Veja as matérias que você deve revisar nesta reta final de estudos para mandar bem no exame

Enfrentar 45 questões longas de Ciências Humanas no Enem não é nada fácil, né? Mas para chegar bem preparado para encarar essas questões, é preciso estar atento aos assuntos que mais podem cair no exame.

Pensando nisso, nós reunimos as provas de alguns anos para cá e separamos os assuntos de História que mais caíram na prova! Quer ver qual foi o resultado disso? Vamos lá!

Os 12 conteúdos que mais aparecem em História

  1. Segundo Reinado
  2. Era Vargas
  3. Regime Militar
  4. Antiguidade Clássica – Grécia
  5. Antiguidade Clássica – Roma
  6. Neocolonialismo (Imperialismo)
  7. Nazifascismo
  8. Início da Colonização
  9. Independência do Brasil
  10. República das Oligarquias
  11. Governo JK
  12. Nova República

Confira, a seguir, as dicas e macetes sobre cada grande tema que você deve revisar:

1. Segundo Reinado

O aluno pode encontrar muitas questões associadas à Crise do Escravismo. Por isso, é altamente recomendável que se revise o movimento abolicionista (principalmente em relação à luta dos próprios negros para a liberdade).

Além disso, é importante atentar-se às leis do período, como a Lei Eusébio de Queirós, a Lei do Ventre Livre, a Lei dos Sexagenários e Lei Áurea (que decretou o fim da escravidão no Brasil).

Outro tópico bastante abordado dentro deste tema é a Guerra do Paraguai. O Enem gosta muito desse tema porque é justamente a transição com a crise do Segundo Reinado que vai dar origem a Proclamação da República.

É importante, também, conhecer os dois partidos (liberal e conservador), dar uma olhada em parlamentarismo às avessas e lembrar-se que é nessa época que começa a imigração europeia para trabalhar na lavoura brasileiras dos cafés (economia cafeeira).

2. Era Vargas

Em Era Vargas, o Enem gosta de cobrar as questões associadas à cidadania. Por isso, estude a questão do voto, revise cada uma das constituições, veja como se deu a participação do Brasil na Segunda Guerra Mundial e como foi o período de Estado Novo.

Quando você for analisar cada um das constituições, sugerimos que você destaque o que ela previa e quais as principais mudanças que ela apresentava. É bom saber quando foi permitido o voto feminino, o voto para analfabetos, analisar a leis trabalhistas, entre outros.

Outra ponto que o aluno deve se atentar é sobre o conceito de Populismo, como perguntas do tipo: Por que o governo de Vargas é populista? O que é o populismo? Quais suas características? Getúlio Vargas foi uma referência de líder populista na América Latina.

3. Regime Militar

Quando falamos em Regime Militar, é muito importante que você relembre os atos institucionais. O aluno não precisa saber de todos, mas principalmente o AI-1, AI-2 e AI-5.

Um tópico muito importante é o governo Médici, porque ele representa o auge de todo o militarismo, violência e repressão. Para se ter uma noção, esse período ficou conhecido como os “Anos de Chumbo”.

Recomendamos que se atente também para o Milagre Econômico — esse foi um momento de bons índices econômicos para o país. Porém, houve concentração de renda e o Enem costuma cobrar essas consequências.

Para finalizar, revise como foi o período de transição democrático. Tem que ficar atento aos movimentos sociais políticos como as Diretas já, a Lei da Anistia e da Comissão Nacional da Verdade.

4. Antiguidade Clássica – Grécia

Na Antiguidade Clássica Grega, é preciso estudar o conceito de democracia, as características da democracia em Atenas, descobrir quem podia participar, entre outros.

Pode acontecer do Enem apresentar uma questão pedindo para você comparar a democracia da Grécia antiga com o desdobramento do conceito na contemporaneidade.

Por isso, aponte quais foram as diferenças e semelhanças entre a democracia da Grécia Antiga e a democracia como é hoje no Brasil.

Grécia

5. Antiguidade Clássica – Roma

Já em Roma, é preciso atentar-se para as características da fase republicana, quando acontece a expansão territorial. É importante também revisar como foi o governo de Otávio Augusto que adotava a política de pão e circo.

Além disso, é bom dar uma olhada na Crise do Império Romano, principalmente em seus fatores de causa. Confira também como ocorreram as invasões bárbaras.

6. Neocolonialismo

O Enem adora cobrar a questão da justificativa ideológica do processo de domínio de colônias na África e Ásia por potências europeias. Então, estude o darwinismo social e missão civilizadora.

Ao analisar o mapa africano, por exemplo, você não precisa saber qual país ficou com qual colônia, mas tem que lembrar que aconteceu a Conferência de Berlim e aconteceu a partilha da África — sem respeitar a história, cultura e diversidade étnica do continente, resultando em guerras civis.

