Entre as ciências sociais presentes entre os estudos geográficos, podemos citar a demografia como uma das mais relevantes. Ela é responsável por analisar a dinâmica populacional dos habitantes da Terra, oferecendo dados estatísticos e analíticos que nos ajudam a entender a forma como as pessoas se organização no nosso planeta.

Fundamental para compreendermos as diferentes relações entre povos e nações em todo o globo, a demografia também é peça chave nas provas de Geografia dos mais diversos vestibulares e, principalmente, do Enem.

Quer saber mais sobre a demografia e como ela pode cair no Enem? Continue lendo este post para descobrir!

O que é demografia?

A demografia é uma área do conhecimento da Geografia, mais especificamente das aplicações de ciências sociais. O termo pode ser entendido, literalmente, como o estudo do povo. Também conhecida como Geografia da População, a demografia tem como base a análise e a interpretação dos mais diversos dados quantitativos, principalmente aqueles oriundos da estatística.

Ao organizar e interpretar esses dados, a demografia consegue estabelecer uma análise qualitativa dos mesmos, o que resulta em uma grande quantidade de insights sobre a dinâmica das populações na Terra. Dessa forma, é possível mapear os mais diferentes aspectos demográficos, utilizando esses dados como base para estudos sociais e, principalmente, aplicações práticas de decisões governamentais.

Os institutos de estatística e demografia, como é o caso do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) são fundamentais para balizar as políticas do governo brasileiro, realocando recursos e investindo em determinadas áreas de acordo com os relatórios e estudos oriundos desse órgão.

Teorias demográficas

Como não poderia deixar de ser, o estudo das dinâmicas populacionais gerou, ao longo dos séculos, diversas teorias. A seguir, você confere algumas das mais conhecidas.

Malthusianismo

Desenvolvida por Thomas Malthus em 1798, afirmava que o crescimento da produção alimentícia seria menor que o crescimento populacional, ocasionando um cenário futuro em que as pessoas não teriam o que comer. Para Malthus, os grandes responsáveis por esse quadro eram os pobres, de modo que pregava o “controle moral” para resolver a questão.

Sua solução se baseava na diminuição do número de nascimentos que, segundo ele, eram responsabilidade da população mais pobre do planeta. Assim, Malthus dizia que cada pessoa deveria ter, apenas, a quantidade de filhos que pudesse sustentar.

Neomalthusianismo

Surgido no pós-guerra, pregava que, quanto maior fosse o número de pessoas presentes em um país, menor seria a renda per capita e a quantidade de recursos a serem distribuídos para a população. Desse modo, a teoria sugeria que países com grande taxa de crescimento populacional estariam fadados à miséria.

Teoria reformista

São chamados de reformistas todos aqueles teóricos contrários às ideias de Malthus. O principal expoente dessa vertente de pensamento é Karl Marx, de modo que os antimalthusianos também são chamados de marxistas.

Marx pregava que elevadas taxas de natalidade seriam uma consequência (e não causa) do subdesenvolvimento. Para ele, os problemas sociais decorrentes viriam da má distribuição de renda entre a população. Ou seja, o grande problema seria a desigualdade social e econômica, não a falta de recursos.

Assim, Marx dizia que, para resolver os problemas de fome, miséria e desigualdade seria necessário distribuir os recursos de uma nação de forma mais democrática e igualitária, principalmente por meio de reformas sociais. Assim, quão melhores forem as condições de vida e o acesso à saúde e à educação, mais facilmente as pessoas pobres poderão sair da miséria.

pessoas demografia

Conceitos de demografia

São inúmeros os conceitos ligados à demografia, e é impossível listar todos em um único texto. Por isso, trouxemos a seguir os principais conceitos demográficos:

  • população absoluta: número exato de pessoas que vivem em um determinado território;
  • superpopulação: quando o número de pessoas de um território é maior do que os recursos sociais e econômicos conseguem suportar;
  • taxa de natalidade: número de nascimentos que acontecem em uma determinada área;
  • taxa de fecundidade: número de nascimentos bem-sucedidos menos o número de falecimentos no parto;
  • taxa de mortalidade: número de óbitos em um determinado local;
  • crescimento vegetativo (ou natural): crescimento populacional de um determinado território. É obtido subtraindo-se da taxa de natalidade os números da taxa de mortalidade;
  • crescimento migratório: é a taxa de crescimento de um país obtida pela razão entre o número de imigrantes (pessoas que chegam ao país) e o número de emigrantes (pessoas que saem do país);
  • crescimento demográfico (ou populacional): é obtido por meio da razão entre o crescimento vegetativo e o crescimento migratório;
  • êxodo rural: migração massiva de pessoas que saem do meio rural para o meio urbano;
  • metropolização: migração massiva de pessoas saindo de pequenas e médias cidades para grandes metrópoles;
  • migração pendular: movimento migratório diário de uma população. Geralmente envolve moradia em uma cidade e atividades profissionais em outra, com deslocamento todos os dias.

Densidade demográfica

A densidade demográfica é um dos conceitos mais importantes da demografia. Também conhecida como densidade populacional ou, até mesmo, população relativa, consiste na medida obtida na razão entre número de habitantes e área territorial. Além de ser aplicado para seres humanos, é um conceito muito utilizado na biologia para as populações de animais.

Como calcular densidade demográfica?

O cálculo da densidade demográfica é facilmente obtido. Basta dividir o número total de habitantes de uma determinada região pela sua área total. Geralmente, essa taxa é expressa em hab/km2.

Apesar de ser um conceito muito importante para a demografia, a densidade demográfica deve ser vista com cautela, pois as populações humanas nunca estão uniformemente distribuídas nos territórios analisados. Segundo o Censo demográfico do IBGE de 2014, o Brasil tem uma população total de 202.768.562 pessoas e uma área total de 8.515.767,049 km2. O resultado dessa relação é uma densidade de 23,8 habitantes por quilômetro quadrado.

É um número relativamente baixo, principalmente dada a grande extensão territorial brasileira. Entretanto, essa taxa varia consideravelmente quando analisamos separadamente cada região do país. Enquanto a região sudeste apresenta uma densidade demográfica de 67,77 hab/km2, o Norte tem apenas 2,66 hab/km2.

O estudo da demografia é de extrema importância para entendermos a dinâmica populacional nos mais diversos territórios do mundo. Entretanto, mais do que apenas números e dados quantitativos, é fundamental realizar uma análise qualitativa e aprofundada da maneira como esses números se relacionam entre si e como eles podem ser percebidos nas características da população do planeta.

E aí, curtiu o nosso post? A demografia é uma das áreas mais importantes da geografia e, com certeza, aparecerá de alguma forma na próxima prova do Enem! Então, que tal conhecer o nosso plano de estudos para se preparar ao máximo para o próximo exame?

Renata Celi

Cursando relações internacionais, ama viajar e tomar sol. A Renata faz parte do time de Marketing e Conteúdo do Stoodi e faz trabalho voluntário com crianças nas horas vagas. A Rê adora comida, conhecer gente nova, mas, principalmente, ver filmes repetidos. Conheça mais os textos da Renata!

Mais que um cursinho online: uma rotina de estudos perfeita para você

O caminho para a sua aprovação no ENEM E VESTIBULARES nas suas mãos!