enem
Esta é a versão “pracas do braziu” do Enem, ou seja, erros que não chegam a surpreender, mas, não deixam de ser curiosos.

Para brincar com a situação, vamos compor uma pequena redação com estas frases, a partir de um tema frequente no teste, o ambientalismo:

  • “Na floresta amazônica tem muitos animais: passarinhos, leões, ursos etc”.
  • “As plantas se distinguem dos animais por só respirarem a noite”.
  • “A floresta amazônica não pode ser destruída por pessoas não autorizadas”.

Nada disso é exatamente mentira, mas, também, não chega nem perto de ser verdade. São exemplos clássicos de desatenção, com erros pontuais de português. Discorda? Existem cidades na floresta amazônica, como Manaus, por exemplo. Algumas têm zoológicos e, assim, é possível existirem leões e ursos perdidos por lá.

A segunda frase precisaria apenas ser melhor explicada, dizendo que as plantas “inspiram” de dia e “expiram” à noite. Continuaria irritando o professor de Biologia, mas, talvez, enganasse o de Português. Seria preciso testar na prática.

Já a terceira, não parece, mas, é uma crítica. As leis são para todos, mas, o sistema permite que pessoas “não autorizadas” continuem desmatando. De qualquer forma, estas pérolas do Enem são capazes de compor uma redação básica e relativamente coerente, com poucas mudanças.

Deixam aquela sensação de que faltou só um pouco de atenção, pois, mesmo sem saber nada do assunto, seria possível, pelo menos, não passar vergonha.

As pérolas do Enem que causam comoção

Pérolas do Enem

E já que estamos falando de erros politizados, por que não abandonar as amarras e chegar logo ao ponto? Então, vamos a mais um tema comum nos testes, que sempre rende pensamentos filosóficos profundos:

  • “Na cama dos deputados foram votadas muitas leis”.
  • “A violência no trânsito é causada por parlamentares”.

Se a primeira frase estivesse correta, seria apenas um amontoado de palavras para encher linguiça e atingir o tamanho mínimo da redação. O erro, neste caso, faz pensar sobre as entranhas da política brasileira. Algo que o autor poderia ter aproveitado no texto.

Já a segunda frase precisaria de dois remendos: “a violência no trânsito, também é causada por parlamentares embriagados”. Juntando as duas pérolas do Enem, mais uma vez, teríamos uma poderosa crítica, com pequenas correções e um pouco de atenção.

Por outro lado, começamos a duvidar da origem destas frases. Não parecem falsas? Como se alguém tivesse escrito justamente para ser piada? Pois é. Sabemos que, fazendo rir, não importa se são frases verdadeiras ou inventadas. Mas, se forem inventadas, temos algo para pensar.

Vamos explicar isso com uma última pérola, linda e única, em meio ao caos de erros comuns.

Pérola negra e a verdade sobre as pérolas do Enem

Pérolas do Enem mais raras

Antes de apresentar a nossa campeã das pérolas do Enem, vamos deixar claro que a escolha é pessoal. Você tem todo o direito de não concordar, mas, temos um objetivo em mente, então, nossa preferida é esta:

“A pérola é a fecundação do espermatozóide de uma concha, com uma pedra… de acordo com o tamanho da pedra fica o tamanho da pérola”.

Esta frase é de uma beleza singular, primeiro, porque demonstra cuidado na escrita, com exceção de “espermatozóide”. Como se alguém tivesse inserido esta palavra errada, de propósito, apenas para que você risse e, talvez, aprendesse com as bobagens que os outros fazem.

Outro detalhe interessante é o cuidado com os três pontos após “pedra”, como se o autor tivesse pensado antes de escrever a próxima frase. Será que estão nos enganando? A pergunta é boa, mas, não devemos nos aborrecer com isso, afinal, são frases engraçadas.

Se foram escritas para rir, como é muito provável, então, vamos rir. Mas, que tal aproveitar para aprender no processo? As pérolas do Enem poderiam ser cruéis, se viessem acompanhadas com o nome do autor, endereço…

Como não tem nada disso, o melhor que podemos fazer é rir e, se possível, extrair alguma lição da experiência. Principalmente se você estiver a ponto de prestar o Enem. É uma boa forma de descontrair um pouco.

Melhor ainda se procurar observar as frases com cuidado, entendendo os diversos erros em cada uma delas. Na pior das hipóteses, você não comete o mesmo erro quando chegar a sua vez.