Outro fator importante aqui, é o colonialismo nas Américas, levando em consideração a imposição espanhola e portuguesa em seus territórios, até a independência.

7. Nazifascismo

Neste tópico, é muito importante que o aluno saiba quais são as característica da ideologia nazifascista. Por isso, estude o totalitarismo, nacionalismo exacerbado, o partido único, o anticomunismo e o militarismo — com o agravante do racismo no caso da Alemanha.

Além disso, outro conteúdo que é cobrado com frequência pelo o Enem é a Guerra Civil Espanhola.

8. Início da Colonização

Sobre o início do processo de colonização no Brasil, existem dois principais tópicos que costumam aparecer na prova:

  • O sistema de capitanias hereditárias;
  • A questão indígena — com foco no contato com os colonizadores, a catequização dos índios, os interesses de Portugal e as formas de escambo.

Lembre-se também de todo o contexto histórico, econômico e político dessa fase (com a economia açucareira e o escravismo). São esses tipos de informação que podem te ajudar em uma questão de análise.

Além disso, não se limite a colonização dos portugueses no Brasil. Lembre-se de estudar sobre quais foram os países que influenciaram na colonização das Américas, desde a Espanha, França,  Holanda e Inglaterra, até os povos orientais.

9. Independência do Brasil

A primeira coisa que você deve se atentar quando for revisar o conteúdo de Independência do Brasil são os fatores de causa. Existem questões da influência das ideias iluministas e a questão da chegada da família real no Brasil.

Treinar as possíveis relações que podem ser feitas com esse tema é uma boa. O Enem já pediu, por exemplo, para o candidato relacionar a abertura dos portos com a processo de proclamação de independência.

7 de setembro: dia da Independência do Brasil

Outro tópico muito importante são os movimentos emancipacionistas — como a Inconfidência Mineira, a Conjuração Baiana e a Revolução Pernambucana.

O Enem gosta muito de usar imagens a respeito da transição da colônia para a nação independente. Ele pode colocar o quadro ‘Independência ou Morte’, de Pedro América, para você analisar a mensagem transmitida pelo Império, por exemplo.

Vale lembrar que nossa independência não teve caráter heroico e participação popular. Foi um processo elitista, pelo qual o Brasil não apresentou mudança em sua estrutura socioeconômica — continuamos com escravidão, com latifúndio e com economia agroexportadora.

10. República das Oligarquias

O Enem não tem o hábito de cobrar assuntos muito específicos sobre determinado presidente, por isso, nem se preocupe em decorar. O que você precisa saber é a respeito dos movimentos sociais e características políticas do período.

Revise o coronelismo, a questão do voto de cabresto e a política dos governadores — se aprofundando não apenas na política do “Café com Leite”.

Recomendamos que estude os movimentos sociais da República das Oligarquias, como Canudos, Contestado, Cangaço, Revolta da Vacina, Revolta da Chibata, Movimento Modernista e Greve Geral de 1917.

11. Governo JK

Sobre Juscelino Kubitschek, costuma cair o plano de metas e suas consequências. JK criou uma nova capital para o Brasil, em Brasília, e apresentou o slogan “50 anos em 5”.

É bom estudar as consequências dessa instalação, por exemplo, houve o desenvolvimento da indústria (principalmente da automotiva), a criação de indústrias hidrelétricas e a ampliação da malha rodoviária.

O Enem adora perguntar quais foram os efeitos negativos, sendo alguns deles: o aumento da desigualdade social, aumento da dívida externa, aumento da inflação e a desigualdade regional.

12. Nova República

No governo de José Sarney, é importante lembrar que esse foi o período de maior inflação brasileira. Tivemos também a aprovação da Constituição de 1988 (em vigência até hoje), por isso, vale a pena pesquisar quais foram as principais mudanças trazidas por esse documento.

Sobre o Collor, vale revisar o movimento “Caras Pintadas”. Já a respeito de Fernando Henrique Cardoso, é indicado revisar o neoliberalismo, as políticas de privatizações, o que foi o Plano Real e suas características.

Quer se preparar ainda mais para essa e outras matérias? Então faça seu plano de estudos e arrase nos vestibulares!

Laura Loyo

Jornalista, ama uma roda de samba e ficar por dentro de todas as novidades. A Laura faz parte do time de Marketing e Conteúdo, e é conhecida como a Laura do Stoodi! Ela busca ter uma vida mais ativa, ama uma conversa de bar e adora comer comida de boteco. Saiba mais sobre a Laurinha!

Mais que um cursinho online: uma rotina de estudos perfeita para você

O caminho para a sua aprovação no ENEM E VESTIBULARES nas suas mãos!