Quando somos crianças, ainda no ensino fundamental, aprendemos brevemente sobre os 5 sentidos dos seres humanos: a audição, o olfato, o tato, o paladar e a visão. No entanto, no ensino médio e nos vestibulares e no Enem, o sistema sensorial passa a ser abordado de modo muito mais detalhado e aprofundado.

Compreender bem a fisiologia dos sentidos e entender como eles se relacionam com nosso corpo é parte crucial do aprendizado da Biologia. Além disso, caprichar nos estudos desse conteúdo é muito importante até mesmo para questões interdisciplinares envolvendo outras matérias, como Química e Física.

Tem dúvidas sobre o sistema nervoso sensorial? Acha que pode aprender um pouco mais sobre essa matéria? Então, vem com a gente! A seguir, conversaremos bastante sobre o tema a fim de ajudar você a entendê-lo melhor e mandar muito bem nos exercícios. Boa leitura!

O que é sistema sensorial?

Como você percebe o mundo? Pare tudo o que está fazendo e apenas sinta por alguns segundos. Perceba os sons que ecoam de sua vizinhança, os odores, observe se você sente frio ou calor nesse momento… Tudo isso está relacionado com o sistema sensorial. O fato de você estar lendo estas palavras neste momento é um bom exemplo disso.

Isso ocorre graças ao funcionamento de órgãos sensoriais que têm células conhecidas como receptores. Alguns deles são químicos, como ocorre nos receptores de nosso paladar. Já outros são físicos, da maneira que podemos observar na visão, por meio da captação de ondas de luz.

Esses receptores funcionam de muitas maneiras, mas a principal delas envolve a transmissão de impulsos para o sistema nervoso. Lá, esses estímulos serão traduzidos em sensações. Tudo isso ocorre em pequenas frações de segundo e permite que tenhamos as experiências do dia a dia.

Qual a função do sistema sensorial?

Como vimos anteriormente, a principal função do sistema sensorial é, sem dúvida, captar estímulos por meio de seus receptores e levá-los ao sistema nervoso central, onde serão “decodificados” e traduzidos em forma de sensações. Mas, afinal, para que isso serve?

A resposta é bem simples: para tudo! Em situações de perigo, por exemplo, os sentidos se tornam mais aguçados para nos ajudar a escapar. Isso se correlaciona com outros fenômenos, como a liberação de adrenalina, que expande nossas pupilas e nos deixa muito mais alertas.

Além disso, o sistema sensorial é importantíssimo para nos manter vivos em muitos outros aspectos. Por meio da visão, do paladar e do olfato, por exemplo, podemos identificar potenciais substâncias tóxicas e não as ingerimos. Sensações de prazer, que nos deixam felizes, também são possíveis apenas por conta desse conjunto de órgãos essenciais.

Sistema sensorial: fisiologia

Agora que já sabemos bem como funciona o sistema sensorial humano e conhecemos algumas de suas funções mais importantes, que tal dedicar um tempinho de nossos estudos para conversar sobre cada um dos sentidos e os órgãos envolvidos em sua fisiologia? Vamos lá!

Audição

A audição é o sentido que nos permite captar ondas sonoras (que, vale lembrar, são mecânicas, ou seja, precisam de um meio para se propagar) e transformá-las naquilo que escutamos. Esse é, portanto, um assunto que se correlaciona muito com a Física.

Os órgãos e as estruturas envolvidos nesse sentido são:

  • ouvido (dividido em interno e externo);
  • pavilhão e labirinto;
  • canal auditivo;
  • nervo auditivo;
  • tímpano;
  • ossos como o martelo, estribo e a bigorna.

Visão

A visão é outro assunto comumente cobrado nos vestibulares e muito relacionado com outras matérias, em especial a Física com o estudo da óptica. A razão para isso também está na captação de ondas (dessa vez, de luz) e na sua transformação em imagens por meio de nosso cérebro.

O funcionamento do sentido da visão é muito interessante e envolve uma série de estruturas, tais como:

  • pupila;
  • cristalino;
  • retina;
  • nervo óptico.

Outra importância desse sentido para as provas está nas doenças da visão, como miopia e astigmatismo. Esse assunto é frequentemente abordado em conjunto com a disciplina sobre lentes divergentes e convergentes.

Tato

O tato não é um sentido que costuma ser cobrado com muita frequência nos vestibulares. Ainda assim, compreendê-lo é muito importante. Ele é comandado pelo maior órgão de nosso corpo — a pele — e tem uma importância fisiológica sem igual.

A pele, em toda a sua extensão, é coberta por pequenos receptores e terminações nervosas que dialogam diretamente com o sistema nervoso. Esse sentido é essencial para a vida, já que é por meio dele que percebemos sensações como o frio, o calor, a dor e muitas outras que nos ajudam a permanecer vivos.

Além disso, o tato é essencial para a percepção também de pessoas que não têm todos os sentidos em perfeita sincronia. É o caso da leitura em Braille, que auxilia no dia a dia de indivíduos com deficiência visual.

Paladar

Por meio do paladar, podemos sentir o sabor dos alimentos, que são categorizados em doce, azedo, amargo, salgado e umâmi. Mas, afinal, como isso ocorre na prática? A resposta está em pequenas estruturas conhecidas como botões gustativos, que são espalhadas por pontos de toda a nossa língua e não apenas de regiões específicas, como se pensava anteriormente.

Nessa região, há receptores neurais que também dialogam com o sistema nervoso. Eles são do tipo químico, ou seja, reagem de acordo com as substâncias que ingerimos. Além disso, o paladar está diretamente ligado a outros sentidos, como o olfato. É por isso, por exemplo, que sentimos menos o sabor dos alimentos quando temos um resfriado.

Olfato

moça cheirando uma flor sistema sensorial

O olfato é outro sentido que, embora não tenha uma alta incidência nos vestibulares, não pode ser deixado de fora de nossos estudos. Lembre-se de que todo o conhecimento adquirido poderá ser utilizado não só nas provas, mas também em sua vida!

Os órgãos e estruturas envolvidos nesse sentido são:

  • narinas;
  • nervo olfativo;
  • bulbo olfativo.

Assim como no paladar, diferentes receptores químicos respondem a diversos odores. Aqui, no caso, temos sete exemplos principais: podre, azedo, menta, flores, cânfora, almíscar e éter. Saber esses nomes de cor não é importante!

Gostou de conhecer um pouco mais sobre o sistema sensorial? Então, agora é hora de pôr as mãos na massa e fazer muitos exercícios! Para guiar melhor seus estudos, confira o Plano de Estudos do Stoodi e se prepare com tudo para os próximos vestibulares!

Banner Stoodi Med
Você pode gostar também